EMDR

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto.
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.

O EMDR (Eye Movement Desensitization and Reprocessing/Dessensibilização e Reprocessamento por Movimentos Oculares) é uma abordagem de psicoterapia desenvolvida pela psicóloga americana Francine Shapiro, inicialmente no final dos anos 801 . Utilizada com excelentes resultados em casos de TEPT - transtorno de estresse pós-traumático, o EMDR é também muito usado em geral no tratamento de transtornos de ansiedade, quadros depressivos e mesmo algumas reações de caráter psicossomático2 .

O conjunto de sintomas atuais apresentados pelos pacientes reflete no comportamento modos inadequados de armazenamento cerebral de memórias referentes a eventos traumáticos do passado. Estudos recentes em traumatologia e estados de vitimação, demonstram que esta nova abordagem de psicoterapia tem registado grandes êxitos em nível clínico e mudanças do funcionamento cerebral, com redução de atividade neurológica do hemisfério direito (principal responsável pelo registro de reações emocionais e orgânicas), bem como ativação do sistema nervoso autônomo (parassimpático), responsável por reações de relaxamento corporal e sentimentos de tranquilização.

Mais importante do que as reações de dessensibilização é o reprocessamento das experiências traumáticas. O reprocessamento significa a atribuição de novos sentidos, mais positivos a experiências traumáticas. Trata-se de uma ressignificação que permite a transmutação de crenças negativas (como por exemplo: sou suja, a culpa pelo que houve foi minha) em auto-avaliações positivas (fiz o melhor que pude, sou uma pessoa confiável, etc). Francine Shapiro afirma que se tivesse inventado o EMDR hoje, teria batizado essa abordagem psicoterápica de terapia de reprocessamento ou Processamento Acelerado de Informação. O reprocessamento sinaliza o acesso de material traumático armazenado sob forma dependente de estado a redes neuronais de aprendizagem com conteúdo mais adaptativo para o sujeito.

O EMDR é ministrado na prática clínica por médicos psiquiatras e psicólogos formados que se submeteram a treinamento específico (composto no Brasil e Portugal por três níveis de especialização e supervisão obrigatória).

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre psicologia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.