Neil deGrasse Tyson

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Neil deGrasse Tyson
Astrofísica, Cosmologia física, Comunicação científica
Niel Tyson na celebração do 40° aniversário da missão Apollo 11 no Museu Nacional Aeroespacial em Washington, julho de 2009
Nascimento 5 de outubro de 1958 (56 anos)
Local Manhattan, Nova York, Estados Unidos[1]
Atividade
Campo(s) Astrofísica, Cosmologia física, Comunicação científica
Instituições Hayden Planetarium, PBS, Planetary Society
Alma mater Universidade de Harvard (AB)
Universidade do Texas em Austin(MA)
Universidade da Columbia (MPhil, PhD)
Influenciado(s) Isaac Newton, Carl Sagan, Richard Feynman, Albert Einstein
Prémio(s) Medalha NASA por Serviço Público de Destaque
Notas Site oficial (em inglês)

Neil deGrasse Tyson (play /ˈnəl dəˈɡræs ˈtsən/; 5 de outubro de 1958) é um divulgador científico e astrofísico dos Estados Unidos. É atualmente o Diretor Frederick P. Rose do Planetário Hayden no Centro Rose para a Terra e o Espaço e investigador associado do departamento de astrofísica no Museu Americano de História Natural. De 2006 a 2011 foi apresentador do programa de televisão de educação científica NOVA scienceNOW, no canal de televisão PBS, e tem sido um convidado frequente dos programas The Daily Show, The Colbert Report, Real Time with Bill Maher e Jeopardy!.

Neil deGrasse Tyson criticou James Cameron por este ter colocado o céu noturno errado numa das cenas finais do filme Titanic, exibido em 1997. Tyson enviou um e-mail a Cameron "um tanto quanto sarcástico dizendo que, em 1912, naquela época do ano, naquela posição no Atlântico, quando Rose (Kate Winslet) olhava as estrelas, aquele não é o céu estrelado que ela teria visto." James Cameron acabou por corrigir o erro na reedição 3D do Titanic em 2012. Esta foi uma das poucas alterações que o realizador teria feito.[2] [3] [4] [5]

Início de vida[editar | editar código-fonte]

Tyson é o segundo de três irmãos, nasceu num bairro de Manhattan na cidade de Nova York, mas cresceu em Bronx.[1] A sua mãe, Sunchita Feliciano Tyson, foi gerontologista e o seu pai, Cyril deGrasse Tyson, foi sociólogo, comissário de recursos humanos para o prefeito da cidade de Nova York, John Lindsay, e foi o primeiro diretor da HARYOU.[6] [7] Tyson frequentou a Bronx High School of Science (1972–1976, com ênfase em astrofísica) onde foi o capitão da equipe de wrestling e redator-chefe do Physical Science Journal da escola. Tyson, depois de uma visita ao Hayden Planetarium, teve um interesse permanente por astronomia desde os seus nove anos de idade. Tyson relembra, "era tão marcante (o céu da noite) que estou certo que fiquei sem escolha, de facto o universo chamou-me"[8] Estudou astronomia na sua adolescência e até obteve alguma fama na comunidade de astronomia ao dar palestras sobre o tema quando tinha 15 anos.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Tyson investiga formação e evolução estelar, como também cosmologia e astronomia galáctica. Já ocupou vários cargos em instituições como a Universidade de Maryland, Universidade de Princeton, o Museu Americano de História Natural e o Planetário Hayden.

É autor de vários livros sobre astronomia. Em 1995 começou a escrever a coluna "Universe" para a revista Natural History. Nesta coluna, em 2002, introduziu a expressão "Manhattanhenge" para descrever um fenómeno que ocorre duas vez por ano na cidade de Manhattan. O sol da tarde fica alinhado com duas das principais ruas da grelha de Manhattan, permitindo que se observe o pôr-do-sol sem qualquer obstrução. Esta coluna influenciou também o seu trabalho como professor nas palestras da coleção The Great Courses.[9]

Em 2001, o então presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, nomeou-o para fazer parte da Comissão para o Futuro da Indústria Aeroespacial dos Estados Unidos e, em 2004, da Comissão do Presidente para a Implementação da Política de Exploração Espacial do Estados Unidos, esta última também ficou conhecida como a Comissão da "Lua, Marte e mais além". Pouco mais tarde foi galardoado com a Medalha NASA por Serviço Público de Destaque, a mais alta distinção civil conferida pela NASA.[10]

Tyson em dezembro de 2011 numa conferência que assinalava os mil dias depois do lançamento da sonda espacial Kepler

Em 2004 foi apresentador do programa de televisão "Origins", uma mini-série de quatro episódios, transmitida pela Nova da PBS,[11] e, em coautoria com Donald Goldsmith, publicou o volume que acompanhava a série, Origins: Fourteen Billion Years Of Cosmic Evolution.[12] Em abril de 2009 colaborou novamente com Goldsmith, como narrador do documentário 400 Anos do Telescópio que estreou na PBS.

Como diretor do Planetario de Hayden, opôs-se ao pensamento tradicional que se referia a Plutão como o nono planeta. Tyson explicou que queria ver as semelhanças entre objetos, agrupando os planetas terrestres, os planetas gigantes gasosos e Plutão, com objetos que lhe eram semelhantes, evitando que se contasse simplesmente os planetas. Declarou no Colbert Report, no Daily Show e no BBC Horizon que esta decisão deu origem a uma grande quantidade de mensagens de ódio, muitas das quais de crianças.[13] Em 2006, a I.A.U. confirmou esta avaliação ao mudar a classificação de Pluto para "planeta anão". Tyson mostrou a sua frustração na entrevista com Daniel Simone afirmando, "por uns tempos, não fomos muito populares aqui no Planetário de Hayden."

Tyson já foi vice-presidente, presidente e presidente do conselho administrativo da Sociedade Planetária. Até 2011 foi o apresentador do programa Nova ScienceNow da PBS.[14] Participou e falou no simpósio Para Além da Crença: Ciência, Religião, Razão e Sobrevivência em novembro de 2006. Em 2007, Tyson, que é conhecido pelo seu carácter vibrante, comportamento alegre e pela sua admiração da vastidão do universo, foi escolhido para aparecer regularmente no popular programa de televisão do Canal História, o The Universe,.

Em maio de 2009, lançou um programa de rádio de um hora chamado StarTalk, que apresentava em conjunto com o comediante Lynne Koplitz. O programa foi transmitido aos sábados à tarde na estação KTLK AM em Los Angeles e na WHFS em Washington. Teve a duração de treze semanas mas foi relançado em dezembro de 2010, apresentado então pelos comediantes Chuck Nice e Leighann Lord em vez Koplitz. O programa também está disponível na Internet numa transmissão ao vivo ou na forma de podcast.[15]

Em abril de 2011, foi o orador principal na 93ª Convenção Internacional da Phi Theta Kappa International Honor Society do Two-year School. Ele e James Randi deram a palestra intitulada Skepticism, que estava diretamente relacionada com o tema da convenção de “Democratização da Informação: Poder, Perigo e Promessa”.

Pontos de vista[editar | editar código-fonte]

"A característica mais importante é a análise da informação que vem no seu sentido. E isso é o que eu não vejo o suficiente neste mundo. Há um nível de credulidade que deixa as pessoas suscetíveis a que se aproveitem delas.
Eu vejo a literacia científica como uma espécie de vacina contra os charlatães que poderão tentar aproveitar-se da da sua ignorância."

Neil deGrasse Tyson da transcrição de um entrevista por Roger Bingham
The Science Network [16] [17]

Tyson tem argumentado que o conceito de design inteligente impede o avanço do conhecimento científico.[18] [19] [20] Ao ser questionado sobre se acredita num poder superior, responde: "Todas as menções a um poder superior que já vi descritas, de todas as religiões que conheço, incluem referências à benevolência desse poder. Quando observo o universo e todas as maneiras que o universo tem para nos matar, tenho dificuldades em fazer corresponder isso com afirmações de beneficência."[21] Numa entrevista para o podcast Point of Inquiry, Tyson definiu-se como sendo agnóstico.[22] [23]

Tyson com alunos na conferência American Astronomical Society de 2007

Já escreveu e divulgou amplamente os seus pontos de vista sobre a religião, espiritualidade e a espiritualidade da ciência, incluindo as dissertações "The Perimeter of Ignorance" (O Perímetro da Ignorância)[24] e "Holy Wars" (Guerras Santas),[20] que apareceram na revista Natural History e no workshop Beyond Belief de 2006.[25] [26] Tyson colaborou com o biólogo evolucionista Richard Dawkins em palestras sobre religião e ciência.[27]

Tyson viveu perto do World Trade Center e foi testemunha dos ataques de 11 de setembro. Escreveu uma carta com grande circulação relatando o que tinha observado.[28] A 6 de junho de 2008, depois das eleições primárias, escreveu um artigo de opinião no New York Times onde fazia uma análise estatística de uma sondagem da altura. Concluiu que se a eleição se realizasse nesse momento, Barack Obama perderia para John McCain, quando Hillary Clinton venceria.[29]

Colaborou com a PETA num anúncio de utilidade pública onde declarava, "não é preciso ser um cientista espacial para saber que a bondade é uma virtude."[30] Numa entrevista à PETA falou sobre o conceito de inteligência (de humanos e outros animais), a incapacidade dos humanos comunicarem de forma significativa com outros animais e a necessidade de humanos empáticos.[31]

Tyson é um defensor das operações de expansão da NASA. Argumentando que "a mais poderosa agência para os sonhos da nação é atualmente subfinanciada para fazer aquilo que necessita ser feito,"[32] Tyson afirma que, nos Estados Unidos, as pessoas em geral têm uma tendência para sobrestimar a receita que é atribuída à agência espacial. Numa declaração em março de 2010 afirmou, "já agora, qual é o custo da NASA? É meio cêntimo de um dólar. Sabiam disso? As pessoas dizem, 'porque estamos a gastar dinheiro lá em cima?...' Eu pergunto-lhes, 'quanto pensam que estamos a gastar?' Eles dizem 'cinco cêntimos, dez cêntimos de um dólar.' É metade de um cêntimo."[32]

Em março de 2012, testemunhou perante o Comitê de Ciência do Senado dos Estados Unidos, declarou que "atualmente, o orçamento anual da NASA é metade de um cêntimo em cada dólar taxado. Pelo dobro disso - um cêntimo de dólar - podemos transformar o país de uma nação desanimada e taciturna, cansada de esforços económicos, para uma onde tem recuperado o seu direito de nascença para sonhar o amanhã."[33] [34] A organização sem fins lucrativos Penny4NASA, inspirada nas declarações de Tyson, foi fundada por John Zeller em 2012 para defender a duplicação do orçamento da NASA para um porcento do Orçamento Federal, equivalente a "um cêntimo por cada dolar."[35]

Presença na comunicação social[editar | editar código-fonte]

Tyson na The Amazing Meeting 6.

Como comunicador de ciência, Tyson aparece regularmente na televisão, rádio e outros tipos de comunicação social. Tem sido um convidado regular no Colbert Report e o apresentador Stephen Colbert faz-lhe uma referência no seu livro cómico I Am America (And So Can You!).[36] Apareceu imensas vezes no Daily Show com Jon Stewart. Também já apareceu algumas vezes no Late Night with Conan O'Brien, The Tonight Show with Jay Leno,Late Night with Jimmy Fallon e The Rachel Maddow Show.[37] Foi um dos entrevistados principais em vários episódios do programa de ciência do Canal História, O Universo. Tyson participou no programa de rádio da NPR de 2007, Wait Wait... Don't Tell Me!.[38] Apareceu várias vezes no Real Time with Bill Maher e foi também mencionado num episódio do Quem Quer Ser Milionário?[39] Também falou várias vezes no célebre programa de Filadélfia, Preston and Steve, na rádio 93.3 WMMR.

Tyson já foi entrevistado nos podcasts The Skeptics' Guide to the Universe, Radiolab e Skepticality, e esteve em vários vídeos Symphony of Science.[40] [41]

Em 2007 foi o orador principal durante a cerimónia de dedicação do novo centro de ciência da Academia Deerfield, o Koch Center. Enfantizaou o impacto que ciência terá no século XXI, explicou também que os investimentos na ciência são caros mas o seu retorno na forma de conhecimento adquirido e o interesse que desperta são inestimáveis. Também apareceu como orador principal na conferência The Amazing Meeting, sobre ciência e ceticismo, organizada pela James Randi Educational Foundation.

Tyson fez uma participação como ele mesmo no episódio "Brain Storm" do Stargate Atlantis[42] ao lado de Bill Nye e no episódio "The Apology Insufficiency" do Big Bang Theory.[43]

Participa frequentemente na secção AMAs (Ask Me Anythings) do sítio web Reddit onde é responsável por 3 itens do top 10 dos mais populares de todos os tempos do AMAs.[44]

No Action Comics #13 (janeiro de 2013), que foi publicado a 7 de novembro de 2012, apareceu na história, na qual determina que o planeta natal do Superhomem, Krypton, orbitava a estrela anã vermelha LHS 2520 na constelação Corvus, a 27,1 anos luz da Terra. Tyson ajudou a DC Comics a selecionar uma estrela real que pudesse ser uma estrela mãe adequada para Krypton, e escolheu Corvus, que é o nome em Latin para "Corvo".[45] [46]

A 5 de agosto de 2011 foi anunciado que Tyson iria apresentar a sequela da série de televisão Cosmos de Carl Sagan.[47] A série com o título Cosmos: A Spacetime Odyssey terá 13 episódios e irá estrear em 2014, vai passar nos canais National Geographic e Fox, o trailer oficial foi divulgado na Comic-Con de 2013.[48] [49]

Em 2012, anunciou que iria aparecer numa série no Youtube baseada no seu popular programa de rádio, StarTalk. O programa estreou a 1 de novembro de 2012, é distribuído no canal Nerdist, no YouTube.[50] [51]

Vida pessoal[editar | editar código-fonte]

Tyson vive em Lower Manhattan com a sua mulher e dois filhos.[52] [53]

É um entusiasta de vinhos cuja colecção foi apresentada em maio de 2000 numa edição da Wine Spectator e na edição da primavera de 2005 da World of Fine Wine.

Prémios e homenagens[editar | editar código-fonte]

Autografando uma cópia do seu livro Origins. Fotografia tirada na conferência "The Amazing Meeting 6", da JREF

Prémios[editar | editar código-fonte]

Homenagens[editar | editar código-fonte]

  • 2000 O mais Sexy Astrofísico vivo, People Magazine[55]
  • 2001 Asteroide chamado: 13123 Tyson, renomeado do asteroide 1994KA pela International Astronomical Union
  • 2001 The Tech 100, os editores da Crain's Magazine votam para estar entre os 100 líderes mais tecnologicamente mais influentes em Nova York
  • 2004 Os Cinquenta Afro-Americanos mais Importantes na Pesquisa Científica[56]
  • 2007 Harvard 100: Os antigos alunos de Harvard mais influentes,Harvard Alumni Magazine, Cambridge. Massachusetts
  • 2007 O Time 100, eleito pelos editores da Time Magazine como uma das 100 pessoas mais influentes do mundo[57]
  • 2008 A revista Discover seleccionou-o como um dos "50 Cérebros na Ciência".[58]

Doutoramentos Honoris Causa[editar | editar código-fonte]

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Neil deGrasse Tyson

Lista bibliográfica de alguns livros da autoria de Neil deGrass Tyson:[59]

Referências

  1. a b Neil deGrasse Tyson - Called by the Universe The Science Network (23 de julho de 2009). Visitado em 7 de fevereiro de 2013.
  2. James Cameron altera posição das estrelas em cena da nova versão omelete.uol.com.br (abril de 2012). Visitado em 12 de fevereiro de 2013.
  3. Rodrigo Ghedin (abril de 2012). Ui, ele sabe onde estavam as estrelas no dia do naufrágio do Titanic gizmodo.com.br. Visitado em 12 de fevereiro de 2013.
  4. Maura Judkis (03 de abril de 2012). [1] Titanic night sky adjusted after Neil deGrasse Tyson criticized James Cameron] Washington Post - The Stylo Blog. Visitado em 12 de fevereiro de 2013.
  5. Aylin Zafar (03 de abril de 2012). [2] Astrophysicist Gets James Cameron to Correct the Stars in Titanic 3D] Time. Visitado em 12 de fevereiro de 2013.
  6. Whitaker, Charles. .ISSN 0012-9011.. Super Stargazer - Ebony 55. [S.l.: s.n.], agosto de 2000. 58,60 e 62 pp.
  7. Reading for Keynote address Cornerstone. Visitado em 4 de setembro de 2009.
  8. Stephen Colbert Interviews Neil deGrasse Tyson. Acessado em 6 de fevereiro de 2013.
  9. Neil deGrasse Tyson. Visitado em 13 de junho de 2012.
  10. a b Symposium Awards National Space Symposium. Visitado em 25 de outubro de 2010.
  11. WGBH Educational Foundation (2004). NOVA – Origins – PBS Public Broadcasting Service (PBS). Visitado em 7 de junho de 2009.
  12. Tyson, Neil deGrasse; Goldsmith, Donald. Origins: Fourteen Billion Years of Cosmic Evolution. New York: W.W. Norton & Co, 2004. ISBN 978-0-393-05992-2.
  13. The Colbert Report, 17 de agosto de 2006
  14. NOVA –scienceNOW – PBS. Visitado em 7 de junho de 2009.
  15. StarTalk Radio Show. Visitado em 30 de maio de 2011.
  16. TSN: Called by the Universe Thesciencenetwork.org. Visitado em 26 de agosto de 2012.
  17. Called by the Universe | Neil deGrasse Tyson Haydenplanetarium.org. Visitado em 26 de agosto de 2012.
  18. Neil deGrasse Tyson on "Intelligent Design" at "Beyond Belief" haydenplanetarium.org (5 de novembro de 2006). Visitado em 9 de fevereiro de 2013.
  19. Neil deGrasse Tyson : "The Perimeter of Ignorance" Haydenplanetarium.org. Visitado em 9 de fevereiro de 2013.
  20. a b Holy Wars from PBS.
  21. Neil deGrasse Tyson - Space Chronicles pointofinquiry.org (9 de abril de 2010). Visitado em 9 de fevereiro de 2013.
  22. Tyson, Neil deGrasse. Entrevista com Chris Mooney. Entrevista com Neil deGrasse Tyson - Communicating Science. Point of Inquiry. Center for Inquiry. 28 de fevereiro de 2011. Visitado em 29 de janeiro de 2013.
  23. Tyson, Neil deGrasse. Neil deGrasse Tyson: Atheist or Agnostic? bigthink.com. Visitado em 9 de fevereiro de 2013.
  24. The Perimeter of Ignorance Tyson's website. Visitado em 12 de fevereiro de 2012.
  25. Beyond Belief 2006: Science, Religion, Reason and Survival.
  26. Neil deGrasse Tyson (5 de novembro de 2006). Beyond Belief '06 thesciencenetwork.org. Visitado em 9 de fevereiro de 2013.
  27. Richard Dawkins website Richarddawkins.net. Visitado em 3 de fevereiro de 2012.
  28. "The Horror, The Horror" Tyson's website. Visitado em 12 de fevereiro de 2012.
  29. Neil deGrasse Tyson. (June 6, 2008). "Vote by Numbers". Visitado em 7 de junho de 2009.
  30. Dr. Neil deGrasse Tyson's Interview With PETA. Visitado em August 6, 2011.
  31. Dr. Neil deGrasse Tyson's Exclusive PETA Interview. Visitado em 9 de fevereiro de 2013.
  32. a b Neil deGrasse Tyson at UB: What NASA Means to America's Future nasawatch.com (2 de abril de 2013). Visitado em 9 de fevereiro de 2013.
  33. Past, Present, and Future of NASA - U.S. Senate Testimony Hayden Planetarium (07 de março de 2012). Visitado em 4 de dezembro de 2012.
  34. Past, Present, and Future of NASA - U.S. Senate Testimony (Video) Hayden Planetarium (07 de março de 2012). Visitado em 04 de dezembro de 2012.
  35. Why We Fight-Penny4NASA Penny4NASA. Visitado em 12 de fevereiro de 2013.
  36. Stephen, Colbert. I Am America (And So Can You!). New York: Grand Central Publishing Hachette Book Group USA, 2007. ISBN 0-446-58050-3.
  37. Watch | Neil deGrasse Tyson Haydenplanetarium.org. Visitado em 3 de fevereiro de 2012.
  38. Título não preenchido, favor adicionar NPR.
  39. Episode 201 guest stars HBO. Visitado em 9 de fevereiro de 2011 e 5 de agosto de 2011.
  40. Episode: A Theory of Everything? Podcast PodcastDirectory. Visitado em 3 de fevereiro de 2012.
  41. Episode: Proving String Theory Podcast PodcastDirectory. Visitado em 3 de fevereiro de 2012.
  42. ""Stargate: Atlantis" Brain Storm (2008)" (em inglês) no Internet Movie Database
  43. ""The Big Bang Theory" The Apology Insufficiency (2010)" (em inglês) no Internet Movie Database
  44. Inside the Reddit AMA: The Interview Revolution That Has Everyone Talking Forbes. Visitado em 5 de maio de 2012.
  45. Wall, Mike (7 de novembro de 2012). "Superman's Home Planet Krypton 'Found'" Scientific American.
  46. Potter, Ned (5 de novembro de 2012). "Superman Home: Planet Krypton 'Found' in Sky" ABC News.
  47. Blum, Matt. (5 de agosto de 2011). "Cosmos Will Get a Sequel Hosted by Neil deGrasse Tyson". Wired.
  48. Deborah Byrd (21 de julho de 2013). Official trailer for Neil deGrasse Tyson’s re-release of Cosmos Earth Sky. Visitado em 21 de julho de 2013.
  49. T.C. Sottek (20 de julho de 2013). 'Cosmos: A Spacetime Odyssey' trailer warps Carl Sagan's classic adventure into the 21st century The Verge. Visitado em 21 de julho de 2013.
  50. Nerdist Podcast (outubro de 2012). Nerdist Podcast: Neil Degrasse Tyson Returns! nerdist.com. Visitado em 9 de fevereiro de 2013.
  51. Perry Michael Simon (1 de novembro de 2012). “StarTalk” Lifts Off Neirdist. Visitado em 9 de fevereiro de 2013.
  52. Profile on Official Tyson website Haydenplanetarium.org. Visitado em 3 de fevereiro de 2012.
  53. Dr Neil DeGrasse Tyson – TAM6" Vimeo (2008). Visitado em 4 de março de 2011. "minuto 38:33"
  54. Neil deGrasse Tyson. Curriculum Vitae hayden planetarium. Visitado em 12 de fevereiro de 2013.
  55. (13 de novembro de 2000) "Neil De Grasse Tyson: Sexiest Astrophysicist". People Magazine 54 (20). Visitado em 16 de dezembro de 2011.
  56. "50 Of the Most Inspiring African Americans", Edited by Patricia Hinds, 2002, Essence Books (New York), p. 145.
  57. Michael D. Lemonick. (3 de maio de 2007). "Neil deGrasse Tyson". Visitado em 7 de junho de 2009.
  58. Powell, Corey (19 de novembro de 2008). The 50 Most Important, Influential, and Promising People in Science RevistaDiscover. Visitado em 25 de outubro de 2009.
  59. Books by Neil deGrasse Tyson haydenplanetarium.org. Visitado em 25 de outubro de 2009.
  60. Tyson, Neil deGrasse. Space Chronicles: Facing the Ultimate Frontier. [S.l.]: W. W. Norton & Company, 2012. 384 pp. ISBN 978-0393082104.
  61. Tyson, Neil deGrasse. The Pluto Files: The Rise and Fall of America's Favorite Planet. [S.l.]: Norton, 2009. 194 pp. ISBN 9780393065206.
  62. Tyson, Neil deGrasse. Death by Black Hole: And Other Cosmic Quandaries. [S.l.]: W. W. Norton, 2007. 384 pp. ISBN 9780393330168.
  63. Tyson, Neil deGrasse. The Sky Is Not the Limit: Adventures of an Urban Astrophysicist. 2. ed. [S.l.]: Prometheus Books, 2004. 203 pp. ISBN 9781591021889.
  64. Goldsmith, Donald; Tyson, Neil deGrasse. Origins: Fourteen Billion Years of Cosmic Evolution. [S.l.]: W. W. Norton, 2005. 352 pp. ISBN 9780393327588.
  65. Tyson, Neil deGrasse. My Favorite Universe. Col.: The great courses. [S.l.]: Teaching Company, LLC, 2003. 233 pp. ISBN 9781565856943.
  66. Tyson, Neil deGrasse. City of Stars: A New Yorker's Guide to the Cosmos. [S.l.]: American Museum of Natural History, 2002. 111 pp.
  67. Soter, Steven; American Museum of Natural History. Cosmic Horizons: Astronomy at the Cutting Edge. [S.l.]: New Press, 2001. 253 pp. ISBN 9781565846029.
  68. Tyson, Neil de Grasse; Liu, Charles Tsun-Chu; Irion, Robert. One Universe: At Home in the Cosmos. [S.l.]: Joseph Henry Press, 1999. 145 pp. ISBN 9780309064880.
  69. Tyson, Neil de Grasse. Just Visiting This Planet. [S.l.]: Crown Publishing Group, 2011. 352 pp. ISBN 9780385488372.
  70. Tyson, Neil deGrasse. Universe Down to Earth. [S.l.]: Columbia University Press, 1995. 277 pp. ISBN 9780231075619.
  71. Tyson, Neil deGrasse. Merlin's Tour of the Universe. [S.l.]: Crown Publishing Group, 2011. 316 pp. ISBN 9780385488358.