Jean-Antoine Houdon

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Jean Antoine Houdon
Estátua de Houdon em Versalhes
Nascimento 20 de Março de 1741
Versalhes
Morte 15 de Julho de 1828
Paris
Nacionalidade francesa
Ocupação escultor

Jean-Antoine Houdon (Versalhes, 20 de Março de 1741Paris, 15 de Julho de 1828) foi um escultor de estilo neoclássico francês. Houdon ficou famoso pelos bustos e estátuas que esculpiu de filósofos, inventores e figuras políticas do iluminismo. Houdon tem entre suas obras bustos e estátuas de Denis Diderot (1771), Benjamin Franklin (1778-79), Jean-Jacques Rousseau (1778), Voltaire (1781), Molière (1781), George Washington (1785-88), Thomas Jefferson (1789), Louis XVI (1790), Robert Fulton (1803-04) e Napoleão Bonaparte (1806).

Biografia[editar | editar código-fonte]

Nascido em Versalhes, Houdon ganhou o Prix de Rome em 1761, mas não foi influenciado pela arte antiga ou renascentista de Roma. Sua estada na cidade foi marcada por duas importantes e características produções: um magnífico Ecorché, um modelo anatômico que ainda hoje serve de guia para todo tipo de artistas, e a estátua de São Bruno na igreja de Santa Maria degli Angeli e dei Martiri em Roma. Depois de dez anos de estadia na Itália, Houdon retorna a Paris.

A estátua de George Washington resultou de um convite feito por Benjamin Franklin para que Houdon cruzasse o Atlântico e visitasse o palácio Mount Vernon, lá o então general pôde lhe servir de modelo. Washington posou para modelos de argila e para uma máscara de gesso em 1785. Esses modelos serviram para várias homenagens a Washington, incluindo a representação dele de pé localizada no capitólio do estado de Virginia em Richmond. Numerosas variações do busto de Washington foram produzidas, retratando-o como um general em uniforme, da maneira clássica mostrando a musculatura peitoral ou como como o cônsul romano Lúcio Quíncio Cincinato vestindo uma toga. Uma versão desse último tipo está no edifício sede do estado de Vermont.

Houdon se tornou membro da Academia Real de Pintura e Escultura em 1771, e professor em 1778. Encarado como burguês pelas suas ligações com a corte de Louis XVI, ele caiu em desfavores durante a Revolução Francesa, apesar de não ter sido preso. Houdon voltou a ser favorecido durante o Consulado e Império.

Houdon morreu em Paris e foi enterrado no cemitério de Montparnasse.

Obras[editar | editar código-fonte]

Galeria[editar | editar código-fonte]

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Este artigo incorpora texto da Encyclopædia Britannica (11ª edição), publicação em domínio público.
  • "Houdon, Jean-Antoine." Encyclopædia Britannica. Ultimate Reference Suite. Chicago: Encyclopædia Britannica, 2009.
  • Davis, John; Leshko, Jaroslaw. The Smith College Museum of Art: European and American painting and sculpture, 1760-1960. Hudson Hills, 2000. ISBN 1555951945
  • Poulet, Ann L. Jean-Antoine Houdon: Sculptor of the Enlightenment. University of Chicago Press: 2003. ISBN 0-226-67647-1.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui multimídias sobre Jean-Antoine Houdon
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.