John Claudius Loudon

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

John Claudius Loudon (Cambuslang, Lanarkshire, 8 de abril de 1783Bayswater, Londres, 14 de dezembro de 1843) foi um botânico, arquiteto e paisagista escocês.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Loudon nasceu na Escócia em uma família que exercia uma próspera exploração agrícola. Passou a sua juventude adquirindo informações práticas sobre os vegetais e sobre agricultura.

Ainda adolescente, Loudon estudou química, botânica e agricultura na Universidade de Edimburgo. Em 1803, Loudon publicou um artigo intitulado Observations on Laying out the Public Spaces in London, em Londres, numa revista literária.

Em 1806, foi acometido de uma crise de reumatismo articular agudo que deixou sua mão esquerda aleijada, porém continuou escrevendo. Como a sua condição foi deteriorando com o tempo, Loudon foi forçado a contratar um desenhista e outras pessoas para ajudá-lo.

Em 1808, o general Stratton o contrata para reparar o seu parque em Tew e cultivar as suas terras. Fundou uma escola para ensinar aos jovens fazendeiros modos de de arrendamento e as diferentes maneiras de cultivar o solo. Com a finalidade de melhorar a divulgação dos conhecimentos em agronomia, editou na mesma época uma brochura intitulada The Utility of Agricultural Knowledge to the Sons of the Landed Proprietors of Great Britain, &c., by a Scotch Farmer and Land-Agent.

Viajou para a Europa de 1813 à 1814, iniciando estudos para melhorias de sistemas agrícolas e, especialmente, construção de estufas. Também preocupou-se com a orientação da posição de vidraças com a finalidade de otimizar a luminosidade. Igualmente, interessou-se pelo uso da energia solar para a calefação de alojamentos.

A visão de Loudon sobre planejamento urbanistico era muito avançada para a sua época. Encontra-se um exemplo na sua obra Hints for Breathing Places for Metropolis , publicada em 1829, onde descreve a possibilidade de planificar a criação de espaços verdes em Londres com o objetivo de melhorar a qualidade de vida dos habitantes desta cidade.

Em 1832, ele definiu uma teoria de paisagismo, onde observa que a planta deve ser colocada nas melhores condições possíveis a fim de assegurar-lhe um bom crescimento. Considerava-se, no início do século XIX, que os jardins não deviam imitar a natureza, por isso Loudon escolhe formas geométricas para desenhá-los.

Obras[editar | editar código-fonte]

Loudon foi um autor prolífico. Sua primeira publicação foi:

  • The Encyclopedia of Gardening de 1822.

Após este sucesso, publicou:

  • The Encyclopedia of Agricultura em 1825.

Fundou em 1826 a revista Gardener’s Magazine, a primeira publicação periódica inteiramente dedicada a horticultura.

Pouco tempo depois, em 1828, começou a publicar a revista Magazine of Natural History .

Publicou também numerosos artigos :

  • The Encyclopedias of Plants (1828) ;
  • The Encyclopedia of Cottage, Farm, Villa Architecture (1834) ;
  • Arboretum et Fruticetum Britannicum (1838)
  • Suburban Gardener (1838)
  • The Encyclopedias of Trees and Shrubs (1842)
  • Cemeteries (1843).

Através destas publicações, ele desejou obter uma grande audiência para suas idéias sobre a criação de espaços comuns e para a melhoria dos equipamentos das cidades. As publicações eram dirigidas ao grande público e aos profissionais da área.

Principais realizações de Loudon[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

  • Rogers, Elizabeth B. (2001). Landscape Design: A Cultural and Architecture History. New York: Harry N. Abrams.
  • Thompson, I. (2003). 19th Century Design. Retrieved September 23, 2004 from [1]
  • Turner, Tom. (&). Introduction to John Claudius Loudon’s 1829 plan for London. Retrieved September 23, 2004 from [2]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]