Línguas Estrangeiras Aplicadas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

O curso de Línguas Estrangeiras Aplicadas ou simplesmente "LEA" é um bacharelado diversificado. O estudante de LEA poderá estudar objetos variados como Economia, Turismo, Marketing, Relações Internacionais entre outros assuntos além de outras línguas como Inglês, Espanhol e Francês.

Desenvolve a aptidão no profissional desta área competências para o âmbito plurilíngue exigindo não apenas a competência prática das línguas estrangeiras como também na competência analítica necessária para o uso itensivo das línguas estrangeiras em sua área de atuação.


Origem[editar | editar código-fonte]

O curso de Línguas Estrangeiras Aplicadas foi criado na França para substituir os cursos de tradução, além de construir um novo tipo de profissional apto a qualquer área de conhecimento.


No Brasil[editar | editar código-fonte]

No Brasil existe atualmente quatro opções de graduação em LEA, sendo a oferecida pela Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC) a pioneira no Brasil e na América Latina. Na UESC, na Universidade Federal da Paraíba e mais recentemente no Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca, o curso é voltado para o ramo de Turismo, Economia, Contabilidade, Administração e Negociações Internacionais. Já na Universidade de Brasília o curso é focado em Informática e na Sociedade, juntamente ao Multilinguismo.

LEA às Negociações Internacionais (UESC) - LEA.NI[editar | editar código-fonte]


Pioneiro no Brasil e na América Latina, o projeto do Curso de 'Línguas Estrangeiras Aplicadas às Negociações Internacionais' - LEA-NI foi concebido em sistema de cooperação internacional, fruto de convênios assinados em 1999 e 2000 entre a Universidade Estadual de Santa Cruz e a Université de La Rochelle (França), com o apoio da Embaixada da França no Brasil. O Curso LEA teve seu funcionamento autorizado pela Resolução CONSEPE de nº. 11/2002, publicado no D. O. E. em 20/08/2002, e a sua implantação ocorreu no primeiro semestre de 2003. Em 2008, Curso de Bacharelado em Línguas Estrangeiras Aplicadas às Negociações Internacionais – LEA foi reconhecido pelo Conselho Estadual de Educação através do Parecer CEE 174.

Lotado no Departamento de Letras e Artes (em função da sua ênfase em línguas estrangeiras), o Curso envolve outros seis departamentos acadêmicos da universidade, englobando disciplinas de Economia, Administração, Direito, História, Cultura, Contabilidade, Negociações Internacionais e, o ensino de três línguas estrangeiras: Inglês, Francês e Espanhol. A partir dessa fusão, o curso visa formar profissionais com amplo conhecimento geral e visão sistêmica, capaz de analisar situações de conflito e mediar negociações. Em linhas gerais, o Bacharelado LEA-NI visa a preparar novos atores com formação inter e multidisciplinar de cunho lingüístico, humanístico e técnico para intermediação em negociações. A conclusão do curso se dá pela apresentação de monografia elaborada pelo aluno e sob orientação de um professor.[1]

Mais informações: http://www.uesc.br/cursos/graduacao/bacharelado/lea/index.php?item=conteudo_apresentacao.php

Áreas de atuação[editar | editar código-fonte]

Convênios[editar | editar código-fonte]

Pelo seu caráter inter e multidisciplinar; ênfase em línguas estrangeiras e direcionamento às relações internacionais, o curso LEA desenvolve convênios e acordos com instituições nacionais e estrangeiras, elencadas a seguir.

Estágios[editar | editar código-fonte]

Os Estágios Supervisionados do LEA representam uma parte substancial da formação, concretizando, de forma sistemática, o princípio da interface teoria/prática que fundamenta o curso, articulado em três momentos que pontuam a formação, acompanhando seu ritmo e complementando as atividades pedagógicas, conforme a síntese a seguir:

  • 'Estágio I': Estágio de vivência lingüística após o Semestre IV a ser realizado preferencialmente no exterior, no período de recesso universitário, com 90 a 180 horas;
  • 'Estágio II': Estágio de vivência na cultura das organizações de inserção internacional sediadas no Brasil, após o Semestre VI, também a ser realizado em época de recesso, com 90 horas;
  • 'Estágio III': Estágio final de 360 a 480 horas centrado nas práticas de negociações internacionais em empresas ou outros tipos de organizações, a ser realizado no nono e último semestre do curso, preferencialmente no exterior.

LEA Jr. Consultoria[editar | editar código-fonte]

A 'LEA Jr. Consultoria', Empresa Junior do LEA-NI (UESC) foi fundada em 28 de novembro de 2006 com o objetivo de "Desenvolver um ambiente prático para a área empresarial". Através deste projeto de Consultoria, pretende-se proporcionar aos estudantes do LEA a oportunidade de aplicar os conhecimentos adquiridos, ao longo da graduação, para inseri-los, desde cedo, no mercado de trabalho. Busca-se com o mesmo incrementar a articulação entre o ensino de graduação e a comunidade externa, de forma a dar à sociedade o retorno dos investimentos realizados na UESC.

Atualmente conta com a participação de 13 membros e atua nas seguintes áreas:


LEA Negociações Internacionais (UFPB) - LEA.NI[editar | editar código-fonte]


Criado em 2009, o Curso de Graduação em 'Línguas Estrangeiras Aplicadas às Negociações Internacionais' (LEA), do Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes (CCHLA), Campus I, da UFPB, vem atender às necessidades emergentes das novas dinâmicas do mundo das organizações, através da formação de um novo perfil de profissional apto a atuar no campo dos diálogos e intercâmbios internacionais.

O LEA desenvolve uma formação pautada no conhecimento de três línguas estrangeiras – Espanhol, Francês e Inglês – com suas implicações culturais e sociais, além da língua e cultura maternas. Proporcionando conhecimentos aprofundados das línguas estudadas e das organizações contemporâneas, a partir de uma abordagem multi e interdisciplinar.

O egresso deste curso tem como qualificações básicas: a competência cultural e comunicativa em língua materna, três línguas estrangeiras e em técnicas de negociações internacionais; além da capacidade de assessorar, mediar e coordenar, participando do planejamento, elaboração e execução de ações que impliquem os diversos tipos de diálogo, troca e intercâmbio internacional, de natureza comercial e não comercial, no contexto das organizações contemporâneas.

Com a sua qualificação, o bacharel em 'Línguas Estrangeiras Aplicadas às Negociações Internacionais' estará apto a atuar em empresas, organizações e organismos de caráter público ou privado, governamental ou não-governamental, de pequeno, médio e grande porte, desde que tenham ou pretendam ter algum tipo de inserção internacional, e em escritórios de consultoria e assessoria que prestem serviços envolvendo o âmbito internacional, em diversas áreas da atividade humana, com destaque para as áreas de cultura, turismo, lazer, meio ambiente, comércio, serviços e gestão de comércio internacional.

A duração deste curso é de no mínimo 08 (oito) e máximo 12 (doze) períodos letivos, no turno vespertino, e o currículo será integralizado em 3.375 (três mil, trezentas e setenta e cinco) horas, equivalentes a 225 (duzentos e vinte e cinco) créditos. O ingresso no LEA dar-se-á por meio do SiSU, com uma entrada anual.Erro de citação: </ref> de fecho em falta, para o elemento <ref>

Línguas Estrangeiras Aplicadas ao Multilinguismo e à Sociedade da Informação (LEA-MSI), da Universidade de Brasília (UnB)[editar | editar código-fonte]


A graduação em Línguas Estrangeiras Aplicadas ao Multilinguismo e à Sociedade da Informação foi criada em 2010 na Universidade de Brasília, primeira instituição brasileira a oferecer esse tipo de graduação no campo da sociedade da informação. O surgimento de uma sociedade de informação e do conhecimento aprofundou a necessidade de difundir informações, produtos audiovisuais, realizar conferências internacionais multilíngues e levou diversas universidades internacionais à criação de cursos de graduação e pós-graduação em Línguas Estrangeiras Aplicadas. A escala de tais atividades, decorrente da globalização dos mercados e, numa escala menor, do multiculturalismo no mundo digital, passou a exigir a formação de novos profissionais, aptos a operar em um novo ambiente tecnológico. Nesse contexto, a criação do Bacharelado, cujo egresso atuará tanto nos setores público e privado nacionais e internacionais, assim como no terceiro setor e na área acadêmica, visa a preencher essa lacuna.

A formação[editar | editar código-fonte]

Os alunos recebem sólida formação em duas línguas estrangeiras e numa terceira opcional, num total de 120 créditos. Cursam também 17 disciplinas do módulo profissional nas áreas de aplicação: audiovisual, terminologia e multilinguismo no mundo digital. No 6º semestre, devem obrigatoriamente realizar Estágio Supervisionado em instituições públicas, privadas ou ONGs. Na UnB, o estudante pode participar de programas de iniciação científica desenvolvidos por professores da Instituição. O Instituto de Letras também promove palestras, seminários e workshops sobre temas da atualidade. Além disso, há oportunidade de realizar atividades extracurriculares organizadas pelos próprios alunos, com o apoio dos professores. Oportunamente, são realizadas simulações de conferências internacionais, por exemplo, para familiarizar os estudantes com esse tipo de conhecimento. Atualmente focado no estudo de três línguas – Inglês, Espanhol e Francês – o curso de Línguas Estrangeiras Aplicadas, com o apoio do Departamento de Línguas Estrangeiras e Tradução, também amplia o estudo para outras línguas, como Alemão, Italiano, Polonês, Japonês, bem como para sua aplicação em áreas específicas, reforço e/ou inclusão de novas línguas no mundo digital, terminologia, tradução e acessibilidade audiovisual, organização de conferências internacionais, censos linguísticos, criação de dicionários, entre outros.

O mercado de trabalho[editar | editar código-fonte]

Com a ampliação de atividades que requerem uma capacitação simultânea em línguas estrangeiras e um interesse intelectual por suas aplicações, o mercado de trabalho para o Bacharel em LEA-MSI está relacionado com a atividade das seguintes instituições: órgãos públicos nacionais e internacionais, agências de cooperação estrangeira, agências das Nações Unidas (por exemplo, UNESCO), Universidades, Câmara e Senado, academias de línguas, ONGs, bibliotecas multilíngues e editoras nacionais e internacionais. Há também oportunidades em instituições e empresas organizadoras de conferências internacionais, onde o profissional estará capacitado para assumir todas as atividades de apoio logístico para realização de tais eventos. O profissional graduado em LEA estará apto a atuar no planejamento de atividades internacionais, como eventos e negociações, na produção de conteúdos multimídia, na orientação ao turista, na internacionalização de empresas e produtos, na prospecção de mercados e clientes internacionais, no acompanhamento e gerenciamento do processo de importação e exportação de produtos e serviços e na carreira diplomática.

Convênios[editar | editar código-fonte]

O curso de LEA-MSI da Universidade de Brasília, junto à Assessoria de Assuntos Internacionais, firmou desde o primeiro semestre de 2012 um convênio de intercâmbio disciplinar com a Universidade de La Rochelle, na França. O convênio disponibiliza cinco vagas por semestre exclusivas a estudantes de LEA-MSI, que podem se candidatar ao intercâmbio a partir do 5° semestre. Além do convênio exclusivo com La Rochelle, os estudantes de LEA-MSI ainda gozam de outras oportunidades de intercâmbio advindas de convênios firmados pela Universidade de Brasília com diversas universidades parceiras em todo o mundo. Por causa de seu caráter multidisciplinar e ênfase no estudo das línguas, o LEA-MSI tem convênios e acordos com as seguintes universidades:

Empresa Júnior[editar | editar código-fonte]

A partir da necessidade de colocar em prática o que é estudado ao longo do curso, os alunos de LEA-MSI iniciaram a fundação da Empresa Júnior do curso no primeiro semestre de 2013. A Empresa, composta por alunos de diferentes semestres do curso, visa fornecer assessoria e consultoria em assuntos internacionais e na inserção das línguas estrangeiras estudadas no ciberespaço.


Línguas Estrangeiras Aplicadas às Negociações Internacionais (LEANI), do Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca - (CEFET/RJ)[editar | editar código-fonte]

O Bacharelado em Línguas Estrangeiras Aplicadas às Negociações Internacionais (LEANI) contribui para o crescimento institucional e o reconhecimento externo do CEFET/RJ em seu projeto de transformação em Universidade de Ciências Aplicadas. Além disso, reforça o papel social da instituição em formar profissionais capazes de aplicar conhecimentos técnicos, científicos e de natureza humana às atividades de produção e serviços de acordo com a dinâmica social de desenvolvimento do país. A implantação do Bacharelado em LEANI reforça a democratização do acesso à educação pública, o desenvolvimento científico-tecnológico e o atendimento de um campo profissional em plena expansão no Estado do Rio de Janeiro.

O Bacharelado em LEANI é o primeiro do Estado do Rio de Janeiro e o quarto no Brasil. A oferta do curso pelo CEFET/RJ reforça sua missão institucional, seu projeto de transformação em universidade, sua preocupação constante com o mundo do trabalho e a necessidade de formação de gestores internacionais com conhecimento cultural e linguístico para atuação no mundo contemporâneo.

Objetivos[editar | editar código-fonte]

O Curso de Bacharelado em LEANI tem como objetivo geral oferecer ao aluno uma formação que contemple, por um lado, princípios e valores legados pela tradição humanista e, por outro, formas de pensamento, organização e atuação impostos pela sociedade contemporânea.

O aluno do curso de Bacharelado em LEANI do CEFET/RJ desenvolverá o conhecimento de três línguas estrangeiras ( inglês, espanhol e francês ), de suas respectivas culturas, da língua materna e de saberes do mundo coorporativo (mediante contato com conhecimentos advindos da Administração, Economia, Direito, Turismo e Relações Internacionais). O objetivo é a formação de um profissional conhecedor de diferentes culturas e questões organizacionais.

O egresso do curso atenderá ao perfil profissional buscado por muitas empresas em nossa sociedade global e intercultural. O mundo empresarial busca um novo perfil profissional: mais flexível, dinâmico, apto a promover o diálogo e trocas internacionais. Isso implica em promover uma formação de nível superior mais articulada entre os processos socioculturais, políticos, tecnológicos e econômicos.

O Curso de Bacharelado em LEANI pretende formar bacharéis aptos a entrar no mercado de trabalho com as seguintes qualificações básicas:

(a) Conhecimento, vivência cultural e competência comunicativa em língua materna, em três línguas estrangeiras e em técnicas de negociações internacionais;

(b) Capacidade para assessorar, mediar, coordenar participando do planejamento, elaboração e execução de ações que impliquem os diversos tipos de diálogo, troca e intercâmbio internacional, de natureza comercial e não-comercial, no contexto das organizações contemporâneas.

Pretende-se, com a oferta deste bacharelado, atender às necessidades emergentes das novas dinâmicas do mundo das organizações, através da formação de um novo perfil de profissional apto a atuar no campo dos diálogos e intercâmbios internacionais.

Com a sua qualificação, o Bacharel em LEANI estará apto a atuar em: empresas públicas e privadas; assessorias internacionais; empresas com atuação internacional; diplomacia; consultorias; embaixadas; organizações não governamentais; setor de serviços: cultura, lazer, turismo, comércio, tradução, interpretação e revisão de textos.



[2]

Referências


Ver também[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Línguas Estrangeiras Aplicadas



Portal A Wikipédia possui o portal: