Lapónia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde janeiro de 2011).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Lapónia / Lapônia (Sápmi)
Sami flag.svg
Bandeira da Lapónia
LocationSapmi.png
Localização da Lapónia
Línguas oficiais Lapão, Norueguês, Sueco, Finlandês, Russo
Área 388 350 km²
População 70 000 Lapões
Hino Sámi soga lávlla
Zona horária UTC de +1 a +3

Lapónia (português europeu) ou Lapônia (português brasileiro) (Sápmi em lapão) é uma região no norte da Escandinávia, que abrange território de quatro países: Noruega, Suécia, Finlândia e Federação Russa (península de Kola) e que corresponde à região onde habitam os lapões, ou Sami.

Cerca de 70000 lapões vivem numa área de 390000 km², juntamente com suecos, noruegueses, finlandeses e russos.

A província mais setentrional da Finlândia também se chama Lapónia (Lappi em finlandês). De modo similar, a província sueca mais setentrional tem nome idêntico.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Lapões noruegueses na região de Nordkapp.
Paisagem laponiana na Suécia.
Paisagem laponiana na Rússia
Paisagem laponiana na Noruega.

O clima é subárctico e a vegetação é esparsa no extremo norte, enquanto que no sul aparece a floresta boreal. A costa oeste (na Noruega) é montanhosa mas tem Invernos mais suaves e mais precipitação que as planícies centrais e orientais. As temperaturas variam entre os 15 °C positivos no Verão e os -50 ºC no Inverno.

A Lapónia é rica em depósitos minerais de valor, particularmente minério de ferro na zona sueca, cobre na norueguesa, e níquel e apatite na russa. Renas, lobos, ursos e aves marítimas e terrestres são a fauna mais comum. A pesca é abundante, tanto fluvial como marítima. Todos os portos no Mar da Noruega e os do Mar de Barents a nordeste de Murmansk estão livres de gelo no Inverno. O Golfo de Bótnia congela habitualmente na estação mais fria.

Etnografia[editar | editar código-fonte]

Com uma densidade populacional de 3 a 4 habitantes por km², a Lapónia é escassamente povoada. O povo indígena, os lapões (sami), são de pequena estatura, braquicéfalos e falam um idioma Fino-úgrico conhecido como Sami. Na Lapónia os Sami são uma pequena minoria, totalizando, de acordo com o parlamento Sami da Suécia, 70000 pessoas, algumas das quais ainda nómadas.

Outros Sami vivem permanentemente em aldeias dispersas pela costa e fiordes, vales ou lagos onde a pesca é possível. A maior parte dos Sami vive a maior parte do ano na Noruega (40000).

Segundo a cultura originária do norte da Europa, a Lapónia é a terra onde habita Joulopukki (também conhecido na cultura latina como Pai Natal ou Papai Noel) e todo o seu séquito de duendes. Segundo a mesma cultura, o Pai Natal sai da Lapónia na noite do dia 24 de Dezembro, véspera de Natal, com o seu trenó puxado por renas carregado de presentes que os distribui a todas as crianças do mundo que se comportaram bem durante o ano.

História[editar | editar código-fonte]

O solo da Lapónia, com cerca de 2,5 mil milhões de anos, era constituída basicamente por granito. Foi coberta com inúmeras camadas de gelo durante a última era glacial. O período mais gelado foi há cerca de 20 mil anos e o gelo começou a derreter há 10 mil anos. Cerca de mil anos mais tarde a Lapónia passou a ter neve apenas durante os meses de Inverno.

Os primeiros a habitarem a Lapónia fizeram-no há oito mil anos. Os "lapões" chegaram há quatro mil anos e com uma economia baseada na caça. Assim continuaram até ao século XVI quando se iniciou o pastoreio de renas. Foi nesta época que o Cristianismo chegou à Lapónia. A agricultura teve o seu início apenas no século XIX, e até ao início do século XX não havia estradas nesta região. O transporte era feito por renas no Inverno e por barcos ou a cavalo no Verão.

Natureza e Turismo[editar | editar código-fonte]

A Lapónia é conhecida turisticamente pelo Sol da Meia Noite no Verão e pela Aurora boreal no Inverno, pela tradição de aí residir o Pai Natal (Papai Noel no Brasil) e as suas renas, pelos fiordes na costa ocidental, pela pesca do bacalhau e do salmão, e pelas montanhas e florestas a perder de vista.

A vegetação é basicamente formada por coníferas na zona sul. A fauna principal compreende alces, renas, águias, falcões, ursos, lobos, peixes diversos.

Paisagem da Lapónia na Finlândia

Fenómenos Naturais[editar | editar código-fonte]

A Aurora Boreal é o fenómeno natural mais magnífico da Lapónia. São partículas oriundas do Sol, que geram o chamado "vento solar", que ao carregarem os electrões dos átomos de oxigénio e azoto da atmosfera geram efeitos coloridos. Para uma melhor observação, o céu deve estar limpo, sem nuvens, e será mais visível em noites de Lua Nova, a meio do Inverno.

Outro fenómeno natural é o Sol da Meia Noite. Devido à inclinação do eixo da Terra em relação ao eixo do Sol, a Lapónia, a norte do Círculo Polar Ártico passa até três meses no Inverno sem que haja claridade e até três meses durante o Verão sem que haja noite. As cores no céu transformam-se rapidamente. É de uma beleza fascinante e encantadora.

Flora e Fauna[editar | editar código-fonte]

A coloração das folhas das árvores no outono da Lapónia variam entre o vermelho, o amarelo, o laranja e o violeta. Esta coloração tem início no fim de Agosto e continua até meados de Setembro, quando então algumas árvores chegam a ter folhas em tons de marrom. É em função do tamanho da noite e não pela temperatura do final do Verão que as cores se definem.

Os quatro grandes mamíferos predadores da Lapónia são o urso, o lobo, o lince e o glutão. As lebres são muito comuns e podem ser vistas nas proximidades das casas. Martas e lontras são encontradas próximas dos rios e com uma população estável, enquanto que a dos esquilos varia de acordo com o número de sementes das coníferas, e as raposas vermelhas multiplicaram-se muito rapidamente e tornaram-se uma grande preocupação para as suas presas, enquanto que as raposas do Ártico estão ameaçadas de extinção. Outros grandes mamíferos são as rena e alces, habitualmente encontrados próximos dos rios. Existem castores, veados, ratos almiscarados e as martas, fugitivas das fazendas de criação. Há uma grande quantidade de lemingues, pequenos roedores da família dos Murídeos que se abrigam sob a neve durante o inverno. Entre os mamíferos marinhos, as focas e as baleias são as mais facilmente encontradas.

Nesta região são característicos o salmão, o bacalhau e a truta, mas muitos outros são os peixes encontrados. Mais de cinco espécies de pescada, lúcio, perca e outros. No Rio Tana, na Finlândia, são pescados anualmente de 100 a 150 toneladas de salmão, com os maiores exemplares chegando a pesar 30 kg quando atingem os cinco ou seis anos de idade.

O Fiorde Porsanger transforma-se, na Primavera, num santuário com 350 mil unidades de aves migratórias, sendo que algumas estão de passagem, para se alimentarem e descansar, para depois seguir em direção ao Ártico, outras para a Gronelândia, outras ficam por ali nidificando, é um espectáculo diário a observação dos pássaros, neste fiorde localizado no extremo norte da Noruega. No Verão, entre Junho e Agosto, a temperatura é agradável e os dias são lindos.

Outros usos do termo Lapónia[editar | editar código-fonte]

Portal A Wikipédia possui o portal:

O termo Lapónia pode referir-se também a:

Ícone de esboço Este artigo sobre geografia (genérico) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.