Língua norueguesa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém uma ou mais fontes no fim do texto, mas nenhuma é citada no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações.
Por favor, melhore este artigo introduzindo notas de rodapé citando as fontes, inserindo-as no corpo do texto quando necessário.
Norueguês (Norsk)
Falado em:
Região:
Total de falantes: 5 milhões
Família: Indo-Européia
 Germânica
  Norueguês
Códigos de língua
ISO 639-1: --
ISO 639-2: nor — norueguês
nob — dano-norueguês
nno — novo norueguês
ISO 639-3: vários:
nor — norueguês
nob — dano-norueguês
nno — novo norueguês
A Língua Norueguesa

O norueguês (norsk) é uma língua germânica falada por aproximadamente 5 milhões de pessoas principalmente na Noruega. Proximamente relacionada com o sueco e o dinamarquês, a língua norueguesa pertence ao grupo nórdico das línguas germânicas. O dinamarquês e o norueguês escritos são particularmente próximos, ao passo que a pronúncia norueguesa se assemelha mais ao sueco. Embora a pronúncia de todas as três línguas possa diferir significativamente, os falantes desses três idiomas geralmente compreendem-se entre si com facilidade.

As duas formas do Norueguês escrito[editar | editar código-fonte]

Há duas formas oficiais do norueguês escrito - o bokmål (literalmente - "língua dos livros") e o nynorsk ("novo norueguês"). A gramática do nynorsk foi totalmente baseada nos dialetos falados no país, porém em nenhuma região em toda a Noruega se fala apenas nynorsk. Há também uma outra forma escrita não oficial extensamente usada da língua norueguesa, o riksmål ("língua do reino"), assim como uma minoria também uso o não-oficial høgnorsk ("alto norueguês").
O bokmål e o riksmål são os mais usados, cerca de 90%.

Os dialetos do Norueguês falado[editar | editar código-fonte]

O norueguês falado tem quatro dialetos diferentes, estando a maioria deles mais próxima do nynorsk do que do bokmål.

História[editar | editar código-fonte]

Como as demais línguas escandinavas, o norueguês procede de um tronco comum, o proto-nórdico, do qual restam alguns fragmentos de inscrições rúnicas do século III. Em função das mudanças dialetais que o proto-nórdico sofreu durante a era viking (800-1050), o norreno ou nórdico antigo apareceu como entidade própria em toda a Escandinávia e regiões adjacentes, e foi difundido pelas emigrações dos noruegueses à Islândia e outras regiões do Atlântico Norte. O alfabeto latino, introduzido junto com o cristianismo, substituiu os símbolos rúnicos. No século XI o norueguês já constituia um idioma próprio, e já possuia uma grafia própria. Nos séculos seguintes, a língua falada na Noruega sofreu a influência do dinamarquês do baixo alemão e do sueco. Entre 1380 e 1814, devido a anexação da Noruega à coroa da Dinamarca, passou a ser decisiva a influência dinamarquesa.

O dinamarquês ocupou a condição de língua oficial da Noruega a partir de 1397, e inclusive se converteu na norma para a língua escrita no século XVI. As classes cultas da Noruega, sobretudo as urbanas, empregavam o dinamarquês, e nas zonas rurais as classes populares utilizavam os dialetos noruegueses. No século XIX apareceu uma forma aprimorada de dinamarquês que foi denominado dano-norueguês, dinamarquês em estrutura e léxico, mas com influência norueguesa na pronúncia e em alguns mecanismos gramaticais. Mais tarde chamada riksmål (literalmente "língua do país"), é a língua oficial da Noruega, na qual se expressaram numerosos autores, como o dramaturgo Henrik Ibsen.

Paralelamente, e como conseqüência do grande sentimento nacionalista, aflorou entre as classes populares o desejo de reconhecer sua língua como sinal de identidade. Em meados do século XIX e em resposta a tais desejos, o lingüista Ivar Aasen inicia a construção de uma nova língua escrita que se configure como norma nacional, o landsmål (língua do campo), baseada nos dialetos noruegueses falados na costa oeste do país e isenta de danicismos. Com este esforço, foi conquistado o apoio popular e esta língua com a evolução posterior se converteu na segunda língua em importância. Houve apoio principalmente da população rural do oeste da Noruega, que sentia que a língua escrita oficial era demasiado diferente dos dialetos que o povo utilizava no dia-a-dia.

Sob essa pressão, o riksmål sofreu uma série de reformas (1907, 1917 e 1938), que beneficiaram os elementos claramente nacionais tanto na língua falada como na escrita. As duas variedades trocaram de nome e a riksmål passou a chamar-se bokmål (língua do livro), enquanto a landsmål paasou a chamar-se nynorsk (neonorueguês). As duas possuem a mesma consideração legal e docente. A primeira todavia é a língua predominante no leste do país e a segunda no oeste. Cada município elege qual variedade escrita será empregada e ensinada na escola, sendo o ensino da outra variedade obrigatório no ensino secundário.

As duas formas de escrita - o Bokmål e o Nynorsk[editar | editar código-fonte]

Mapa da Noruega mostrando as comunas onde se usa Bokmål e Nynorsk
  Bokmål
  Nynorsk
  Neutra

Entre 16 e 17% dos noruegueses, residentes numa faixa na costa e nas montanhas centrais usam nynorsk como língua escrita; a população urbana permanece solidamente comprometida com o norueguês normativo bokmål, que é a língua da administração, negócios e meios de comunicação. Em todas as escolas de ensino fundamental se pode optar por aprender o nynorsk como gramática principal e o bokmål depois no ensino médio.

Português Bokmål Nynorsk
Eu Jeg Eg
Ela Hun Ho
Noruega Norge Noreg
Eu venho da Noruega. Jeg kommer fra Norge. Eg kjem frå Noreg.
Como se chama ele? Hva heter han? Kva heiter han?
Isto não é um cavalo. Dette er ikke en hest. Dette er ikkje ein hest.
O arco-íris tem muitas cores. Regnbuen har mange farger. Regnbogen har mange fargar.

Os quatro dialetos[editar | editar código-fonte]

Mapa dos dialetos da Noruega
  Norueguês do leste - Østlandsk
  Norueguês do centro - Trøndersk
  Norueguês do oeste - Vestlandsk
  Norueguês do norte - Nordlandsk

Em termos lingüísticos, geralmente dividem-se os dialetos do norueguês em quatro grandes grupos, mais ou menos homogêneos quanto à pronúncia, léxico e sintaxe.
São eles: o Norueguês do oeste (Vestlandsk), falado na costa oeste tendo como principal centro a cidade de Bergen; o Norueguês do leste (Østlandsk), falado em Oslo e em volta do fiorde de mesmo nome; Norueguês do norte (Nordlandsk), falado no norte e tendo como principal centro a cidade de Tromsø; e o Norueguês do centro (Trøndersk), sendo o principal centro a cidade de Trondheim.

A língua norueguesa (norsk) é a única língua germânica com duas variantes oficiais: a neonorueguesa (nynorsk) e a dano-norueguesa (bokmål), com mais de 4 milhões de falantes, incluindo 20.000 saamis (lapões) que são bilíngües. As duas línguas, a neonorueguesa e a dano-norueguesa são línguas oficiais no país e todos os cidadãos têm o direito de receber quaisquer solicitação ou contestação em qualquer das duas línguas. No momento atual, 83% da população recebe sua educação primária em bokmål e 17% em nynorsk, ainda que estas diferenças aumentem em níveis educacionais mais elevados, nas forças armadas, publicações, etc. Os locais de predominância do nynorsk são distritos rurais no interior do sul da Noruega e sobretudo nos distritos menos centralizados do oeste da Noruega.

Durante o período em que a língua dinamarquesa era a língua escrita da Noruega (1380-1814) a maior parte dos noruegueses falavam seus próprios dialetos locais e pronunciavam o dinamarquês usando seus próprios sons noruegueses. Por não haver normas para o norueguês, elas foram criadas a partir dos dialetos populares ou por meio de trocas graduais no dinamarquês normativo falado pelas classes educadas urbanas. Como resultado, desenvolveram-se duas normas modernas: a neo-norueguesa estabelecida sobre a base dos dialetos locais pelo lingüista e poeta Ivar Aasen em meados do século XIX e a dano-norueguesa que é a língua falada pela maioria da população.

A idéia original era a unificação das duas línguas (samnorsk), mas a realidade é que isso está longe de se tornar realidade, mesmo a situação atual sendo de coexistência pacífica entre ambas. Nesse sentido, a Noruega é um exemplo de tolerância lingüística.

Escrita[editar | editar código-fonte]

A escrita rúnica esteve em uso na Noruega desde pelo menos o século IV. A escrita rúnica se conservou até o século XVIII em comunidades arcaicas tais como em Oppdal (região vizinha à Suécia), ainda que no geral após o século XIV seu uso tenha sido bastante reduzido. Em 1599 surgiu um manual sueco de runologia, data a partir da qual a escrita rúnica poderia ser produto da tradição nativa ou da aprendizagem através dos livros.

Os escritores que utilizavam o pergaminho ou peles de animais durante o período do norueguês médio já usavam o alfabeto latino, que havia sido introduzido a partir da Inglaterra em algum momento em meados do século XI. O alfabeto norueguês moderno consta de 26 letras latinas padrão com mais três adicionais: æ, ø, å. O uso de sinais diacríticos é limitado.

A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z Æ Ø Å
a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t u v w x y z æ ø å

As letras a, e, i, o, u, y, æ, ø, å representam vogais. As letras c, q, w, x, z só são utilizadas em alguns prenomes, sobrenomes de família e palavras de origem estrangeira. Os acentos agudo, grave e circunflexo podem ser utilizados para distinguir entre certos homógrafos, e também em palavras de origem estrangeira para assinalar a sílaba tónica ou preservar a grafia original. No entanto, são obrigatórios só em nomes. Aa e aa podem ocorrer em prenomes e apelidos em vez de Å e å.

Fonologia[editar | editar código-fonte]

Vogais[editar | editar código-fonte]

A maioria dos dialectos têm 18 vogais simples e seis ditongos.

Vogais da lìngua norueguesa
  anterior média posterior
não-arredondada arredondada
longa curta longa curta longa curta longa curta
fechada i y ʉː ʉ u
média e øː ø   ɔː ɔ
aberta æː æ     ɑː ɑ

Os ditongos, /æi øy æʉ ɑi ɔy ʉi/, são representados na escrita como "ei, øy, au, ai, oi, ui".

Consoantes[editar | editar código-fonte]

Consoantes da língua norueguesa
Bilabiais Labiodentais Laminais alveolares Apicais Palatais Velares Glotal
Surdas Sonoras Surdas Sonoras Surdas Sonoras Surdas Sonoras Surdas Sonoras Surdas Sonoras Surda
Oclusivas p b t d ʈ² ɖ² c¹ ɟ¹ k g
Nasais m n ɳ² ɲ¹ ŋ
Fricativas f s ʂ ç
Líquidas l ɾ3, ɽ4, ɭ ʎ¹
Aproximantes ʋ j h
  1. Ao norte de Sognefjorden e Mjøsa
  2. Não em grande parte das regiões sul e oeste
  3. Na região sul e partes da região oeste, realizado como "r" gutural[ʁ]
  4. Região leste, Trøndelag, Nordmøre, Romsdal e Nordland meridional

Gramática[editar | editar código-fonte]

Ao contrário das demais línguas escandinavas, incluindo a maioria dos dialetos de bokmål, o nynorsk conserva o uso do gênero feminino juntamente com o neutro e o masculino, que nas demais línguas absorveu os lexemas masculinos. Os artigos indefinidos de cada gênero e os artigos definidos enclíticos são os seguintes:

Masculino: ein hund - hunden (um cão - o cão);
Feminino: ei jente - jenta (uma menina - a menina);
Neutro: eit hus - huset (uma casa - a casa);

Ver também[editar | editar código-fonte]

Fontes[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Wikipedia-logo.png
Edição em língua norueguesa (bokmål)
da Wikipédia


Wikipedia-logo.png
Edição em língua norueguesa (nynorsk)
da Wikipédia
Wikilivros
O Wikilivros tem um livro chamado Norueguês