Live Free or Die Hard

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Live Free or Die Hard
Die Hard 4.0 — Viver ou Morrer (PT)
Duro de Matar 4.0 (BR)
Pôster promocional
 Estados Unidos  Reino Unido
2007 • cor • 128 min 
Direção Len Wiseman
Roteiro Mark Bomback
Elenco Bruce Willis
Timothy Olyphant
Justin Long
Mary Elizabeth Winstead
Maggie Q
Kevin Smith
Gênero ação
Idioma inglês/francês/italiano
Lançamento Portugal 28 de junho de 2007 /Brasil 29 de junho de 2007
Orçamento US$ 110.000.000 (estimado)
Receita US$ 383.531.464
Cronologia
Último
Último
Die Hard with a Vengeance
(1995)
A Good Day to Die Hard
(2013)
Próximo
Próximo
Site oficial
Página no IMDb (em inglês)

Live Free or Die Hard (no Brasil, Duro de Matar 4.0; em Portugal, Die Hard 4.0 — Viver ou Morrer) é um filme estadunidense e britânico de 2007, do gênero ação, dirigido por Len Wiseman.

É o quarto segmento da série Die Hard, e Bruce Willis reinterpreta John McClane, o protagonista dos três primeiros filmes. Outros destaques do elenco incluem Justin Long, Timothy Olyphant, Mary Elizabeth Winstead, e Maggie Q. A história se passa 19 anos após o primeiro filme e vemos McClane enfrentando ciberterroristas. O filme foi baseado no artigo "A Farewall to Arms" ("O Adeus às Armas") de 1997, escrito por John Carlin, para a revista Wired.[1] O filme foi lançado na América do Norte no dia 27 de junho de 2007.[2]

Depois que o projeto iniciou, foi engavetado em virtude dos ataques terroristas de 11 de setembro de 2001, e quando a produção recomeçou o título do filme foi mudado várias vezes. Uma variedade de efeitos visuais foi usada para sequências de ação, apesar de Wiseman e Willis declararem que queriam limitar a quantidade de imagens geradas por computador. Em incidentes separados durante as filmagens, tanto Willis quanto seu dublê, Larry Rippenkroeger, ficaram machucados. Ao contrário dos três filmes anteriores da série, os EUA o classificou como PG-13, por conter linguagem obcena e violência na maior parte do filme. A versão original, não censurada de Live Free or Die Hard foi disponibilizada em DVD.

Live Free or Die Hard recebeu no geral críticas positivas, ganhando 80% de aprovação no Rotten Tomatoes e 69/100 da Metacritic e teve uma arrecadação total de 382,1 milhões de dólares. Para o lançamento do DVD, a 20th Century Fox foi pioneira num novo tipo de DRM, que tenta enfraquecer os incentivos para os consumidores que copiam os discos, oferecendo-lhes uma versão para download com restrições impostas pelo estúdio. A trilha sonora do filme foi lançada no dia 2 de julho de 2007 e o videogame foi proposto para o Xbox 360.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

O filme começa com hackers de computador transferindo dados sensíveis a um operador de um grupo terrorista, sob o disfarce de testes do sistema de segurança. Isso leva a uma violação nas instalações do sistema de computadores do FBI, uma vez que os hackers que ajudaram no esquema são mortos a mando do líder do grupo terrorista Thomas Gabriel (Timothy Olyphant), ao invés de serem pagos por sua colaboração. O FBI ignora as mortes, e manda o detetive policial de Nova York John McClane (Bruce Willis) para trazer um conhecido hacker, Matthew Farrell (Justin Long), que também ajudou desconhecidamente o grupo de Gabriel, como parte das suas investigações relativas à violação. Os comparsas de Gabriel tentam assassinar McClane e Farrell, mas eles escapam. McClane leva Farrell à sede do FBI em Washington DC, para o diretor-adjunto Bowman (Cliff Curtis), em meio a uma parada nacional dos sistemas de transporte. O mercado de ações é manipulado pouco tempo depois, causando sua quebra.

McClane é ordenado a manter Farrell sob sua custódia e proteção e Gabriel manda mais comparsas para matar os dois. McClane e Farrell escapam novamente de seus assassinos e na cena que se segue derrubam o helicóptero do FBI com um carro da Polícia, a infra-estrutura do país está com uma grande ameaça de quebrar, e Farrell diz a McClane que os terroristas estão iniciando um ataque chamado “queima-total” e que a eletricidade seria o próximo passo. O detetive e o hacker viajam para uma grande central de distribuição elétrica em West Virginia, para deter o desligamento, mas lá encontram Mia Linh (namorada de Gabriel) (Maggie Q) já em estágio avançado de desativação da estação. McClane luta com Linh e a mata explodindo um SUV no fundo do poço de um elevador com ela dentro, enquanto Farrell desfaz os danos causados ao sistema informático. No entanto a explosão deixa sem luz quase toda a costa leste. Gabriel entra em contato com eles enquanto Farrell envia aos terroristas um “email-bomba”. McClane diz a Gabriel que matou Linh. Gabriel se enfurece e ordena que todo gás natural seja mandado para a central, destruindo-a em uma explosão. McClane e Farrell escapam mais uma vez, e aconselhado por Farrell, visitam seu amigo Warlock (Kevin Smith) para ajudar.

Na casa de Warlock, eles conhecem sobre Gabriel e tentam cortar o sistema dos terroristas. Gabriel contata o detetive na casa de Warlock através da webcam e mostra a ele que tem sua filha, Lucy McClane (Mary Elizabeth Winstead) como refém. Enquanto McClane distrai Gabriel na conversa, Warlock determina a localização de Gabriel, em um edifício chamado Woodlawn (referindo-se a sua localização em Woodlawn, Maryland). Woodlawn é o edifício da Administração da Seguridade Social, um edifício ultra-secreto operado pela Agência de Segurança Nacional que serve como um backup de todos os dados financeiros da Nação. Os servidores em Woodlawn começam a copiar os dados em caso de ataque ao sistema financeiro do país. Farrell descobre que é dele o código usado em Woodlawn e bloqueia a cópia. Como Gabriel foi programador chefe do Departamento de Defesa de Infra-Estrutura de Segurança e Woodlawn foi projeto seu, ele sabe que ele existe e como ativar Woodlawn e descarregar os dados financeiros do país, razão pela qual ele iniciou o "queima-total ".

McClane e Farrell vão até o edifício de Woodlawn. O detetive combate os terroristas enquanto Farrell descobre e tenta desfazer o plano de Gabriel de roubar todas as informações financeiras a partir de backup dos servidores do edifício. Farrell criptografa todos os dados baixados, tornando as informações financeiras inacessíveis, e em seguida ele é tomado como refém pelos terroristas. Com McClane atrás deles, Gabriel foge do edifício com seus capangas e os reféns. McClane mata o motorista do caminhão e segue Gabriel e os reféns. Gabriel faz um truque para enganar um piloto de um jato F-35 Lightning II para que ataque o caminhão dirigido por McClane. O jato ataca o caminhão destruindo grande parte da rodovia, mas o detetive consegue escapar mais uma vez. Gabriel para em um armazém, onde o terrorista está forçando Farrell a desfazer a criptografia, sob ameaça de morrer. Gabriel atira na perna de Farrell após a falta de cooperação. McClane e Farrell matam Gabriel e os seus homens antes de Farrell descodificar os dados, resolvendo a crise. McClane atira através do seu próprio ombro matando Gabriel, e antes que o comparsa de Gabriel possa reagir, Farrell o mata com 3 tiros, e todos se salvam. O FBI chega pouco depois e ajuda com as feridas de Farrell e McClane. Há igualmente um romance pretendido entre Farrell e Lucy na cena da ambulância. A cena final é de McClane e sua filha indo embora em uma ambulância.

Gtk-paste.svg Aviso: Terminam aqui as revelações sobre o enredo.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Actor Personagem
Bruce Willis John McClane
Justin Long Matthew "Matt" Farrell
Timothy Olyphant Thomas Gabriel
Mary Elizabeth Winstead Lucy McClane
Cliff Curtis Bowman
Maggie Q Mai Linh
Tim Russ Agente Summers
Kevin Smith Warlock / Freddie
Christina Chang Taylor
Yorgo Constantine Russo
Andrew Friedman Casper
Sung Kang Raj
Matt O'Leary Clay
Cyril Raffaelli Rand
Jonathan Sadowski Trey
Željko Ivanek agente Molina
Jake McDorman Jim

O envolvimento da filha de McClane no filme foi anteriormente considerado em Die Hard with a Vengeance, e foi usado no video game Die Hard: Vendetta.[3] Especulou-se que a própria filha de Willis, Rummer Willis, que nasceu no mesmo ano de lançamento do Die Hard original, fosse uma excelente candidata ao papel de Lucy McClane.[4] Jessica Simpson,[5] Britney Spears,[6] e Taylor Fry,[7] que interpretou Lucy no Die Hard original de 1988, era a candidada mais forte para o papel. Entretanto, o papel foi para Mary Elizabeth Winstead.

Produção[editar | editar código-fonte]

Script e título[editar | editar código-fonte]

Applications-multimedia.svg A Wikipédia possui o

O enredo do filme é baseado em um script anterior intitulado WW3.com de David Marconi, roteirista do filme Inimigo do Estado.[8] Usando um artigo da revista Wired intitulado "O Adeus às Armas" [9] de John Carlin, Marconi cria um roteiro sobre um ciberataque terrorista contra os Estados Unidos.[10] O ataque é conhecido como "queima total”, representando um ataque coordenado em três etapas nos serviços de transporte, telecomunicações, financeiro, utilidades e sistemas de infra-estrutura. Após os ataques de 11 de setembro de 2001, o projeto foi paralisado, apenas para ser reativado alguns anos mais tarde e reescrito para o Live Free or Die Hard por Doug Richardson e finalizado por Mark Bomback.[11]

Willis disse em 2005 que o filme seria chamado de Die Hard 4.0, como ele gira em torno de computadores e de ciberterrorismo. A IGN relatou mais tarde que o filme era para ser chamado de Die Hard: Reset.[12] A 20th Century Fox anunciou o título mais tarde como Live Free or Die Hard e definiu a data de lançamento de 29 de junho de 2007, com filmagens começando em setembro de 2006.[13] [14] O título do filme é baseado no lema do estado de New Hampshire, "Viva Livre ou Morra", a qual é atribuída a uma citação do General John Stark. Fora da América do Norte, o filme foi lançado com o título Die Hard 4.0.[15] Nos comentários do filme no DVD, tanto Wiseman quanto Willis alegaram preferir o título Die Hard 4.0, e sutilmente ironizaram o título Live Free or Die Hard.[16]

Recepção da crítica[editar | editar código-fonte]

Live Free or Die Hard tem aclamação por parte da crítica especializada. Possui Tomatometer de 81% em base de 205 críticas no Rotten Tomatoes. Por parte da audiência do site tem 86% de aprovação.[17]

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

Trilha sonora[editar | editar código-fonte]

A trilha sonora do filme foi composta por Marco Beltrami, sendo lançada em 2 de julho de 2007, pela gravadora Varèse Sarabande.

Faixa # Título Tempo (M:SS)
1 "Out of Bullets" 1:06
2 "Shootout" 3:40
3 "Leaving the Apartment" 2:08
4 "Dead Hackers" 1:31
5 "Traffic Jam" 4:12
6 "It's a Fire Sale" 2:56
7 "The Break-In" 2:27
8 "Farrell to D.C." 4:35
9 "Copter Chase" 4:41
10 "Blackout" 2:03
11 "Illegal Broadcast" 3:47
12 "Hurry Up!" 1:22
13 "The Power Plant" 2:01
14 "Landing" 2:27
15 "Cold Cuts" 1:59
16 "Yippee Ki Yay" 4:42
17 "Break a Neck" 2:47
18 "Farrell Is In" 4:22
19 "The F-35" 4:12
20 "Aftermath" 3:12
21 "Live Free or Die Hard" 2:56

As canções abaixo não estão na trilha sonora original, mas foram incluídas no filme:

  • "Fortunate Son" - Creedence Clearwater Revival
  • "I'm So Sick" - Flyleaf
  • "Goth (Remix)" - 615 Music & Craig Sharmat
  • "Cycler" - RipTide Music
  • "War Zone" - Audiomachine
  • "Rankle" - X-Ray Dog
  • "Adrenaline Surge" - Future World Music
  • "Suicide Mission" - Wild Whirled
  • "The Name of the Game" - The Crystal Method
  • "Ode to Joy" - Sorman Nystrom
  • "Full Throttle Part #2" - Static
  • "Swooshes and Rises" - Distortion Music

Referências

  1. Full cast and crew for Live Free or Die Hard (2007). Internet Movie Database. Página visitada em 13-11-2007.
  2. Release dates for Live Free or Die Hard (2007). Internet Movie Database. Página visitada em 13-11-2007.
  3. Die Hard: Vendetta. Metacritic. Página visitada em 2007-11-14.
  4. Die Hard 4.0 (2007). Yahoo!. Página visitada em 2007-11-14.
  5. Newlyweds: Nick and Jessica-Episode #22 "Mismatched Threesome". TV.com. Página visitada em 2007-11-14.
  6. Britney Spears To Join Die Hard 4 Cast?. KillerMovies.com (January 21, 2003). Página visitada em 2007-11-14.
  7. Thomas, Brian. Movie Review LIVE FREE OR DIE HARD. Mania Movies. Página visitada em 2007-11-14.
  8. Petrikin, Chris. "Fox eyes 'WW3.com' as tentpole for 1999", Variety, January 27, 1998. Página visitada em 2007-11-13.
  9. Carlin, John (May 1997). A Farewell to Arms. Wired. Página visitada em 2007-11-13.
  10. Besson To Develop WW3.com. Sci Fi. Página visitada em 2007-11-13.
  11. Fleming, Michael, Brodesser, Claude. "The ‘Die Hard’ is cast for scribe Richardson", Variety, July 26, 2004. Página visitada em 2007-11-13.
  12. Stax. "Long Shot for Die Hard: Reset", IGN, July 31, 2006. Página visitada em 2007-11-13.
  13. Live Free or Die Hard on June 29, 2007!. ComingSoon.net (August 3, 2006). Página visitada em 2006-11-13.
  14. Willis Confirms 'Die Hard 4' Nearly Ready To Roll. Internet Movie Database (May 22, 2006). Página visitada em 2007-11-13.
  15. Merrick. "The International LIVE FREE OR DIE HARD Trailer Calls It DIE HARD 4.0!?!?", AintItCool.com, February 15, 2007. Página visitada em 2007-11-13.
  16. (2007). Live Free or Die Hard-(Commentary by Bruce Willis, Director Len Wiseman, and Editor Nicholas De Toth) [Collector's Edition DVD]. 20th Century Fox.
  17. Live Free or Die Hard (em inglês). Rotten Tomatoes. Página visitada em 20 de janeiro de 2014.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Applications-multimedia.svg A Wikipédia possui o
Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Live Free or Die Hard