Lyda Monteiro da Silva

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Merge-arrows 2.svg
Foi proposta a fusão deste artigo ou se(c)ção com Lida Monteiro da Silva. Pode-se discutir o procedimento aqui. (desde fevereiro de 2014)

Lyda Monteiro da Silva (Niterói, 5 de dezembro de 1920Rio de Janeiro, 27 de agosto de 1980) foi uma vítima morta em um atentado à bomba na sede da Ordem dos Advogados do Brasil no Rio de Janeiro.[1] [2]

Funcionária da Ordem dos Advogados do Brasil, onde ingressou em 1936, aos 16 anos de idade, ocupou também o cargo de Diretora do Conselho Federal da OAB, no Rio de Janeiro e em 1980 era secretária do então presidente da OAB no Rio de Janeiro, Eduardo Seabra Fagundes, quando foi vítima de um atentado à bomba na sede da Ordem dos Advogados do Brasil no Rio de Janeiro.

Na ocasião, a OAB era presidida por Eduardo Seabra Fagundes, tendo como vice Sepúlveda Pertence.

Atentado à Ordem dos Advogados do Brasil[editar | editar código-fonte]

Em 27 de agosto de 1980, Lyda faleceu vítima de atentado terrorista organizado por grupos extremistas de direita do Brasil, que executaram a chamada Operação Cristal, no governo do General João Baptista de Oliveira Figueiredo.[3]

Atuação dos advogados[editar | editar código-fonte]

Na época , o Brasil encontrava-se no chamado "Estado de Exceção" [4] e os advogados cerravam fileiras na luta pelas liberdades democráticas.

O atentado indignou a Sociedade brasileira que viu o ato como um ato terrorista naqueles anos de autoritarismo.

Dia nacional de luto dos advogados[editar | editar código-fonte]

O dia da morte de Lyda Monteiro , tornou-se o Dia Nacional de Luto dos Advogados.

Os fatos[editar | editar código-fonte]

Uma carta bomba endereçada ao então presidente da OAB no Rio de Janeiro, Eduardo Seabra Fagundes, de quem Lyda era secretária, explodiu às 14:00 horas do dia 27 de agosto de 1980, nas mãos de Lyda Monteiro. Ela veio falecer no caminho para o Hospital Souza Aguiar , no Rio de Janeiro.

Sua morte foi dada como resultado de "ato de sabotagem ou terrorismo". O registro de ocorrência 3ª Delegacia de Polícia tem o número 0853.

Na explosão que resultou em sua morte saiu ferido outro funcionário, José Ramiro dos Santos.

O óbito de n° 313 foi assinado pelo Dr. Hygino C. Hércules, do Instituto Médico Legal, tendo como declarante Joaquim Alves da Costa.

Lyda foi enterrada no dia seguinte no Cemitério São João Batista (RJ) com grande participação dos movimentos sociais, enter eles o grupo Tortura Nunca Mais que desempenhou papel fundamental na busca por Justiça pelas vítimas da Ditadura. O acontecimento teve cobertura da Imprensa Nacional e Internacional.

Operação Cristal[editar | editar código-fonte]

No mesmo dia 27, mais duas cartas-bomba foram entregues, no Rio de Janeiro: - Uma no Gabinete do vereador Antonio Carlos de Carvalho (PMDB) - Outra na sede do Jornal Tribuna da Imprensa

Na época, durante o governo do General João Baptista de Oliveira Figueiredo, os inquéritos foram abertos e nada foi apurado.

Reação da OAB[editar | editar código-fonte]

Em Nota Pública, divulgada em 27 de Agosto de 2007, o presidente da OAB SP, Luiz Flávio Borges D´Urso apontou que o atentado que vitimou Lyda Monteiro em 1980, continua encoberto pelo manto da impunidade e simboliza o Dia Nacional de Luto dos Advogados.

Luiz Flávio Borges D´Urso acrescentou: "Ainda é preocupante que o atentado não tenha sido solucionado e os culpados punidos. A morte de Lyda Monteiro da Silva continua encoberta pelo manto da impunidade, que acoberta tantos outros casos de violência e pode, infelizmente, levar a população a desacreditar nas instituições."[5]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Ordem dos Advogados do Brasil - Lyda Monteiro - Ordem dos Advogados do Brasil - Lyda Monteiro: Filho quer reabrir caso Lyda Monteiro.
  2. Senado Federal do Brasil - Caso Lyda Monteiro - OAB - Notícias 27 de Junho de 2003.
  3. Lyda Monteiro da Silva - Ordem dos Advogados do Brasil 1980 morta em atentado terrorista de grupos de extrema direita [1] Grupo Tortura Nunca Mais .
  4. Ordem dos Advogados do Brasil - Estado de Exceção [2] Ordem dos Advogados do Brasil - Estado de Exceção .
  5. Ordem dos Advogados do Brasil Lembra Lyda Monteiro da Silva morta em atentado terrorista a Sede da OAB/RJ em 1980 [3] Luiz Flávio Borges D´Urso presidente da OAB SP 27 de Agosto de 2007 .
Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: João Baptista de Oliveira Figueiredo