Melhoramento genético

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde novembro de 2010).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde Fevereiro de 2008).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.

O melhoramento genético é uma ciencia utilizada em plantas e animais que visa aumentar a frequência de alelos favoráveis em uma população animal ou vegetal.

Para que seja iniciado um programa de melhoramento é necessário haver variabilidade genética na população, e o progresso do programa será maior tanto quanto for maior essa variabilidade.

O melhoramento genético de vegetais é área de conhecimento da agronomia (culturas e fruticultura) e á engenharia florestal (árvores). O melhoramento genético de animais é área da zootecnia. O processo de melhoramento é contínuo, uma vez que o animal é melhorado visando atender ás exigências do mercado consumidor e do sistema produtivo, como as exigências do mercado variam assim como o desenvolvimento de tecnologias otimiza o sistema de produção os objetivos de um programa de melhoramento devem ser atualizados.

O melhoramento genético aumenta a eficiência produtiva dos seres vivos, utilizando as técnicas de seleção e cruzamento. Mais recentemente ferramentas moleculares estão disponíveis, possibilitando a "MAS" que vem do inglês "seleção assistida por marcadores moleculares".

Em animais, o desempenho animal é função da ambiência, da nutrição e da genética. A eficiência de produção animal se desenvolve á medida que esses três fatores se desenvolvem.


Processos de melhoramento[editar | editar código-fonte]

Em uma população existem fenótipos que interessam mais ao homem, seja para a produção de carne, ovos, leite, couro, madeira, óleo etc. O objetivo do melhorista é, portanto, aumentar a eficiência produtiva desses organismos.

No melhoramento clássico existem duas formas de se melhorar indivíduos: Seleção e Cruzamento.

A natureza, ao longo de milênios selecionou os organismos através da seleção natural, a seleção artificial realizada em um programa de melhoramento é visa influenciar diretamente nos acasalamentos (não sendo mais aleatório). Essa manipulação dos acasalamentos - escolhendo os machos e fêmeas que irão se acasalar - levará a um aumento na proporção de loci com alelos que codifiquem características fenotípicas favoráveis nos descendentes.

A seleção consiste em escolher os pais da próxima geração que apresentam um maior número de alelos favoráveis (ex.Crescimento,resistência a doenças, produção de sementes, produção de leite, etc.).

O cruzamento consiste em acasalar indivíduos diferentes geneticamente (ex. Bovino Gir x Bovino Holandês) para desfrutar da heterose e complementariedade. Heterose é o fenômeno que ocorre quando o desempenho médios dos filhos é superior a média dos pais, esse fenômeno ocorre porquê a maioria das características desejáveis apresentam caráter dominante, e, ao se cruzar indivíduos puros diferentes, há um aumento no número dos loci em heterozigose (ex. AaBbCcDd) esse fato leva a progênie possuir mais alelos favoráveis.

O "contrário" da heterose seria a endogamia, ou seja indivíduos, com grande número de loci em homozigose (ex. AAbbCCddeeffGG). Alguns alelos, principalmente os recessivos, quando em homozigose podem levar o indivíduo a expressar características deletérias, como síndromes, deformidades e diminuição do desempenho das características de baixa herdabilidade, que são controladas por muitos genes, como as características relacionadas a reprodução, resistência a doenças etc.

Os seres vivos possuem vários pares de cromossomos. Cada um destes possui genes que são os responsáveis pela expressão das características dos indivíduos. Na divisão celular que antecede a formação dos gametas masculinos (espermatozóides) e feminino (óvulo) os pares de cromossomos se separam e assim cada um reúne a metade do número de cromossomos da célula original.

Cada novo indivíduo recebe ao se formar um conjunto de cromossomos do pai e outro da mãe sendo restabelecido o número de cromossomos da espécie. Na reconstituição dos cromossomos, a predominância ou não dos genes para uma mesma característica determinará se ela será expressada ou não. A observação de muitas gerações nos permite ainda identificar características de alta herdabilidade, ou de baixa herdabilidade.

Na medida em que se promove o melhoramento genético por um programa de seleção eficaz, e que este se perpetua por muitas gerações mantendo-se o mesmo critério de seleção, há redução da variabilidade genética como resultado do incremento de homozigose.

Endogamia[editar | editar código-fonte]

Endogamia é consequência da homozigose existente no loci do indivíduo. Ao se acasalar indivíduos aparentados (maior % de alelos idênticos por descendência) aumenta-se a probabilidade de características deletárias que estavam "escondidas" pela heterozigose serem expressas. Isso ocorre porque, em geral, alelos deletérios são dominados por alelos favoráveis. Ex.Aa; sendo o alelo "a" e o "A" positivo, a expressão do alelo "a" não seria demonstrada por dominância genética do alelo dominante "A". Portanto, ao acasalar indivíduos próximos, os alelos deletérios aumentam grandemente as chances de serem expressos no fenótipo.

Heterose[editar | editar código-fonte]

É o fenômeno contrário á endogamia. Consiste na superioridade genética média dos filhos em relação á média dos pais.

Herdabilidade (h²)[editar | editar código-fonte]

Parâmetro genético atribuído a cada característica observável no fenótipo. Assume valores (teóricos) de 0 a 1. Características podem ter valores de herdabilidade altos (acima de 0,5), médio (0,3 a 0,5) e baixos (abaixo de 0,3), o valor da herdabilidade indica a facilidade ou dificuldade de melhorar uma característica. Como exemplo, em animais, características relacionadas á carcaça (peso, altura, largura) são de alta herdabilidade, portanto o fenótipo de um indivíduo é um bom indicativo do seu valor genético. Esse tipo de característica ganha menos com a heterose e deprime menos com a endogamia.


Brasil[editar | editar código-fonte]

O melhoramento genético foi iniciado no Brasil em 1903, com a introdução do gênero Eucalyptus por Navarro de Andrade para a produção de dormentes para estradas de ferro e zinco.

Ícone de esboço Este artigo sobre Biologia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.