Natter

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Bachem Ba 349 Natter
O primeiro interceptador com decolagem vertical
Descrição
Fabricante Bachem
Primeiro voo março de 1945
Entrada em serviço 1945
Missão interceptador de alta velocidade semi-sacrificável
Tripulação 01
Dimensões
Comprimento 6,10 m
Envergadura 3,60 m
Altura 2,25 m
Área (asas) 4.8 m²
Peso
Peso total vazio: 880 kg
Peso bruto máximo com foguetes 2.232 kg
Propulsão
Motores 01 Walter HWK 109-509C-1 biprolente + 04 Schmidding 109-533 - combustível sólido.
Performance
Velocidade máxima a grandes altitudes 1000 km/h
Alcance bélico 32-48 km
Teto máximo 7300 m
Armamento
Mísseis/Bombas 24 foguetes Föhn de 73mm ou, 33 foguetes R4M de 55mm ou, 02 canhões MK108 de 30mm com 30 cartuchos cada.

Bachem Ba 349 Natter - foi um avião-foguete desenvolvido pela Alemanha Nazista no final da Segunda Guerra Mundial como parte do desesperado esforço de evitar a derrota.

História[editar | editar código-fonte]

Já no início da guerra Werner von Braun propôs a criação de um caça-foguete interceptador. Os militares rejeitaram sua proposta na época. Somente em 1944 com os intensos e constantes bombardeios aliados é que esta ideia foi novamente considerada. O Dr. Erich Bachem engenheiro da fábrica de aviões Fieseler a anos insistia inutilmente na realização deste projeto.

Quando empresa Heinkel ganhou a concorrência para a fabricação do jato Heinkel He 162 para a defesa de locais estratégicos, o Dr. Bachem procurou a ajuda de Heinrich Himmler chefe da SS e conseguiu seu apoio. Com verbas da SS o projeto foi realizado. Era de construção simples, rápida, utilizava materiais baratos (por exemplo suas asas eram feitas de madeira) e podia ser construído por operários não especializados. Empregava o mesmo motor do Messerschmitt Me 163 e mais 4 foguetes de combustível sólido que proporcionavam impulso extra. Seria equipado com dois canhões de 30mm ou foguetes (de 24 a 33) instalados em seu bico.

Bachem Ba 349 Natter three-view silhouette.pngBachem Ba 349 Natter and launch tower silhouette.png
Visto em três ângulos e instalado em sua torre de lançamento.

Sua operação de decolagem era original: seria lançado de uma torre vertical como um foguete. Os controles permaneciam travados até que os foguetes de combustível sólido queimassem completamente. Depois de sua queima total eram descartados e o avião passaria a ser controlado remotamente pela torre. Neste momento os controles já encontravam-se destravados de modo que o piloto pudesse controla-lo se necessário. Ele então mergulhava sobre as formações compactas de bombardeios aliados e lançava de uma só vez todos os seus foguetes de modo a causar-lhes os maiores danos possíveis. Depois do ataque o piloto acionava um dispositivo explosivo liberando a parte frontal da aeronave e saltava de pára-quedas. O motor pousava com auxílio de outro pára-quedas e era recuperado para ser usado novamente em outro avião.

Este avião foi batizado "Natter" ( Víbora ).

Em seu primeiro teste (setembro de 1944), rebocado por um Heinkel He 111 comportou-se como esperado seu piloto achou fácil controla-lo e o teste foi bem sucedido. O primeiro lançamento a partir do solo falhou. Outros lançamentos não-tripulados e apenas com combustível sólido foram feitos com sucesso.

Em 28 de fevereiro de 1945, naquele que seria seu primeiro voo tripulado ele despedaçou-se no ar e na queda matou seu piloto Lothar Siebert. Mesmo assim outros pilotos se ofereceram para pilota-lo, as deficiências do projeto foram corrigidas e por fim uma bateria de 10 Natters foi instalada próximo a Stuttgart.

Os pilotos permaneceram dias de prontidão. Mas os bombardeiros aliados não voaram dentro de sua área de ação de modo que o Natter não teve a oportunidade de ser usado.

Em fins de abril de 1945 os aliados ocuparam a região. Para evitar que a arma caísse nas mãos do inimigo os alemães destruíram todos estes Bachem Ba 349 Natter e suas instalações de lançamento. Existem dúvidas sobre a funcionalidade desta arma até hoje.

Restam hoje apenas dois: um no Deutsches Museum, em Munique e outro no Smithsonian's National Air and Space Museum ( EUA ).

Imagens[editar | editar código-fonte]

Modelo em escala da sua torre de lançamento...
... e uma réplica do Natter no Deutsches Museum de Munique.
Réplica no museu Fantasy of Flight (Polk City, Flórida, EUA).
Um Natter não restaurado no Smithsonian's National Air and Space Museum.
Vestígio de um local de lançamento do Natter na floresta de Hasenholz em Kirchheim na Alemanha

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Sites[editar | editar código-fonte]

Vídeos[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui multimídias sobre Natter