Nicotiana glauca

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa


Como ler uma caixa taxonómicaNicotiana glauca
Nicotiana-glauca-20080330.JPG

Classificação científica
Reino: Plantae
Clado: Angiosperms
Clado: Eudicots
Clado: Asterids
Ordem: Solanales
Família: Solanaceae
Género: Nicotiana
Espécie: N. glauca
Nome binomial
Nicotiana glauca
Graham
Um colibri da espécie Calypte anna a recolher néctar de N. glauca.

Nicotiana glauca Graham é uma espécie de plantas da família Solanaceae, conhecida pelos nomes comuns de charuteira, charuto-do-rei e tabaco-arbóreo, utilizada como planta ornamental e para a produção de anabasina, embora seja considerada em diversas regiões como planta invasora. A espécie é originária da América do Sul (da Argentina à Bolívia), mas está naturalizada em todas as regiões temperadas e subtropicais das Américas e em algumas regiões da Europa, onde foi introduzida para fins ornamentais.

Descrição e usos[editar | editar código-fonte]

É uma planta arbustiva (mesofanerófito) de rápido crescimento, com caules lenhosos que chegam a atingir 3-6 metros de altura, com tendência ruderal, aparecendo com frequência em terrenos incultos ou abandonados, zonas de remoção de terras, entulheiras e à beira de caminhos.

As folhas são obovadas a pontiagudas, coreáceas, de cor verde-acinzentado a verde-azulado, de aspecto glauco, com 5–25 cm de comprimento, ligadas aos caules por um pecíolo com 3–12 cm de comprimento (ao contrário da maioria das espécies do género Nicotiana que tem folhas sésseis). A base da folha é truncada, em forma de coração, o ápice é em geral pontiagudo. Também ao contrário da maioria das espécies do género, as folhas e caules não são pubescentes, não apresentando os tricomas glandulosos que dão um aspecto pegajoso a espécies como a Nicotiana tabacum. À medida que a plantas envelhecem os ramos aparecem progressivamente desnudados de folhas.

As flores ocorrem em inflorescências paniculadas pouco densas, mas com múltiplas flores. As ligam-se a hastes florais longas por pedicelos de 3 a 12 mm de comprimento. O cálice é tubular, com 1 a 1,5 cm de comprimento, terminando em lábios, formados pelo ápice da sépala, em forma de lobos uniformes, triangulares e aguçados. A corola é constituída por 5 pétalas soldadas, de cor amarelo a amarelo-avermelhado, formado uma estrutura tubular com 2,5 a 4,5 cm de comprimento. O lábio da corola é curto e regular. Os estames são quase iguais em comprimento ao tubo da corola. As flores são um pouco protogínicas, pois o estigma permanece capaz de ser fertilizado apenas durante um curto período após o desabrochar das anteras. Cada flor produz cerca de 20 μL de néctar, atraindo, entre outras espécies polinizadoras, os colibris.

Os frutos são cápsulas elípticas, com 0,7 a 1,5 cm de comprimento, contendo cerca de uma centena de pequenas sementes castanhas, arredondadas, com cerca 0,5 mm de diâmetro[1] [2] .

A presença de compostos tóxicos para a maioria dos herbívoros, incluindo moléculas com efeito insecticida torna a planta resistente à herbivoria. Essas características, associadas ao seu rápido crescimento, faz com que seja considerada como planta invasora com risco ecológico conhecido.

A planta é utilizada como fonte de anabasina, um alcaloide do grupo das piridinas usado na confecção de insecticidas naturais. Embora pobre em nicotina, é rica em nornicotina, pelo que também tem diversos usos em ervanária, sendo usada nas misturas de tabaco tradicionalmente fumadas pelos povos ameríndios[3] .

O seu rápido crescimento e poucos requisitos em termos de qualidade dos solos levou a que esteja a ser considerada como uma potencial fonte de biocombustível (biofuel)[4] .

Distribuição[editar | editar código-fonte]

A espécie é originária da América do Sul (Argentina, Bolívia, Paraguai e Uruguai), mas é na actualidade considerada uma espécie introduzidanaturalizada na maioria das regiões subtropicais das Américas, no norte de África, na Macaronésia e nalgumas regiões da Europa.

Notas

  1. Zhi-Yun Zhang, Anmin Lu und William D'Arcy: Flora of China. Solanaceae. Volume 17. 1978
  2. Sheila K. Schueller: Self-pollination in Island and Mainland Populations of the introduced Hummingbird-pollinated Plant, Nicotiana glauca (Solanaceae) In: American Journal of Botany Volume 91, Nummer 5, Seiten 672–681. 2004.
  3. Ethnobotany
  4. Prickly Pears and Tree Tobacco for Ethanol Production in Semi-Arid Regions

Galeria[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Nicotiana glauca