Solanaceae

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Como ler uma caixa taxonómicaSolanaceae
Batata (Solanum tuberosum)

Batata (Solanum tuberosum)
Classificação científica
Reino: Plantae
Divisão: Magnoliophyta
Classe: Magnoliopsida
Ordem: Solanales
Família: Solanaceae
Género
Ver texto.
Wikispecies
O Wikispecies tem informações sobre: Solanaceae

Solanaceae é uma família botânica de plantas angiospérmicas (plantas com flor - divisão Magnoliophyta), pertencente à ordem Solanales, representada por aproximadamente 3000 espécies distribuídas em 150 gêneros. É uma família de grande importância para a alimentação da sociedade. Fazem parte dessa família botânica: a batata (Solanum tuberosum), o tomate (Solanum lycopersicum) o tabaco ou fumo (Nicotiana tabacum), etc. Algumas espécies são venenosas.
No Brasil, ocorrem 32 gêneros e 350 espécies. Todas as espécies podem ser encontradas na natureza sob a forma de ervas ou árvores, sendo que em alguns casos também podem ser trepadeiras.

Etimologia[editar | editar código-fonte]

Do gênero Solanum L., do verbo latim solari - consolar ou aliviar - devido às propriedades calmantes (narcóticas) de algumas espécies do gênero.

Informações Botânicas[editar | editar código-fonte]

Hábito[editar | editar código-fonte]

São plantas arbóreas, arbustos, ervas e raramente lianas. Seu floema é interno.

Folhas[editar | editar código-fonte]

Folhas simples, alternas, margens inteiras, lobadas ou partidas, sésseis ou pecioladas, glabras ou pilosas, sem estípulas, algumas vezes pinatissectas. Ramos ascendentes ou patentes, dicotômicos iguais ou desiguais, cilíndricos ou aplanados, concaulescência presente.

Flores[editar | editar código-fonte]

Inflorescência cimosa, algumas vezes reduzida a uma única flor;
Flores geralmente vistosas, bissexuadas, andróginas ou diclamídeas, pentâmeras, com comprimento variando de 1 a 20 cm, isoladas, aos pares, ou dispostas em inflorescências variadas extra-axilares, actinomorfas raro zigomorfas;
Cálice persistente, pentâmero, gamossépalo, prefloração valvar ou imbricada, às vezes ampliando-se no fruto;
Corola actinomorfa ou levemente zigomorfa, gamopétala, rotácea, campanulada, infundiforme, hipocrateriforme, tubulosa ou urceolada. Geralmente pentâmera e plicada, prefloração valvar, convoluta ou imbricada.
Androceu com 2 (em Schwenckia), 4 (em Brunfelsia) e 5 estames, epipétalos, anteras rimosas ou poricidas (Lycianthes, Solanum), com filetes livres ou parcialmente soldados entre si, com anteras poricidas (Solanum) ou rimosas.
Gineceu constituído de ovário súpero, bicarpelar, bilocular ou falsamente plurilocular, com muitos óvulos em cada lóculo, disco nectarífero geralmente presente, raramente tetralolular (Datura), estilete terminal, carpelos orientados obliquamente em relação ao eixo da flor, placentação axial.

Fruto[editar | editar código-fonte]

Fruto do tipo baga, drupa ou cápsula, por vezes envolvidos pelo cálice acrescente, sementes poucas a numerosas.

Gêneros Nativos[editar | editar código-fonte]

Acnistus, Athenaea, Aureliana, Bouchetia, Brunfelsia, Calibrachoa, Capsicum, Cestrum, Duckeodendron, Dyssochroma, Grabowskia, Hawkesiophyton, Heteranthia, Jaborosa, Juanulloa, Lycianthes, Lycium, Markea, Melananthus, Metternichia, Nicotiana, Nierembergia, Nolana, Nothocestrum, Oryctes, Pantacantha, Parabouchetia, Petunia, Physalis, Protoschwenckia, Salpichroa, Schwenkia, Sessea, Solandra, Solanum, Vassobia, Witheringia

Gêneros Introduzidos[editar | editar código-fonte]

Browalia, Brugmansia, Datura, Hyoscyamus, Juanulloa, Nicandra, Schizanthus, Streptosolen

Distribuição[editar | editar código-fonte]

Solanaceae possui distribuição cosmopolita, concentrada na região neotropical. E ainda nos artigos sobre floras, a da África-Nigéria (Gbile, 1976), Austrália (Haegi, 1979; Symon, 1979), China (Lu Na-ming, 1986), Índia (Deb, 1979) África (Edmondes, 2005) e Madagascar (Gentry & D’Arcy, 1986; D’Arcy, 1992) observou-se algumas coincidências específicas com a flora do Brasil. O endemismo no Brasil está representado pelos gêneros Athenaea no sudeste e sul; Duckeodendron na Amazônia; Dyssochroma no sudeste e sul; Heteranthia em Minas Gerais e Bahia e Metternichia em Minas Gerais, Bahia e Rio de Janeiro.

Posição Taxonômica[editar | editar código-fonte]

As plantas da família Solanaceae descritas por A.L.de Jussieu são fanerógamas por se reproduzirem através de sementes, que no Sistema de Classificação do Reino Vegetal estão situadas na divisão ANGIOSPERMAE (plantas com raiz, caule, folhas, flores, frutos e sementes), classe DICOTYLEDONEAE (sementes com dois cotilédones) e subclasse SYMPETALAE (flores com cálice e corola, sendo as sépalas e as pétalas unidas em quase toda a extensão ou somente na base).

Importância Econômica[editar | editar código-fonte]

A família Solanaceae é conhecida principalmente pela sua grande importância econômica. O gênero Solanum L., maior e mais complexo, apresenta espécies com elevado grau de representatividade graças às suas respectivas contribuições para a economia do país: a batata-inglesa (Solanum tuberosum L.), e o tomateiro (S. lycopersicum L.). Além disso, este gênero ainda oferece plantas ornamentais e plantas invasoras de culturas (MARTINS; FIGUEIREDO, 1998). De acordo com os dados do Levantamento Sistemático da Produção Agrícola, a batata e o tomate, respectivamente em ordem econômica, são as principais hortaliças cultivadas no Brasil (Filgueira, 2000).

Potencial Ornamental[editar | editar código-fonte]

Um bom exemplo de espécie da família Solanaceae com potencial ornamental é a Streptosolen jamesonii. Conhecida popularmente como marianinha, essa planta originária da África do Sul, Colômbia e Equador, é uma planta arbustiva com flores predominantemente alaranjadas agrupadas em hastes florais.

Referências[editar | editar código-fonte]

  • Solanaceae in L. Watson and M.J. Dallwitz (1992 onwards). The Families of Flowering Plants: Descriptions, Illustrations, Identification, Information Retrieval.
  • Souza, V.C. & Lorenzi, H. Botânica Sistemática: Guia ilustrado para identificação das famílias de Fanerógamas nativas e exóticas no Brasil, baseado em APG II. 2ª Edição. Instituto Plantarum de Estudos da Flora Ltda. 2008
  • Lista de Espécies da Flora do Brasil: floradobrasil.jbrj.gov.br
  • solanaceasnobrasil.com
  • Dissertação de FELICIANO, E. A.: SOLANACEAE A. JUSS. DA SERRA NEGRA, RIO PRETO, MINAS GERAIS: TRATAMENTO TAXONÔMICO E SIMILARIDADE FLORÍSTICA.
  • Revisão de literatura de FARIAS, J. S.: ESTUDOS DA RESISTÊCIA A VIROSES EM ESPÉCIES DO GÊNERO Solanum L. (Solanaceae A. Juss.).
  • REGENERAÇÃO DE CALOS EM MARIANINHA (Streptosolen jamesonii), PLANTA ORNAMENTAL DA FAMÍLIA SOLANACEAE: DADOS PRELIMINARES. Souza JA, Ferreira IT, Pastorini LD, Rosa DL, Pereira LM, Corrêa MGS, Viégas J, Ferreira AAF.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Nicotiana glauca

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Solanaceae
Wikispecies
O Wikispecies tem informações sobre: Solanaceae
Ícone de esboço Este artigo sobre asterídeas, integrado no Projeto Plantas é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.