Pierre Cardin

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta biografia de uma pessoa viva cita fontes fiáveis e independentes, mas elas não cobrem todo o texto. (desde Novembro de 2012) Ajude a melhorar esta biografia providenciando mais fontes fiáveis e independentes. Material controverso sobre pessoas vivas sem apoio de fontes fiáveis e verificáveis deve ser imediatamente removido, especialmente se for de natureza difamatória.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Pierre Cardin
Pierre Cardin com a atriz francesa Nora Arnezeder , em 2009.
Nascimento 7 de Julho de 1922 (91 anos)
Sant'Andrea di Barbarana, comuna de San Biagio di Callalta
Nacionalidade França Francês
Ocupação designer de moda
Influências
Influenciados

Pierre Cardin, nascido Pietro Cardin (Sant'Andrea di Barbarana, comuna de San Biagio di Callalta, 2 de julho de 1922), é um designer de moda italiano, naturalizado francês.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Nascido na Itália, seus pais, agricultores vênetos precipitados na pobreza pela Primeira Guerra Mundial, emigram para a França em 1924. Em 1936, o jovem Pierre começa seu aprendizado aos quatorze anos, com um alfaiate de Saint-Étienne. Depois de uma passagem no ateliê de Manby, em Vichy, ele chega afinal a Paris. Em 1945, após a Segunda Guerra Mundial, transfere-se para Paris, onde estuda arquitetura e trabalha com Madame Paquin. Trabalhou com Elsa Schiaparelli até se tornar chefe do ateliê dos alfaiates de Christian Dior, em 1947. Não foi aceito na casa de moda Balenciaga.

A túnica do Cosmos, de Cardin (1967).

Cardin fundou sua própria casa em 1950 e começou com alta costura três anos depois. Ficou conhecido por seu estilo de vanguarda e por seus trabalhos inspirados na "era espacial", com formatos e motivos geométricos, freqüentemente ignorando a forma feminina. Cardin investiu também nas roupas unissex, algumas vezes experimentais. Em 1954, introduziu o "vestido bolha". Ao lado de Paco Rabanne e André Courrèges, Cardin formou a "tríplice aliança" do futurismo na moda.[1]

Cardin foi o primeiro costureiro a considerar o Japão como um mercado de alta moda, quando para lá viajou em 1959. No mesmo ano, foi expulso de Chambre Syndicale de la Haute Couture] por lançar uma coleção Prêt-à-porter para a loja de departamentos Printemps, mas logo foi reintegrado. Contudo, em 1966, renunciou ao seu lugar na Chambre Syndicale e passou a exibir suas coleções no seu próprio espaço, o Espace Cardin, (outrora Théâtre des Ambassadeurs) aberto em 1971 na capital francesa. O Espace Cardin também é usado para promover novos talentos artísticos, como conjuntos de teatro, de música, etc.

Pierre Cardin foi um membro da Chambre Syndicale entre 1953 e 1993.Como muitos designers de moda da atualidade, em 1994, Cardin decidiu mostrar sua coleção apenas para um pequeno círculo de clientes e jornalistas selecionados.

Atualmente, com 800 licenças em 140 países, calcula-se que sua marca gere um movimento de aproximadamente 89 em royalties.[2]

Outras atividades[editar | editar código-fonte]

Logo de Pierre Cardin.
Pierre Cardin - Sculptures Utilitaires - Mesa e cadeira "Cobra"

Referências

  1. Retrô hi-tech. Estadão, 24 de março de 2010
  2. Pierre Cardin: metto all'asta il mio impero, por Paola Pollo. Corriere della Sera, 2 de julho de 2009
  3. Cinemateca Brasileira, Joanna Francesa [em linha]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Pierre Cardin