Ragnhild da Noruega

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ragnhild
Princesa da Noruega
Cônjuge Erling Lorentzen
Descendência
Haakon Lorentzen
Ingeborg Lorentzen
Ragnhild Lorentzen
Nome completo
Ragnhild Alexandra da Noruega
Casa Schleswig-Holstein-Sonderburg-Glücksburg
Pai Olavo V da Noruega
Mãe Marta da Suécia
Nascimento 9 de junho de 1930
Oslo, Noruega
Morte 16 de setembro de 2012 (82 anos)
Rio de Janeiro, Brasil
Enterro Igreja de Asker, Noruega

Ragnhild Alexandra da Noruega (Palácio Real de Oslo, 9 de junho de 1930Rio de Janeiro, 16 de setembro de 2012) foi a filha mais velha do rei Olavo V (1903-1991) e de sua esposa, a princesa Marta da Suécia (1901-1954). Era a irmã mais velha do rei Haroldo V e da princesa Astrid da Noruega. Era casada com o empresário Erling Lorentzen e, depois do seu casamento, ficou conhecida como Princesa Ragnhild, Senhora Lorentzen. A princesa e o seu marido estabeleceram-se no Brasil pouco depois do seu casamento, em 1953.

Ragnhild era bisneta de Eduardo VII do Reino Unido e, consequentemente, prima em segundo grau da Rainha Elizabeth II. À data da sua morte, estava em 75.º lugar na linha de sucessão ao trono britânico. A tia materna da princesa era a rainha Astrid da Bélgica; tal facto fez com que Ragnhild fosse prima em primeiro grau de Balduíno I da Bélgica e do sucessor deste, Alberto II.

A princesa morreu na sua casa do Rio de Janeiro a 16 de setembro de 2012, devido a doença prolongada, aos 82 anos.

Infância[editar | editar código-fonte]

Ragnhild foi a primeira princesa da Noruega a nascer em solo norueguês em 629 anos. A princesa cresceu na residência real de Skaugum, perto de Asker, a oeste de Oslo. Durante a Segunda Guerra Mundial, a princesa fugiu da invasão nazi com a sua família, tendo passado os anos de guerra no exílio, juntamente com a sua mãe e irmãos, em Washington, D.C..

Casamento e família[editar | editar código-fonte]

A princesa Ragnhild casou com Erling Lorentzen, um plebeu da classe alta e comerciante da Noruega, no dia 15 de maio de 1953, na Igreja de Asker. Gerou-se grande controvérsia quando a princesa casou com Lorentzen, um homem de negócios e oficial do exército que foi seu guarda-costas durante a Guerra, pois Ragnhild era o primeiro membro da realeza norueguesa a casar com um plebeu. Pouco depois do casamento, foi anunciado que a bandeira da Noruega deixaria de ser desfraldada no dia de aniversário da princesa.

O casal mudou-se para o Rio de Janeiro, Brasil, onde Lorentzen detém importantes participações em negócios, primeiro como residência temporária, mas depois acabou por se fixar lá definitivamente até à morte da Ragnhild, em 2012.

Ragnhild e Erling tiveram três filhos:

Títulos[editar | editar código-fonte]

Actividades[editar | editar código-fonte]

Como membro da família real norueguesa alargada, Raghnild não tinha deveres oficiais de Estado, mas marcava presença em eventos de família, como casamentos reais.

Uma conservadora convicta, a princesa criticou publicamente os seus sobrinhos, a Princesa Marta Luísa e o príncipe herdeiro Haquino Magno, pela escolha dos respectivos esposos, na TV 2, uma cadeia de televisão norueguesa, em 2004. De entre os seus comentários, destaca-se a sua crença de que os casamentos da geração jovem da família real poderiam derrubar a monarquia norueguesa e a sua esperança de estar morta antes que a esposa do seu sobrinho, a Princesa Herdeira Mette-Marit, se tornasse rainha.[1] Num esforço infrutífero para tentar evitar os danos à imagem da princesa, o marido de Ragnhild abordou a TV 2, pedindo que os comentários da mulher fossem editados.

A princesa Ragnhild era patrona da Organização Norueguesa para os Deficientes Auditivos.

Condecorações[editar | editar código-fonte]

Referências

Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.