Cristiano IX da Dinamarca

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Cristiano IX
Rei da Dinamarca, dos Godos e Vendos
Duque de Schleswig-Holstein-Stormarn-Dithmarschen-Lauemburgo e Oldemburgo
Rei da Dinamarca
Reinado 15 de novembro de 1863
a 29 de janeiro de 1906
Predecessor Frederico VII
Sucessor Frederico VIII
Esposa Luísa de Hesse-Cassel
Descendência
Frederico VIII da Dinamarca
Alexandra da Dinamarca
Jorge I da Grécia
Dagmar da Dinamarca
Tira da Dinamarca
Valdemar da Dinamarca
Casa Schleswig-Holstein-Sonderburg-Glücksburg
Pai Frederico Guilherme, Duque de Schleswig-Holstein-Sonderburg-Glücksburg
Mãe Luísa Carolina de Hesse-Cassel
Nascimento 8 de abril de 1818
Castelo de Gottorf, Schleswig, Ducado de Schleswig
Morte 29 de janeiro de 1906 (87 anos)
Palácio de Amalienborg, Copenhague, Dinamarca
Enterro 15 de fevereiro de 1906
Catedral de Roskilde, Roskilde
Religião Luteranismo

Cristiano IX (Schleswig, 8 de abril de 1818Copenhague, 29 de janeiro de 1906) foi o Rei da Dinamarca de 1863 até sua morte.

Juventude[editar | editar código-fonte]

O local de nascimento de Cristiano, o castelo Gottorp em Eslésvico.

Cristiano nasceu como o quarto filho de Frederico- Guilherme, Duque de Eslésvico-Holsácia-Sonderburgo-Glücksburgo e da Princesa Luísa-Carolina de Hesse. Através da mãe, era bisneto do rei Frederico V da Dinamarca, trineto de Jorge II do Reino Unido e descendente de vários outros monarcas, embora sem pretensões diretas a nenhum dos tronos europeus.

Através do pai, Cristiano era um membro de um ramo menor da soberana casa de Oldemburgo, descendente direto por via paterna do rei Cristiano III da Dinamarca e um descendente de Helwig de Schauenburgo, condessa de Oldemburgo, mãe do rei Cristiano I da Dinamarca, a herdeira (através da lei semi-sálica) do seu irmão Adolfo, o último Schauenburgo a ser duque de Eslésvico e conde de Holsácia. Portanto, Cristiano era passível de suceder nos ducados, embora ocupasse um lugar remoto na sucessão.

Cristiano cresceu na Dinamarca e foi educado na Academia Militar de Copenhaga. Foi pretendente à mão da Rainha Vitória do Reino Unido, e em 1842 acabou por casar-se com a princesa Luísa de Hesse-Cassel, uma sobrinha do Rei Cristiano VIII.

Herdeiro-presuntivo[editar | editar código-fonte]

Em 1847 foi escolhido, com a bênção das grandes potências europeias, como herdeiro presuntivo do trono dinamarquês, ocupado por Cristiano VIII, já que o seu filho, o futuro Frederico VII da Dinamarca) parecia incapaz de produzir descendência. O seu casamento foi importante nesta escolha, já que a sua mulher, enquanto sobrinha do rei, estava mais próxima do trono que ele mesmo.

Devido à Lei Sálica, a sucessão de Frederico VII, que não tinha filhos, tornou-se uma questão complicada que levou a vários conflitos.

As tendências nacionalistas na parte germanófona de Eslésvico-Holsácia fizeram com que nenhuma solução que mantivesse a união dos dois ducados com a Dinamarca fosse satisfatória para eles e para vários setores no então império alêmão. Estes ducados haviam sido herdados através da lei sálica por descendentes de Helwig de Schauenburgo, sendo que após Frederico VII na linha de sucessão estava Frederico, Duque de Augustenburgo (1829-1880). Este auto proclamou-se Frederico VIII de Eslésvico-Holsácia em 1863, e tornou-se o símbolo da independência pró-alemã nos ducados. No entanto, depois de seu pai ter abdicado dos direitos sucessórios por dinheiro, após o Protocolo de Londres em 1852, não foi considerado elegível como rei pela a maioria dos Dinamarqueses.

Na Dinamarca também vigorava a Lei Sálica, mas apenas entre os descendentes de Frederico III da Dinamarca, o primeiro rei a suceder por via hereditária (anteriormente os monarcas eram oficialmente eleitos). A sua descendência por via paterna extinguiu-se após a morte de Frederico VII, a partir de quando passou a vigorar uma lei sucessória semi-sálica promulgada por Frederico III. Havia no entanto dúvidas de interpretação da lei relativamente a quem herdaria a coroa. O problema foi resolvido com uma eleição e uma nova lei a confirmar o sucessor.

As parentes femininas mais próximas de Frederico VII eram as descendentes da sua tia paterna, "Luísa", que casou-se com um membro da casa de Hesse. Contudo, não eram descendentes agnáticos da família real, e portanto não elegíveis para a sucessão em Eslésvico-Holsácia.

Realeza Dinamarquesa
Casa de Glücksburg
Descendência
Royal Coat of Arms of Denmark (1948-1972).svg

A herdeira dinástica de acordo com a antiga primogenitura de Frederico III era "Carolina da Dinamarca" (1793-1881), a filha mais velha de Frederico VI, e depois a sua irmã "Guilhermina" (1808-1891). Nenhuma tinha filhos.

Alguns direitos pertenciam ainda a um ramo menor da família real, descendentes de uma filha de Frederico V, elegíveis para suceder em Eslésvico-Holsácia. Entre estes estavam o próprio Cristiano e os seus dois irmãos mais velhos, um deles sem filhos e o outro com descendência masculina.

O Príncipe Cristiano tinha sido adotado como neto pelo rei Frederico VI, e a rainha Maria Sofía Frederica de Hesse, que não tinham filhos varões. Ele estava por tanto familiarizado com a corte e as tradições dos monarcas. Cristiano era sobrinho-neto da rainha Maria e descendia de uma prima de Frederico VI. Fora criado com conceitos nacionalistas dinamarqueses e não estava ligado ao nacionalismo alemão, o que fazia dele um bom candidato aos olhos dinamarqueses. No entanto, apesar de ser elegível ao trono, estava numa posição afastada na linha de sucessão.

Sua esposa Luísa, era a filha mais velha do filho primogênito da parente feminina mais próxima do rei Frederico VII. O pai e os irmãos de Luísa renunciaram aos seus direitos sucessórios em favor dela, e do marido. A mulher do príncipe Cristiano era agora a herdeira mais próxima de Frederico VII. Este casamento cimentou a sua posição como herdeiro do trono dinamarquês.

Tendo ascendido ao trono em 15 de Novembro de 1863, após a morte de Frederico VII.

Reinado[editar | editar código-fonte]

O rei Cristiano IX com seu bisneto, o príncipe Eduardo de Iorque, posteriormente Eduardo VIII do Reino Unido. O rei Jorge I da Grécia está no fundo.

Depois de se tornar rei, Cristiano enfrentou uma crise sobre a posse e o estatuto de Eslésvico-Holsácia, duas províncias no sul da Dinamarca, quando assinou sob pressão, a Constituição de Novembro, um tratado que fez de Eslésvico parte da Dinamarca. Isto resultou numa breve guerra entre a Dinamarca e a aliança Austro-Prussiana em 1864. Na primeira guerra a Dinamarca saira vitoriosa, porém em um segundo confronto a Dinamarca perdeu levando à anexação de Eslésvico-Holsácia à Prússia em 1865.

"Sogro" da Europa[editar | editar código-fonte]

Cristiano IX e Luísa tiveram um casamento bem sucedido, e os seus seis filhos realizaram casamentos notáveis em várias casas reais europeias, sendo pais, tios e avós de cinco monarcas europeus, afirmando a nova linhagem dinástica de Glücksburgo, como uma das mais mais proeminentes do continente. Atualmente, a maioria das casas reais reinantes e depostas descendem de Cristiano IX e sua esposa.


Os seus filhos foram:

Sarcófago neoclássico de Cristiano IX, na catedral de Roskilde.

Morte[editar | editar código-fonte]

A rainha Luísa precedeu seu marido falecendo no dia 29 de setembro de 1898 na mansão Bernstorff perto de Copenhaga. Já Cristiano morreu tranquilamente de velhice aos 87 anos, no Palácio de Amalienborg no centro de Copenhaga, e foi sepultado em uma capela que leva seu nome na catedral de Roskilde, o mausoléu da realeza dinamarquesa a séculos.

Ele foi sucedido como rei por seu filho primogênito, Frederico VIII.

Precedido por
Frederico VII
Rei da Dinamarca
18631906
Sucedido por
Frederico VIII
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.