Frederico VI da Dinamarca

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Frederico VI
Rei da Dinamarca, dos Godos e Vendos
Duque de Schleswig-Holstein-Stormarn-Dithmarschen-Lauemburgo e Oldemburgo
Rei da Dinamarca
Reinado 13 de março de 1808
a 3 de dezembro de 1839
Coroação 31 de julho de 1815
Predecessor Cristiano VII
Sucessor Cristiano VIII
Rei da Noruega
Reinado 13 de março de 1808
a 7 de fevereiro de 1814
Predecessor Cristiano VII
Sucessor Cristiano Frederico
Esposa Maria Sofia de Hesse-Cassel
Descendência
Carolina da Dinamarca
Guilhermina Maria da Dinamarca
Casa Oldemburgo
Pai Cristiano VII da Dinamarca
Mãe Carolina Matilde da Grã-Bretanha
Nascimento 28 de janeiro de 1768
Palácio de Christiansborg, Copenhague, Dinamarca
Morte 3 de dezembro de 1839 (71 anos)
Palácio de Amalienborg, Copenhague, Dinamarca
Enterro Catedral de Roskilde, Roskilde, Dinamarca
Religião Luteranismo

Frederico VI (Copenhague, 28 de janeiro de 1768 – Copenhague, 3 de dezembro de 1839) foi o Rei da Dinamarca de 1808 até sua morte e também Rei da Noruega de 1808 até sua abdicação em fevereiro de 1814. Foi regente durante a doença mental de seu pai a partir de 1784 até sua ascensão, sendo chamado de Príncipe Herdeiro Regente.

Foi nomeado presidente do Conselho de Estado em 1784, logo após seu pai ficar incapacitado para tal cargo e atuou como regente até a morte de Cristiano VII, que aconteceu em 1808. Frederico, com a colaboração do conde Andreas Peter Bernstoff, conduziu uma série de reformas, como a concessão de liberdade de imprensa, direito civil ao judeus e a abolição do comércio de escravos.

Uniu-se à Liga de Neutralidade Armada contra a Inglaterra, formada por estados do norte da Europa (Rússia, Suécia e Prússia) em 1800. Esta decisão foi consequência de os britânicos não terem respeitado os direitos dos navios livres durante a Revolução Francesa. Desde esse momento, todos os barcos dinamarqueses que se encontravam em portos britânicos foram capturados. Quando Frederico se negou a abandonar a convenção de neutralidade, um ano depois, a frota dinamarquesa foi destruída quase totalmente pelo armada britânica, sob o comando do almirante Nelson.

Frederico se manteve firma na sua luta contra os ingleses durante as Guerras Napoleônicas (a Dinamarca permanecia neutra) e os britânicos bombardearam Copenhague em 1807. O rei se aliou com Napoleão neste mesmo ano. Quando o imperador francês foi derrotado em 1814, Frederico se viu obrigado a ceder a Noruega e a Suécia, conforme estipulado no Tratado de Kiel.

A guerra deixou o país na bancarrota e o monarca dedicou vários anos a por em ordem a economia dinamarquesa. Na última época de seu reinado, formou um governo constitucional e estabeleceu conselhos provinciais.

Foi sucedido no trono pelo seu primo que assumiu como Cristiano VIII da Dinamarca.

Casamento e descendência[editar | editar código-fonte]

Frederico casou-se a 31 de Julho de 1790 com a sua prima direita, a landegravina Maria Sofia de Hesse-Cassel. O casal teve oito filhos:

Precedido por
Cristiano VII
Rei da Dinamarca
1808 - 1839
Sucedido por
Crisitiano VIII
Precedido por
Cristiano VII
Rei da Noruega
1808 - 1814
Sucedido por
Cristiano Frederico


Ícone de esboço Este artigo sobre reis é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.