Reino da Dinamarca e Noruega

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde maio de 2010).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Kongeriget Danmark og Norge
Reino da Dinamarca e Noruega

Reino

Flag of the Kalmar Union.svg
1536 – 1814 Norge-Unionsflagg-1844.svg
 
Flag of Denmark.svg
Flag Brasão
Bandeira Brasão
Localização de Dinamarca-Noruega
Reino da Dinamarca e Noruega de 1780 a 1814
Continente Europa
Capital Copenhaga
55° 40' N 12° 34' E
Língua oficial Dinamarquês e Alemão
Religião Luteranismo
Governo Monarquia
Rei
 • 1524-1533 Frederico I
 • 1588-1648 Cristiano IV
 • 1766-1808 Cristiano VII
 • 1808-1839 Frederico VI
Período histórico Idade Moderna
 • 6 de Junho de 1536 Secessão da Suécia
 • Setembro de 1814 Dissolução

O Reino da Dinamarca e Noruega ou Dinamarca-Noruega (em dinamarquês e norueguês: Danmark-Norge) foi um antigo país europeu cujo território incluía a Dinamarca e a Noruega, bem como as dependências da Islândia, Groenlândia e as Ilhas Faroe durante o período que todos eles formaram um só estado político unificado até 1814.

O termo Reino da Dinamarca é por vezes usado para incluir ambos os países durante o período 1536–1814, uma vez que o poder político e económico emanava de Copenhaga, na Dinamarca. O termo cobre a "parte real" dos Oldenburgos tal como existia em 1460, excluindo a "parte ducal" de Schleswig e Holstein. O estado era administrado em duas línguas oficiais, o dinamarquês e o alemão.

História[editar | editar código-fonte]

Vikingshipmini.jpg
Este artigo é parte da série
Escandinávia
Geografia
Península
Montanhas
Tópicos
Idiomas
Escandinavismo
Conselho Nórdico
SAS
Varangianos
Ting
História
História da Suécia
História da Noruega
História da Dinamarca
Era dos Vikings
Vikings
União de Kalmar
Dinamarca-Noruega
Suécia-Noruega
União Monetária
União de defesa

Na sequência da secessão definitiva da Suécia da União de Kalmar em 1521, instalou-se uma guerra civil seguida da Reforma Protestante na Dinamarca e na Noruega. Após uma acalmia, o Rigsraad (Conselho Superior) da Dinamarca ficou enfraquecido, e finalmente abolido em 1660 quando Dinamarca e Noruega se tornaram estados absolutistas e monarquias hereditárias. Estas mudanças foram confirmadas na Lex Regia, assinada em 14 de Novembro de 1665, que estipulava que todo o poder assentasse nas mãos do Rei, o único responsável perante Deus. O equivalente Riksraad norueguês reuniu-se pela última vez em 1537. A Noruega conservou leis separadas e algumas instituições, como o chanceler real, a cunhagem de moeda e um exército próprios.

Após as Guerras Napoleónicas e a terrível Guerra dos Canhoeiros (1807-1814), a Dinamarca-Noruega foi derrotada e teve de ceder território na Noruega ao Rei da Suécia pelo Tratado de Kiel. As possessões ultramarinas norueguesas foram mantidas pela Dinamarca. Os noruegueses opuseram-se a este tratado, e uma assembleia constitucional declarou a independência norueguesa em 17 de Maio de 1814, elegendo o Príncipe Cristiano Frederico (Cristiano VIII da Dinamarca) como Rei da Noruega independente. Todavia, após a invasão pela Suécia, a Noruega foi obrigada a aceitar uma união pessoal mas reteve a sua constituição liberal e instituições separadas, excepto em relação à política com o estrangeiro. Esta União Sueco-Norueguesa durou quase um século, e foi dissolvida em 1905.

Ícone de esboço Este artigo sobre Escandinávia (geral) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.