Haroldo I da Noruega

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Haroldo I
Rei da Noruega
Flateyjarbok Haraldr Halfdan.jpg
Governo
Reinado 872 - 933
Consorte Ragnilda Eriksdotter
Åsa Håkonsdotter
várias concubinas
Sucessor Érico I
Casa Real Hårfagreætta
Vida
Nome completo Haraldr Hálfdanarson
Nascimento 850
Leste da Noruega
Morte 943 (93 anos)
Rogaland, Noruega
Sepultamento Haugesund
Filhos Érico I da Noruega
Haakon I da Noruega
Pai Halfdan, o Negro
Mãe Ragnilda Sigurdsdotter

Haroldo I da Noruega, também dito Haroldo Cabelo Belo[1] [2] (em nórdico antigo: Haraldr Hárfagri; em noruguês moderno: Harald Hårfagre; c. 850943) foi o fundador e o primeiro rei da Noruega. Reinou entre 872 e 930.

Sucedeu seu pai, Halfdan "o Negro" Gudrødsson, em 860, como soberano de diversos pequenos reinos esparsos, na região de Vestfold, que haviam caído nas mãos de seu pai através da conquista e da herança, situando-se sobretudo no sudoeste da Noruega.

Foi o fundador da dinastia Hårfagreætta e o viking que uniu a Noruega. A batalha decisiva travada no fiorde de Hafrs ocorreu entre 885 e 900. Foi uma batalha naval, e a autoridade de Haraldo em sua plenitude era essencialmente a de um rei do mar. Também esteve ativo nas Órcades e Shetland, e mais tarde a opinião escandinava atribuiu boa parte da turbulência viking do final do sec. IX à insatisfação de uma jovem aristocracia de capitães do mar, contra o poder centralizador e autoritário do rei Haraldo.

Em 866, Haroldo fez uma série de conquistas sobre os pequenos reinos que iriam formar a Noruega, incluindo Värmland, na Suécia, e a sudoeste da Noruega moderna, que estabelecera uma aliança com o rei sueco Érico IV Anundsson. Em 872, após uma grande vitória na Batalha do Fiorde de Hafrs, perto de Stavanger, Haroldo tornou-se o rei de todo o país. O seu reino estava, contudo, ameaçado por perigos exteriores, uma vez que muitos dos seus adversários se haviam refugiado não só na Islândia, mas também nas ilhas Órcades, Shetland e Hébridas, para além de outros locais no norte da Europa.

Porém, os seus adversários não tinham partido apenas por vontade própria. Muitos chefes tribais era ricos e respeitados, contituindo também uma ameaça para Haroldo. Assim, eram muito pressionados por Haroldo, que os convidava a abandonarem as suas terras. Este desenrolar da história levou ao povoamento da Islândia e das terras ainda mais longínquas. De certa forma, o rei Haroldo contribuiu para a sociedade islandesa moderna e para que as sagas islandesas fossem escritas. Outras pessoas que contestavam os impostos pesados que Haroldo exigia, sobre terras outrora por elas dominadas, também partiram para a Islândia.

A fase mais adiantada do reino de Haroldo foi perturbada por conflitos com os seus muitos filhos. Deu-lhes a todos títulos de realeza e atribuiu-lhes terras, que deveriam governar como seus representantes. Contudo, este acordo não colocou um ponto final sobre a discórdia, que continuou no reinado seguinte. Quando envelheceu, Haroldo passou o poder supremo para as mãos do seu filho preferido, Érico Machado Sangrento, o qual gostaria que fosse o seu sucessor. Passaram a reinar juntos, em 930, quando Haroldo tinha 80 anos. Este viria a morrer 3 anos mais tarde, em 933, tendo tido 23 filhos de oito diferentes mulheres. Doze de seus filhos tornaram-se reis, dois dos quais sobre o país inteiro.

Lenda[editar | editar código-fonte]

Gyda vendo os mensageiros de Haroldo anunciando o casamento

O nascimento da Noruega é, de acordo com uma lenda, uma espécie de história de amor. A lenda começa com uma proposta de casamento que acaba na rejeição e no escárnio de Gyda, a filha de um rei vizinho. Ela diz que se recusa a casar com Haroldo, enquanto ele não for rei de toda a Noruega. Haroldo foi, então, induzido a fazer um voto de não cortar, nem pentear o seu cabelo enquanto não fosse o único rei da Noruega. Dez anos mais tarde, cortou-o, já rei da Noruega, e casou-se com Gyda, que manteve a sua promessa. A maioria dos estudiosos crê que esta história é apenas uma lenda, inspirada pelos contos românticos que eram populares nas cortes, na altura em que a colecção de sagas Heimskringla foi escrita. A sua longa e bela cabeleira deu origem ao seu cognome, Cabelo Belo.

Descendentes[editar | editar código-fonte]

Além do casamento mencionado na lenda sobre o nascimento da Noruega (que não foi o primeiro casamento do rei), sabe-se que Haroldo I casou-se mais cinco vezes, e teve ainda filhos ilegítimos.

Com sua primeira esposa, Asa Haakonsdatter, filha do conde Hakon Grjotgardsson, teve 4 filhos:

  • Guttorm, (?-915) rei de Glommen to Svinasund e Ranrike
  • Halfdan “o Negro”, gêmeo, (?-932) rei das terras ao norte de Trondheim
  • Halfdan “o Branco”, gêmeo, (?-915) rei das terras ao norte de Trondheim
  • Sigrod, (?-934) rei das terras ao norte de Trondheim

Com sua segunda esposa, Gyda Eiriksdatter, filha de Erik, rei de Hordaland, teve 1 filha e 4 filhos:

  • Alof “Aarbod”, casada em 890 com Thore Ragnvaldsson “o Silencioso”, filho de Ragnvaldo Eisteinsson, o Sábio e, portanto, irmão do líder viking Rollo
  • Rorek
  • Sigtryg – Na divisão feita por seu pai, os territórios de Vingulmark, Raumarike, Vestfold e Telemark seriam dos filhos: Sigtryg, Frode, Thorgils, Olavo e Bjorn (os dois últimos são filhos da terceira esposa).
  • Frode
  • Thorgils

Com sua terceira esposa, Svanhild Eisteinsdatter - talvez filha de Eistein “Glumra” (“Calamidade” ou “Barulhento”), conde de Oppland, e, portanto, irmã de Ragnvald Eisteinsson “o Sábio” -, teve 3 filhos:

Com sua quarta esposa, Alvilda, filha de Ring Dagsson de Ringerike, teve:

  • Dag
  • Ring
  • Gudrod “Skirja” (este seria um filho ou uma filha?)
  • Ingegerd Haraldsdatter

Com sua quinta esposa, Esnefrida, filha de Svase o Finlandês, teve 4 filhos:

  • Sigurdo Hrise (“Gigante”), rei de Ringerike – Na divisão feita por seu pai, os territórios de Ringerike, Hadeland, Thoten e suas dependências seriam dos filhos que teve de sua esposa Esnefrida.
  • Halfdan “Haaleg” (“Perna longa”) (?-894)
  • Gudrod “Ljome” (“Brilhante”)
  • Ragnvald “Rettilbeine”

Com sua sexta esposa, Ragnilda Eiriksdatter da Jutlândia, “a Rica” (?-897), filha de Érico ou Rodrigo da Jutlândia (ou da Dinamarca), teve 1 filho:

De uma concubina, cujo nome se desconhece, teve 1 filha:

  • Ingeborg Haraldsdatter

De uma concubina chamada Tora Mosterstang, teve 1 filho:

Mapas dos antigos reinos noruegueses[editar | editar código-fonte]

Referências

Precedido por
Novo título
Rei da Noruega
872 - 933
Sucedido por
Érico machado sangrento