Rito moçárabe

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde Fevereiro de 2008).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.

Designa-se por rito moçárabe ou rito hispano-moçárabe aos rituais litúrgicos latinos originariamente criados e praticados pelos primeiros cristãos hispânicos ou ibéricos, ainda sob domínio Romano. Sofreu importantes alterações durante o período Visigótico; mais tarde os cristãos moçárabes continuaram a praticar o rito mesmo sob o domínio árabe da Península Ibérica.

Em 1080 o Concílio de Burgos determina a substituição do rito moçárabe pelo rito romano.

Afonso VI de Leão e Castela declarou oficialmente a abolição da liturgia hispânica e a substituição da mesma pela liturgia romana, no entanto, com alguma oposição por parte do povo e algum clero.

Em 1085, após a reconquista de Toledo, esta manteve o rito após consenso entre o Rei Afonso VI e os paroquianos de Toledo.

Ainda hoje é celebrado o rito moçárabe na Catedral de Toledo, e pela Igreja Espanhola Reformada Episcopal (anglicana). A Catedral de Toledo apresenta, em alguns pontos, elementos arquitectónicos moçárabes.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Ícone de esboço Este artigo sobre Cristianismo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.