Uso Anglicano

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

O Uso Anglicano é um dos ritos litúrgicos latinos, ou seja, um dos ritos litúrgicos ocidentais da Igreja Católica, e é usado por algumas paróquias católicas que anteriormente foram da Igreja Anglicana e em 1980 foram autorizadas pelo Papa João Paulo II a manterem a tradição litúrgica e organizativa anglicanas.

O rito, sendo uma variante do Rito Romano, assemelha-se por isso com a Missa Tridentina. Mas, ele é baseado também no antigo rito inglês de Sarum e no Livro de Oração Comum anglicano.

Uma outra Provisão Pastoral permitiu que ministros anglicanos ou protestantes de tradição litúrgica sejam aceitos pela Igreja Católica e ordenados sendo casados. Essas paróquias não possui uma supervisão episcopal própria e nem um ordinariato específico, mas estão sujeitas aos bispos locais.

Existem poucas paróquias desse rito, sendo que todas elas estão nos Estados Unidos da América (EUA). Em 2009, devido à constituição apostólica Anglicanorum Coetibus, do Papa Bento XVI, os anglicanos que quisessem entrar "na plena comunhão com a Igreja Católica" seriam organizados em ordinariatos pessoais.[1] Devido a este facto histórico, no dia 3 de Março de 2010, os leigos e os clérigos católicos (na sua maior parte casados) do Uso Anglicano, juntamente com os anglicanos dissidentes norte-americanos da Comunhão Anglicana Tradicional, solicitaram formalmente a criação nos EUA de um ordinariato pessoal.[2]

Referências

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

(todos em inglês)