Igreja Católica Bizantina Húngara

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

A Igreja Católica Bizantina Húngara, ou a Igreja Greco-Católica Húngara, é uma Igreja particular oriental sui juris em comunhão com a Igreja Católica. Isto quer dizer que ela, nunca abandonando as suas veneráveis tradições e ritos litúrgicos orientais, aceita a autoridade e primazia do Papa. Unida formal e oficialmente à Santa Sé em 1646, os greco-católicos húngaros só tiveram a sua primeira eparquia em 1912. Antes disso, eram cuidados e assitidos por clérigos pertencentes à Eparquia Rutena de Mukachevo.

Actualmente, esta Igreja oriental é governada por um Eparca, mas sempre sob a supervisão do Papa. Esta Igreja conta com cerca de 290 mil fiéis, concentrados na sua esmagadora maioria na Hungria. O seu rito litúrgico é de tradição bizantina e utiliza o húngaro como língua litúrgica.

A simples existência da Igreja Greco-Católica Húngara não significa que a Hungria não tenha católicos de rito latino. Aliás, os católicos latinos constituem a maioria dos católicos existentes na Hungria.

História[editar | editar código-fonte]

Os greco-católicos húngaros concentraram-se inicialmente naquilo que é agora o nordeste da Hungria. Esta região foi historicamente habitada também por ortodoxos da cordilheira dos Cárpatos. Estes greco-católicos foram atendidos pela Eparquia Rutena de Mukachevo (em húngaro: Munkács). No século XVIII, muitos protestantes húngaros aderiram à Igreja Católica Romana, mas adoptaram o rito bizantino local, em vez do rito romano.

Talvez em grande parte devido a esta última razão, os greco-católicos húngaros começaram a usar a língua húngara na sua liturgia. Uma tradução húngara da Divina Liturgia de São João Crisóstomo foi publicado em 1795 para o estudo privado e académico. Representantes das 58 paróquias de língua húngara reuniram-se em 1868 e, naquela reunião, decidiram criar uma organização para promover o uso litúrgico da língua húngara e da criação de um eparquia separada da Igreja Católica Rutena. Em 1882 assistiu-se inclusivamente à publicação, sem aprovação formal eclesiástica, de uma tradução húngara da Divina Liturgia de São João Crisóstomo para o uso real nas missas, que foi logo seguido por diversas traduções húngaras de outros textos litúrgicos bizantinos. Finalmente, em 8 de Junho de 1912, o Papa São Pio X estabeleceu a Eparquia de Hajdúdorog, a base e o centro de organização da Igreja Húngara.

Em 4 de Junho de 1924, o exarcado apostólico de Miskolc foi criado. Num primeiro momento - porque naquela época o exarcado continuou a usar o eslavo eclesiástico como língua litúrgica -, esta circunscrição eclesiástica foi classificado como rutena, mas agora ela é considerada como parte da Igreja Greco-Católica Húngara.

Um pequeno número de greco-católicos húngaros emigraram para a América do Norte, onde as suas poucas paróquias são ainda hoje cuidadas, nos EUA, pela Arquieparquia Metropolitans de Pittsburgh (da Igreja Católica Rutena) e, no Canadá, por eparquias ucranianas.

Organização territorial[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre Catolicismo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.