Sesshō e Kanpaku

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Governo do
Japão Feudal
Este artigo é parte da série:
História do Japão
Sesshō

Daijō-kan
Conselho de Estado

Cargos Menores

  • Sangi
    (Conselheiro 4º Escalão)

No Japão, Sesshō (摂政?) era o título dado a um regente nomeado para ajudar um imperador ou uma imperatriz até atingir a idade adulta. O Kampaku (関白?) era teoricamente uma espécie de conselheiro-chefe do imperador, mas o título foi designado tanto para o primeiro-secretário como para o regente que ajudava o imperador já adulto. Durante o Período Heian, se tornaram os verdadeiros governantes do Japão. Havia pouca, se existisse alguma, diferença efetiva entre os dois títulos, e vários Sesshōs tiveram alterados títulos para Kampaku quando o Imperador atingia a idade adulta, e vice-versa quando imperadores adultos se aposentavam ou morriam e eram substituídos por imperadores criança. Os dois títulos eram conhecidos coletivamente como Sekkan (摂関?), e as famílias que mantinham exclusividade destes títulos eram chamadas Sekkan-ke. Após o Período Heian, o xogunato assumiu o poder [1] .

Um Kampaku aposentado era chamadoTaikō (太閤?) , e geralmente se refere a Toyotomi Hideyoshi .

História[editar | editar código-fonte]

Em épocas anteriores, apenas os membros da família imperial poderiam ser nomeado Sesshō . Por exemplo, que a Imperatriz Jingo foi Sesshō do Imperador Ojin [2] . Historicamente o primeiros Sesshō foi o Príncipe Shotoku que ajudou a Imperatriz Suiko [3] .

O Clã Fujiwara foi o primeiro detentor dos títulos de Kampaku e Sesshō. Mais precisamente esses títulos foram dados aos Fujiwara de Hokke (no norte) e seus descendentes.

Em 858, Fujiwara no Yoshifusa tornou Sesshō . Ele foi o primeiro a não pertencer à casa imperial. Em 876 Fujiwara no Mototsune , seu sobrinho e filho adotivo, foi nomeado para o cargo recém-criado de Kampaku [4] .

Depois de Fujiwara no Michinaga e Fujiwara no Yorimichi, somente seus descendentes detinham esses dois títulos. No século XII, os descendentes de Yorimichi haviam formado cinco famílias que eram chamadas Sekke : Família Konoe , Família Kujō , Família Ichijō , Família Takatsukasa e Família Nijō . As famílias Konoe e Kujō eram descendentes de Yorimichi, através de Fujiwara no Tadamichi. As outras três famílias derivaram ou dos Konoe ou dos Kujô. Até a Restauração Meiji em 1868, só houveram duas exceções, Toyotomi Hideyoshi e seu sobrinho Toyotomi Hidetsuguas, no restante os cargos de Kampaku e Sesshō eram dados a um membro das cinco famílias.

O título de Kampaku caiu em desuso por convenção, com a nomeação do primeiro primeiro-ministro do Japão durante a Restauração Meiji. O Imperador Meiji aboliu o cargo em 1872. Hoje, sob a Lei da Casa Imperial , o cargo de Sesshō é restrito à Família Imperial. O Príncipe Hirohito , antes de se tornar Imperador Showa, foi Sesshō entre 1921 e 1926 do Imperador Taishō. Ele foi chamado Sesshō-no-Miya .

Referências

  1. Louis Frédéric. Le Japon, dictionnaire et civilisation (em francês). Paris: Edicion Bouquins, 1996. 1419 pp. ISBN 2221067649
  2. Japanese Royal Tomb Opened to Scholars for First Time (em inglês). National Geographic News. 28 Abril 2008.
  3. Titsingh. Suiko (em francês). Annales des empereurs du japon pp. 39.
  4. Titsingh. Dairi (em francês). Annales des empereurs du japon pp. 132.
Ícone de esboço Este artigo sobre História do Japão é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.