Sistema de numeração decimal

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Sistema decimal)
Ir para: navegação, pesquisa
Sistemas de numeração por cultura
Numerais hindu-arábico
Árabe ocidental
Árabe oriental
Família indiana
Khmer
Mongólico
Thai
Numerais leste-asiáticos
Chinês
Counting rods
Japonês
Coreano
Suzhou
Numerais alfabéticos
Abjad
Armênio
Āryabhaṭa
Cirílica
Ge'ez
Grego (jônio)
Hebraico
Outros sistemas
Ático
Babilônica
Brahmi
Egípcios
Etrusco
Inuíte
Maia
Romano
Urnfield
Lista de sistemas de numeração
Sistema de numeração posicional
5, 10, 15, 20
2, 4, 8, 16, 32, 64
3, 6, 9, 12, 24, 30, 36, 60
1, 7, 13, 26

O sistema decimal é um sistema de numeração de posição que utiliza a base dez.

Forma e seqüência da grafia medieval dos algarismos arábicos que aparecem na página de título do Libro Intitulado Arithmetica Practica, por Juan de Yciar.

Um sistema de numeração é um conjunto de princípios constituindo o artifício lógico de classficação em grupos e subgrupos das unidades que formam os números. A base de um sistema de numeração é uma certa quantidade de unidades que deve constituir uma unidade de ordem imediatamente superior. Os sistemas de numeração tem seu nome derivado da sua base, ou seja, o sistema binário tem base dois, o sistema septimal tem base sete e o decimal tem base dez.[1]

O princípio fundamental do sistema decimal é que dez unidades de uma ordem qualquer formam uma de ordem imediatamente superior. Depois das ordens, as unidades constitutivas dos números são agrupadas em classes, em que cada classe tem três ordens, em que cada ordem tem uma denominação especial, sendo idênticas às mesmas ordens de outras classes.[1]

A primeira classe, das unidades, tem as ordens das centenas, dezenas e unidades. A primeira ordem da primeira classe, ou seja, a ordem das unidades, corresponde aos números um, dois, três, quatro, cinco, seis, sete, oito e nove. A segunda ordem da primeira classe, a ordem das dezenas, corresponde aos números dez (uma dezena), vinte (duas dezenas), trinta (três dezenas), quarenta (quatro dezenas), cinquenta (cinco dezenas), sessenta (seis dezenas), setenta (sete dezenas), oitenta (oito dezenas) e noventa (nove dezenas), sendo cada um destes números dez vezes o número correspondente na ordem anterior. A terceira ordem da primeira classe, a ordem das centenas, corresponde aos números que vão de uma centena a nove centena, ou seja, cem, duzentos, trezentos, quatrocentos, quinhentos, seiscentos, setecentos, oitocentos e novecentos. Analogamente, cada um destes números corresponde a dez vezes o número correspodente na ordem anterior.[1]

A segunda classe, a classe dos milhares, inclui a quarta, quinta e sexta ordens, que são, respectivamente, a ordem das unidades de milhar, dezenas de milhar e centenas de milhar. Seus nomes são os nomes dos números da primeira classe, seguidos de milhares. Ou seja, a quarta ordem (unidades de milhar) corresponde a mil (ou um milhar), dois mil, etc, até nove mil, a quinta ordem, dezenas de milhar, vai de dez mil a noventa mil, e a sexta ordem, centenas de milhar, vai de cem mil a novecentos mil.[1]

A terceira classe corresponde à classe dos milhões. A partir daí, segundo o texto de João José Luiz Viana adoptado no Brasil, as classes se chamam classes dos bilhões (quarta classe), trilhões (quinta classe), quatrilhões (sexta classe), quintilhões (sétima classe), sextilhões(oitava classe), septilhões (nona classe), octilhões (décima classe), nonilhões (décima primeira classe), etc.[1] [Nota 1]

Os nomes dos números inteiros compreendidos entre dez e vinte, ou entre vinte e trinta, etc, até os compreendidos entre noventa e cem,[Nota 2] são formados pelos nomes das unidades de segunda ordem, seguidos dos nomes das unidades de primeira ordem: dez e um, dez e dois, ..., dez e nove, vinte e um, ..., ..., noventa e nove; em lugar de dez e um, ..., dez e cinco diz-se onze, doze, treze, quatorze e quinze.[1]

Os nomes dos noventa e nove números compreendidos entre cada dois números da terceira ordem, ou seja, os números entre cem e duzentos, ou entre duzentos e trezentos, etc, são formados dos números da unidade de terceira ordem seguidos dos nomes dos noventa e nove primeiros números inteiros, e são cento e um, cento e dois, ..., cento e noventa e nove, duzentos e um, duzentos e dois, duzentos e três, ..., duzentos e noventa e nove, trezentos e um, trezentos e dois, trezentos e três, ..., novecentos e noventa e nove.[1]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Notas e referências

Notas

  1. Em alguns livros, usa-se uma notação diferente para as classes acima da classe do milhão, (ver Bilhão e Escalas curta e longa) chamando a quarta classe dos milhares de milhão, a quinta classe dos bilhões, a sexta classe dos milhares de bilhão, etc.
  2. O texto de Viana deixa implícito que esta notação termina em 100.

Referências

  1. a b c d e f g Vianna, João José Luiz. Introducção, Noções preliminares, Ponto 13.. Elementos de Arithmetica (1883). 15.ª edição ed. Rio de Janeiro, Brasil: Livraria Francisco Alves, 1914. Capítulo: Introducção. , p. 5 e seguintes. (Texto disponível no Wikisource) Página visitada em 2012-12-26.
Ícone de esboço Este artigo sobre matemática é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.