Srečko Katanec

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Srečko Katanec
Srečko Katanec.jpg
Informações pessoais
Nome completo Srečko Katanec
Data de nasc. 10 de Julho de 1963 (50 anos)
Local de nasc. Ljubljana, Iugoslávia
Altura 1,90 m
Informações profissionais
Posição Defensor (aposentado)
Treinador
Clubes de juventude
1970-1979 Jugoslávia Ljubljana
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos (golos)
1979-1981
1981-1985
1986-1988
1988-1989
1989-1995
Jugoslávia Ljubljana
Jugoslávia Olimpija Ljubljana
Jugoslávia Partizan
Alemanha Stuttgart
Itália Sampdoria
30 (1)
90 (2)
58 (3)
20 (2)
192 (4)
Seleção nacional
1983-1990
1995
Flag of SFR Yugoslavia.svg Iugoslávia
Flag of Slovenia.svg Eslovénia
31 (5)
5 (1)
Times que treinou
1998
1998-2002
2002-2003
2006-2009
2009-2011
2013–
Eslovénia HiT/ND Gorica
Flag of Slovenia.svg Eslovénia
Grécia Olympiakos
Flag of Macedonia.svg Macedónia
Flag of the United Arab Emirates.svg Emirados Árabes Unidos
Flag of Slovenia.svg Eslovénia
{{{treinadorjogos}}}

Srečko Katanec (Ljubljana, 16 de julho de 1963) é um ex-futebolista esloveno, que atualmente é o técnico da Seleção Eslovena de Futebol.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Entre os títulos que conquistou, destacam-se o campeonato iugoslavo de 1987, pelo Partizan Belgrado; o campeonato italiano de 1991 e a Recopa Européia de 1989 pela Sampdoria, clube pelo qual chegou à final da Copa dos Campeões da UEFA em 1992; também foi vice-campeão na Copa da UEFA de 1989, pelo Stuttgart.

Internacionalmente, destacou-se especialmente na Samp. Trazido pelo compatriota Vujadin Boškov, integrou a melhor fase da história da equipe de Gênova, em elenco que reunia os italianos Gianluca Pagliuca, Gianluca Vialli, Roberto Mancini, Pietro Vierchowod e Attilio Lombardo, o brasileiro Toninho Cerezo e o ucraniano Oleskiy Mykhailychenko; posteriormente, jogou também com o neerlandês Ruud Gullit.

Seleção(ões)[editar | editar código-fonte]

Pela antiga Seleção Iugoslava, jogou a Eurocopa de 1984 e foi medalha de bronze nas Olimpíadas do mesmo ano. Convocado à Copa de 1990, tornou-se o terceiro esloveno a disputar o torneio (depois de Branko Oblak e Danilo Popivoda, ambos chamados no mundial de 1974), jogando 3 dos 5 jogos que a Iugoslávia disputou - seriam seus últimos por esta seleção.

Pela recém-independente Eslovênia, disputou cinco partidas, embora uma única sendo jogo oficial, e marcou um gol, já em fim de carreira. A partida oficial, ocorrida em 1994, valia para as Eliminatórias da Eurocopa de 1996, contra a Itália. Terminaria precocemente a carreira de jogador de futebol ao final daquela temporada, quando seu contrato com a Sampdoria expirou, com apenas 31 anos.

Treinador[editar | editar código-fonte]

Em 1996, Katanec tornou-se técnico, inicialmente na Seleção Eslovena de Futebol Sub-21, como auxiliar, e no comando da equipe principal, conseguiu o feito de levar a Eslovênia a seus primeiros torneios oficiais como país independente, a Eurocopa 2000 e, principalmente, a Copa de 2002. Na Euro, os estreantes, após empate em 3 x 3 contra a Iugoslávia (chegaram a estar vencendo por 3 x 0) e derrota em 1 x 2 para a Espanha (quando tiveram o azar de sofrer o gol da derrota um minuto após terem empatado parcialmente a partida), terminaram eliminados na primeira fase, após empate sem gols contra a Noruega, que também terminou eliminada ali - ambos precisavam vencer para obter a classificação.

Nova queda na primeira fase veio na Copa da Coreia e do Japão, após conseguirem eliminar no grupo os rivais da Iugoslávia e, na repescagem, a tradicional Romênia. Na Ásia, entretanto, Katanec desentendeu-se com a estrela maior da equipe, o meia Zlatko Zahovič - que, inclusive, acabou chamando o treinador de "invejoso" - , após a derrota por 1 x 3 na estreia frente a Espanha. A eliminação veio já na segunda partida, após derrota de 0 x 1 para a África do Sul, e a despedida veio com nova derrota de 1 x 3, de virada, para o Paraguai. Após a Copa, foi contratado pela equipe grega do Olympiakos, ficando apenas uma temporada mesmo conquistando o campeonato grego.

Em 2006, passou a comandar outra seleção modesta surgida da Iugoslávia, desta vez a da Macedônia. Pediu demissão em abril de 2009, após um clima tenso entre os jogadores devido a um desentendimento que teve com o volante Goran Pandev (o "astro" da equipe) pouco antes de jogo em Amsterdã, contra os Países Baixos, válidos pelas Eliminatórias para a Copa de 2010; o jogo terminou em 4 x 0 para os neerlandeses, deixando os balcânicos em quarto lugar no grupo.

Mas Katanec não ficou muito tempo fora dos gramados: em junho, foi anunciado como o novo comandante da Seleção dos Emirados Árabes, sucedendo o francês Dominique Bathenay.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Trivela.com: Katanec se demite da seleção da Macedônia