Thomas Nkono

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Thomas Nkono
Thomas Nkono
Informações pessoais
Nome completo Thomas Nkono
Data de nasc. 20 de julho de 1956 (57 anos)
Local de nasc. Dizangue, França Camarões Francês
Altura 1.83 m
Apelido Tommy
Informações profissionais
Posição Treinador (Ex-Goleiro)
Clubes de juventude
1971-1972 Éclair Douala
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos (golos)
1974
1975
1976-1982
1982-1991
1991-1993
1993-1994
1994-1997
Canon Yaoundé
Tonnerre Yaoundé
Camarões Canon Yaoundé
Espanha Español
Espanha Sabadell
Espanha L'Hospitalet
Bolívia Bolívar
Seleção nacional
1976-1994 Flag of Cameroon.svg Camarões 112 (0)
Times que treinou
2009 Flag of Cameroon.svg Camarões

Thomas Nkono, mais conhecido como Thommy (Dizangue, 20 de julho de 1956), é um treinador e ex-futebolista camaronês que atuava como goleiro. Atualmente, sem clube.

Carreira em clubes[editar | editar código-fonte]

Revelado pelo Éclair Douala, Nkono despontou para o futebol em 1974, com apenas dezoito anos de idade, defendendo o Canon Yaoundé. Um ano depois, foi para o rival Tonnerre, mas também durou apenas uma temporada, retornando ao Canon em 1976. Deste ano até 1982, foi o dono incontestável da camisa 1 dos Kpa-Kum. Em 1979, foi agraciado com o prêmio de melhor jogador da África, sendo o primeiro goleiro a fazê-lo. Repetiu a dose em 1982, ano em que disputou sua primeira Copa.

Esse desempenho despertou o interesse do Espanyol de Barcelona, que assegurou sua contratação. Foram oito anos como titular da equipe catalã, tendo como características destacadas a segurança e agilidade debaixo das traves, e também por jogar sempre de calças compridas. Ele deteve também um recorde pessoal ao não levar gol durante 496 minutos. Nkono deixou o Espanyol em 1990, mas continuou na Catalunha, atuando por duas equipes de pequena expressão (Sabadell, entre 1990 e 1993, e L'Hospitalet, entre 1993 e 1994).

Nkono deixou de atuar profissionalmente em 1997, aos 40 anos, ao defender o Bolívar.

Carreira com a Seleção Camaronesa[editar | editar código-fonte]

Sua estreia com a camisa dos Leões indomáveis deu-se em 1976, com apenas vinte anos. Em alta após a premiação de melhor jogador africano em 1982, foi convocado para defender Camarões em sua primeira Copa. A equipe falhou em obter vaga para a Copa de 1986, mas quatro anos depois, Nkono e Camarões se consagraram.

A Seleção chegou às quartas-de-final, vendendo cara uma derrota por 3 a 2 para a Inglaterra, após chegarem a estar vencendo por 2 a 1, sofrendo a virada após dois pênaltis, ambos convertidos pelo artilheiro inglês Gary Lineker. O ciclo de Nkono com a Seleção Camaronesa parecia chegar ao final, quando Henri Michel deu uma nova chance ao veterano goleiro, que aos 37 anos de idade e em excelente forma física, foi agraciado com a convocação para a Copa de 1994. Nkono parecia estar pronto para disputar sua terceiro Mundial como titular, mas Michel preferiu dar uma oportunidade ao também veterano Joseph-Antoine Bell (ironicamente, reserva de Nkono nas últimas duas Copas), que tinha 39 anos na época e em final de carreira.

A escolha de Michel não foi das mais satisfatórias: com Bell no gol camaronês, os Leões venciam a Suécia por 2 a 1 até os 29 minutos do segundo tempo, quando Martin Dahlin empatou para os suecos. Contra o Brasil, Camarões sucumbiu aos futuros tetracampeões mundiais com uma derrota por 3 a 0.

Nkono ainda tinha esperanças de jogar a partida contra a Rússia, depois que Michel, decepcionado com a fraca atuação de Bell contra Suécia e Brasil, resolveu sacá-lo do gol camaronês. Mas o francês não quis presentear Nkono com uma última partida internacional, dando uma chance ao segundo reserva, Jacques Songo'o. No entanto, ele teve um desempenho pior que Bell: levou seis gols da Rússia (cinco marcados por Oleg Salenko, artilheiro da Copa juntamente com Hristo Stoichkov), e ainda levou um cartão amarelo. De forma nada brilhante, a carreira internacional de Nkono chegara ao seu término. Em 18 anos, foram 112 partidas com a camisa dos Leões indomáveis.


Títulos[editar | editar código-fonte]

Individual[editar | editar código-fonte]

  • Duas vezes eleito o melhor jogador da África no ano
  • Premiado com a Bola de Ouro africana em 1979 e em 1982.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]