George Weah

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
George Weah
George Weah
'Weah com a Ballon d'Or em 1995.
Informações pessoais
Nome completo George Tawlon Manneh Oppong Ousman Weah
Data de nasc. 1 de outubro de 1966 (47 anos)
Local de nasc. Monróvia, Libéria
Altura 1,86 m
Apelido Oppong
Informações profissionais
Clube atual Aposentado
Posição Atacante
Clubes profissionais1
Anos Clubes Jogos (golos/gols)
19811984
19841985
19851986
19861987
1987
19871988
19881992
19921995
19952000
2000
2000
20002001
20012003
Total
Libéria Young Survivors Clareton
Libéria Bongrange Company
Libéria Mighty Barrolle
Libéria Invincible Eleven
Costa do Marfim Africa Sports
Camarões Tonnerre Yaoundé
França AS Monaco
França Paris Saint-Germain
Itália Milan
Inglaterra Chelsea (emp.)
Inglaterra Manchester City
França Olympique Marseille
=Emirados Árabes Unidos Al-Jazira
0000 0000(0)
0002 0000(1)
0010 0000(7)
0023 000(24)
0000 0000(0)
0018 000(15)
0102 000(47)
0096 000(32)
0114 000(46)
0011 0000(4)
0007 0000(1)
0019 0000(5)
0008 000(13)
0410 00(195)
Seleção nacional3
19882002 Flag of Liberia.svg Libéria 0060 000(22)


1 Partidas e gols pelo clube profissional
contam apenas partidas das ligas nacionais,
atualizados até 6 de Outubro de 2003.


3 Partidas e gols da seleção nacional estão atualizados
até 14 de Janeiro de 2002.

George Tawlon Manneh Oppong Ousman Weah (Monróvia, 1 de outubro de 1966) é um ex-futebolista e atual político liberiano.

Como futebolista, passou pelo auge de sua carreira atuando pelo AC Milan, entre 1995 e 2000. Em 1995, foi eleito o Melhor jogador do mundo pela FIFA, e recebeu a Bola de Ouro sendo o único africano a receber ambos os prêmios. Em 2004, foi lembrado por Pelé na lista dos 125 maiores jogadores de futebol, como parte da comemoração de centenário da FIFA. Ao ganhar este prêmio, dedicou-o a seu empresário Arsène Wenger, então treinador do Arsenal, que o incentivou a seguir carreira no futebol.

Como político, em 2005, concorreu à presidência de seu país, sendo derrotado pela candidata Ellen Johnson-Sirleaf.

Rapaz pobre nascido em um país de terceiro mundo, Weah não esquece as suas origens. Afirma que seu sonho é tornar-se presidente da Libéria e ajudar as vítimas da guerra civil por meio da Fundação George Weah.

Carreira[editar | editar código-fonte]

George Weah nasceu na Libéria, onde começou jogando no Young Survivors Clareton. Depois de passar por outros clubes africanos, foi para o Tonnerre Yaoundé, dos Camarões, onde recebeu o apelido de Oppong ("Super").

Depois de dois títulos nacionais com o Tonnerre Yaoundé, foi negociado com o AS Monaco, de França, seu primeiro clube europeu, pelo qual conquistou uma Coupe de France, na temporada 1990/91.

Em 1992, transferiu-se para o Paris Saint-Germain. Conquistou o título da Ligue 1 e mais duas Coupe de France, até que, em 1995, foi para o AC Milan.

Quando o holandês Marco Van Basten abandonou os gramados, o AC Milan perdeu um atacante extraordinário. Alguns anos passaram-se até que outro atacante fosse capaz de entusiasmar os torcedores milanistas. No entanto, quando George Weah chegou ao rossonero italiano, em 1995, a saudade que os fãs tinham por Van Basten foi diminuindo. E não era para menos.

Na Itália, viveu a sua melhor fase: no mesmo ano foi eleito Melhor Jogador da África no ano, ganhou a Ballon d'Or da Europa e foi eleito, pela FIFA, o Melhor Jogador do Mundo, na edição de 1995 do prêmio.

Weah foi o grande maestro do Milan na conquista do scudetto da temporada 1995/96. Seus gols inesquecíveis tinham sempre uma marca: o domínio de bola perfeito, a arrancada em velocidade e o arremate fatal. Ainda conquistou a Série A em 1998/99.

Após se tornar um herói milanista, mudou-se para Inglaterra. Foi emprestado no Chelsea e, depois, vendido em definitivo ao Manchester City. Também teve uma rápida passagem de uma temporada pelo Olympique Marseille, em 2000/01.

Em 2002, atuando pelo Al-Jazira, dos Emirados Árabes Unidos, anunciou oficialmente a sua aposentadoria após disputar a Copa das Nações Africanas. Apesar de ter conquistado até um prêmio de Melhor jogador do mundo pela FIFA, Weah encerrou sua carreira sem nunca ter disputado uma Copa do Mundo por sua seleção.

Seleção nacional[editar | editar código-fonte]

Weah é considerado pelos torcedores o melhor jogador da história da seleção da Libéria.

Em 1996, ele pagou todas as despesas para que a seleção nacional, junto a ele, disputasse a Copa das Nações Africanas daquele ano. Disputou várias edições deste torneio continental.

No início da temporada de 2001, assumiu a condição de técnico da seleção liberiana, ao mesmo tempo em que continuou como atacante do Olympique Marseille. Na sua estreia como treinador, a Libéria derrotou a seleção de Gana por 3-1, fora de casa, pelas eliminatórias africanas da Copa do Mundo 2002. Porém, sua seleção não conseguiu se classificar para a Copa.

Estatísticas[editar | editar código-fonte]

Clubes europeus[editar | editar código-fonte]

Temporada Clube Liga Copa Copa da
Liga
Competições
europeias
Total
Jogos Gols Jogos Gols Jogos Gols Jogos Gols Jogos Gols
198889 Monaco 24 14 - - - - 5 2 29 16
198990 16 5 - - - - 7 3 23 8
199091 28 10 - - - - 5 3 33 13
199192 34 18 - - - - 9 4 43 22
199293 Paris
Saint-Germain
30 14 - - - - 8 6 38 20
199394 32 11 - - - - 5 1 37 12
199495 34 7 - - - - 11 8 45 15
199596 Milan 26 11 - - - - 6 3 32 14
199697 28 12 - - - - 5 3 33 15
199798 24 12 - - - - 0 0 24 12
199899 28 8 - - - - 0 0 28 8
199900 8 3 - - - - 1 1 9 4
199900 Chelsea 11 4 - - - - - - 11 4
200001 Manchester
City
7 1 - - - - - - 7 1
200001 Olympique
Marseille
19 5 - - - - - - 19 5
Total 349 135 - - - - 62 34 411 169

Títulos[editar | editar código-fonte]

Libéria Mighty Barrolle

Libéria Invincible Eleven

França Monaco

França Paris Saint-Germain

Itália Milan

Inglaterra Chelsea

Prêmios individuais[editar | editar código-fonte]

Artilharias[editar | editar código-fonte]

Honrarias[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Bandeira de LibériaSoccer icon Este artigo sobre futebolistas liberianos é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.