Tubarão-boca-grande

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Como ler uma caixa taxonómicaTubarão-boca-grande
Mega mouth shark specimen.jpg

Estado de conservação
Status none DD.svgDados insuficientes (IUCN 2.3)
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Chondrichthyes
Subclasse: Elasmobranchii
Ordem: Lamniformes
Família: Megachasmidae
Género: Megachasma
Espécie: M. pelagios
Nome binomial
Megachasma pelagios
Taylor, Compagno and Struhsaker, 1983
Distribuição geográfica
Megachasma pelagios distmap.png

O tubarão-boca-grande (Megachasma pelagios) é uma espécie de tubarão extremamente rara, que habita águas profundas. Descoberta em 1976, apenas alguns foram vistos desde essa altura, com 39 espécimenes capturados ou avistados (2007), existindo 3 gravações em filme. Tal como o tubarão-elefante e o tubarão-baleia, alimenta-se por filtração, nadando com a sua enorme boca aberta, filtrando a água para obter Plâncton e medusas. Distingue-se por possuir uma cabeça de grandes dimensões e lábios de aspecto elástico.

Por ser tão pouco usual, é classificado na sua própria família, Megachasmidae, apesar de se sugerir que possa pertencer à família Cetorhinidae, da qual o tubarão-elefante é o único elemento.

Corpo[editar | editar código-fonte]

Tem geralmente uma coloração preta ou acastanhada no dorso. Ventralmente é esbranquiçado. A cauda é assimétrica, possuindo um lobo superior longo, similar às caudas exibidas pelos tubarões do género Alopias.

Tamanho[editar | editar código-fonte]

São tubarões de grandes dimensões, que podem atingir 5,5 metros de comprimento. Os machos atingem a maturidade quanto atingem 4 m, e as fêmeas os 5 m. Foram reportados pesos de 1,215 toneladas.

Boca[editar | editar código-fonte]

Possui uma grande boca, com pequenos dentes. O focinho é largo e arredondado. Possuí órgãos luminosos denominados fotóforos, a rodear a boca.

Reprodução[editar | editar código-fonte]

Esta espécie é ovovivípara.

Descoberta[editar | editar código-fonte]

O primeiro espécimen foi capturado em 15 de Novembro de 1976, a cerca de 25 milhas da costa do Havaí, ao ter ficado enrolado na âncora de um navio da Marinha dos Estados Unidos da América. Exames ao espécime com 4.5 m e 750 kg, efectuados por Leighton Taylor, mostraram que seria um tipo de tubarão inteiramente desconhecido.

Espécimes conhecidos[editar | editar código-fonte]

Após 30 anos de sua descoberta, apenas 39 espécimes foram capturados ou avistados. Foram encontrados no Oceano Pacifico, Atlântico e Índico. Pelo menos 10 espécimenes foram encotrados na vizinhança do Japão. Outros locais onde foram observados: Havaí, Califórnia, Taiwan, Filipinas, Indonésia, Austrália, África do Sul, Brasil, Senegal e Equador.

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]