Cryptic Writings

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Use the Man)
Ir para: navegação, pesquisa
Cryptic Writings
Álbum de estúdio de Megadeth
Lançamento 17 de junho de 1997
Gravação 1997
Gênero(s) Heavy metal, hard rock
Duração 49:22
61:13 (Remasterizado)
Gravadora(s) Capitol Records
Produção Dave Mustaine e Max Norman
Cronologia de Megadeth
Último
Último
Old Testaments
(1997)
Live Trax
(1997)
Próximo
Próximo
Críticas profissionais
Avaliações da crítica
Fonte Avaliação
allmusic 2.5 de 5 estrelas.Star full.svgStar half.svgStar empty.svgStar empty.svg[1]
Rolling Stone 3.5 de 5 estrelas.Star full.svgStar full.svgStar half.svgStar empty.svg[2]
Megadeth Brasil 8 de 10 estrelas.Star full.svgStar full.svgStar full.svgStar full.svgStar full.svgStar full.svgStar full.svgStar empty.svgStar empty.svg[3]
Los Angeles Times 2 de 4 estrelas.Star full.svgStar empty.svgStar empty.svg[4]
Metal Forces 7 de 10 estrelas.Star full.svgStar full.svgStar full.svgStar full.svgStar full.svgStar full.svgStar empty.svgStar empty.svgStar empty.svg[5]

Cryptic Writings é o sétimo álbum de estúdio da banda de heavy metal dos Estados Unidos Megadeth. É o último álbum da banda que contém o baterista Nick Menza. O álbum foi originalmente lançado em 1997, e teve sua versão remasterizada em 2004, no qual a mesma contém 4 faixas bônus. O álbum também foi certificado ouro e platina em 1998, além de ter estreado em 10# na Billboard. A canção ''Trust'' foi indicada ao Grammy de melhor canção de Metal, na cerimônia de premiação de 1998. [6]

Recepção crítica[editar | editar código-fonte]

O álbum recebeu críticas mistas de grande parte da crítica. Stephen Thomas Erlewine, crítico da Allmusic, reagiu sem muito entusiasmo em direção ao registro. Ele criticou a capacidade de Mustaine para escrever um material mais "ambicioso" e opinou que a banda "soa melhor no campo thrash". No entanto, Erlewine fez admirar o desejo da banda de experimentar e explorar as diversas formas do som que a banda pode soar. A revista Rolling Stone foi mais generosa para com Cryptic Writings. O avaliador Jon Wiederhorn comentou que o álbum "deve emocionar os fãs do Metallica que se sentiram parafusados pelo álbum Load de 1996 ser menos thrash". Dean Golemis de Chicago Tribune garimpou o álbum por ser "previsível e chato" e assumiu que a banda estava se destinando "a seguir o mesmo caminho do Metallica em sons mainstream ". Crítico de Westnest, Simon Speichert escreveu positivamente sobre o registro, qualificando-o como" puro e sólido heavy metal ". Ele observou que o álbum contém vários tipos de músicas e nomeou-o como "um dos melhores discos de metal de 1997". Neil Arnold do Metal Forces observou que Cryptic Writings não é "um registro ruim", mas se parece "pálido" quando comparado com o seu antecessor de 1994, Youthanasia. Arnold passou a comentar que o álbum confirma que a banda "não é mais uma banda do estilo thrash". Wolfgang Schäfer, da revista de metal alemã Rock Hard, afirmou que Cryptic Writings seguiu a direção musical de seus antecessores. Ele descreveu o álbum como "uma mistura equilibrada de típicos registros anteriores e algumas músicas experimentais".

Faixas[editar | editar código-fonte]

N.º Título Compositor(es) Duração
1. "Trust"   Mustaine 5:12
2. "Almost Honest"   Mustaine 4:09
3. "Use the Man"   Mustaine 4:04
4. "Mastermind"   Mustaine 3:48
5. "The Disintegrators"   Mustaine 3:05
6. "I'll Get Even"   Mustaine, Marty Friedman, David Ellefson, Brian Howe 4:19
7. "Sin"   Mustaine, David Ellefson, Nick Menza 3:06
8. "A Secret Place"   Mustaine 5:25
9. "Have Cool, Will Travel"   Mustaine 3:40
10. "She-Wolf"   Mustaine 3:38
11. "Vortex"   Mustaine 3:23
12. "FFF"   Mustaine 2:47

Bônus da edição japonesa[editar | editar código-fonte]

Faixas bônus de 2004[editar | editar código-fonte]

Integrantes[editar | editar código-fonte]

Temas das músicas[editar | editar código-fonte]

  • "Trust" fala sobre os inúmeros relacionamentos que Mustaine teve e como todos eles terminaram devido às mentiras e a esse tipo de coisa que iam sendo descobertos. Por isso era difícil de confiarem uns nos outros;
  • "Almost Honest" fala como é viver após um término de um relacionamento duradouro e as marcas que a convivência com um amado passado deixa quando tudo se acaba;
  • "Use the Man" aborda sobre a heroína; mostra que um indivíduo que escolhe este caminho, mais tarde pode estar pendurando sua própria cabeça. Mustaine diz em sua biografia que se inspirou a compor a música em homenagem a um amigo que havia morrido na época por uma overdose de heroína;
  • "Mastermind" fala sobre as grandes indústrias e potências mundiais, que dizem às pessoas como viverem e no que acreditarem;
  • "The Desintegrators" aborda o tema da anarquia;
  • "I'll Get Even" é sobre um relacionamento entre um homem e uma mulher, no qual a mulher mentia para o parceiro e o usava;
  • "Sin" fala sobre os motivos pelo qual as pessoas pecam;
  • "A Secret Place" é sobre as drogas, especificamente sobre o lugar para onde a mente do indivíduo vai quando ele está drogado. Diz também que uma vez nesse lugar, você sempre estará preso nele;
  • "Have Cool, Will Travel" aborda sobre as pessoas serem muito repreendidas e manipuladas, no qual nunca tomam uma atitude e iniciativa autônoma;
  • "She-Wolf" fala sobre uma mulher manipuladora e perigosa;
  • "Vortex" fala sobre a possesão demoníaca;
  • "FFF" é uma letra que transmite uma mensagem dizendo para as pessoas lutarem pelos seus direitos e pela liberdade (anarquia moderada).

Referências

Ícone de esboço Este artigo sobre um álbum de Megadeth é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.