VMware

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
VMware
RH9 VMServer.jpg
Red Hat Linux 9 rodando sob o VMware.
Desenvolvedor VMware
Versão estável 10.0.0 (2013)
Sistema operacional Multiplataforma
Gênero(s) Máquina virtual, Emulação
Licença Proprietária
Página oficial www.vmware.com

VMware é um software/máquina virtual que permite a instalação e utilização de um sistema operacional dentro de outro dando suporte real a software de outros sistemas operativos.

Usando software de virtualização como o VMware é possível executar um ou mais sistemas operacionais simultaneamente num ambiente isolado, criando computadores completos (virtuais) a executar dentro de um computador físico que pode rodar um sistema operacional totalmente distinto. Do ponto de vista do utilizador e do software nem sequer se nota a diferença entre a máquina real e a virtual. É muito usado em centros de dados, pois permite criar redundância e segurança adicional sem recorrer a tantas máquinas físicas e distribuindo e aproveitando melhor os recursos das máquinas hospedeiras.

A empresa desenvolvedora[editar | editar código-fonte]

A empresa desenvolvedora do VMware, a VMware Inc., localiza-se em Palo Alto, Califórnia, Estados Unidos e é uma subsidiária da EMC Corporation. O nome é um jogo de palavras com Virtual Machine (máquina virtual), que é o nome técnico dado a um sistema operacional rodando sob o VMware.

Versões do Produto[editar | editar código-fonte]

VMware Workstation[editar | editar código-fonte]

É voltado ao uso no desktop, em ambientes de desenvolvimento. Atualmente está na versão 9.0.1, e roda em CPU's Intel e AMD de 32 e 64 bits. Permite rodar vários "computadores virtuais" dentro de um sistema operacional (Windows, versões GNU/LINUX, MAC OS, etc), cada um destes computadores pode rodar seu próprio sistema operacional.

O computador simulado pode ter uma quantidade de RAM definida (até 3600 MB no VMware 5.5.3; até 8GB, desconsiderando limitações do hardware, no VMware 6.0) e um disco virtual delimitado (até 950GB)

Ele pode "simular" um drive de CD-ROM,drive de disquete, placas de rede (até 3 no VMware 5.5.3; até 10 no VMware 6.0 beta), discos rígidos e portas USB (USB 1.1 na versão 5.5.3; USB 2.0 na versão 6.0).

Recursos importantes:

  • Possibilidade de "unir" várias máquinas virtuais, permitindo que todas elas sejam iniciadas ou desligadas com um mesmo comando. Também é possível definir redes internas.
  • Suporte a 3 modos de rede: Bridged (a máquina virtual é vista como um outro computador na rede, com IP obtido via DHCP); NAT (a máquina virtual se conecta ao computador host, que por sua vez se conecta à rede); e Host-Only (a máquina virtual apenas se conecta ao host).
  • Possibilidade de criar registros instantâneos ("snapshots") de uma máquina virtual num dado momento. Assim, é possível testar configurações, e se elas derem errado pode-se reverter.

VMware Server (anteriormente VMWare GSX Server)[editar | editar código-fonte]

Voltado ao uso em servidores de pequeno e médio porte. Tornou-se gratuito em 12 de Junho de 2006. É um produto de "entrada" para o mercado.

Conta com boa parte dos recursos da versão Workstation, e adiciona recursos úteis ao seu uso em servidores, como o gerenciamento remoto (usando uma versão modificada do VNC). Isto resulta em perda de desempenho na interface gráfica, porém não é um problema para servidores que rodam "headless", ou seja, sem monitor ou interface gráfica.

Curiosidade: GSX significa "Ground Storm X".

VMware ESX Server[editar | editar código-fonte]

Voltado ao uso em servidores de grande porte. É um sistema operacional dedicado, que usa um núcleo proprietário, baseado no SimOS. O Red Hat Linux é usado para prover os diversos serviços, como gerenciamento remoto. Por rodar em um nível mais próximo do hardware, elimina-se o overhead de ter um sistema base, e aumenta-se a segurança. Por este motivo ele é usado em servidores de grande porte.

VMware Player[editar | editar código-fonte]

Executa máquinas virtuais prontas; Oficialmente (Versões anteriores à versão 3.0), não é possível criar máquinas virtuais novas, mas é possível pular esta limitação de 3 formas:

  • Instalando uma versão de avaliação do VMware Workstation e criando máquinas virtuais novas.
  • Usando appliances (máquinas virtuais fornecidas pela comunidade, que operam como soluções prontas, onde basta apenas rodar).
  • Usando sites não oficiais, como o EasyVMX.
  • Usando a versão 3.0 ou superior.

VMware Fusion[editar | editar código-fonte]

Uma versão para o Mac OS X rodando em Macintosh com CPU Intel. O produto se encontra em sua quarta versão, com suporte inclusive a acereração 3d por hardware. Pode-se obter uma versão de teste.

Outros produtos[editar | editar código-fonte]

  • VMware ThinApp, um programa que permite a criação de "aplicações portáteis" ("portable apps")
  • VMware P2V, uma ferramenta para migrar servidores físicos para máquinas virtuais.
  • VMware VirtualCenter, uma ferramenta para centralizar o gerenciamento de instalações do VMware.
  • VMotion, uma ferramenta para transferir máquinas virtuais entre servidores, de forma tão transparente quanto possível, resultando no mínimo de downtime (tempo com o servidor fora do ar)

==Funcionamento== 236 Ao contrário de muitos mitos divulgados pela Internet, o VMware não é um emulador. Vai a um nível mais baixo, onde o processador chega por vezes a executar diretamente o código da máquina virtual. Quando isto não é possível, o código é convertido de forma a que o processador não precise trocar para o modo real, o que seria uma perda de tempo.

Utilidade[editar | editar código-fonte]

O VMware é útil para:

  • Ambientes de desenvolvimento, onde é necessário testar uma aplicação em várias plataformas: Muitas empresas têm produtos multiplataforma, que precisam ser testados em Windows e em diversas distribuições do Linux.
  • Ambientes de suporte, onde é necessário dar suporte a diversas aplicações e sistemas operacionais. Um técnico de suporte pode rapidamente usar uma máquina virtual para abrir um ambiente Linux ou Windows.
  • Migração e consolidação de servidores antigos: é muito comum vermos redes com diversos servidores antigos, que resultam em um custo de manutenção maior. Com o VMware podemos concentrá-los em uma máquina só.
  • Manutenção de aplicações antigas e teste de sistemas novos: o uso do VMware para testar sistemas operacionais é um dos usos mais comuns do produto. Por exemplo, é possível usá-lo para executar o Windows dentro do Linux ou o oposto.
  • Manter a compatibilidade de hardware. Alguns hardwares não têm drivers para o Linux ou para versões mais recentes do Windows. Neste caso, é possível usar hardwares (ligados pela porta paralela ou USB) com uma máquina virtual.
  • Simulação de instalações complexas de rede.
  • Apresentação de demonstrações de sistemas completos prontos a usar, tipicamente referidas como VMware appliances.
  • Num ambiente protegido é típico usar balanceador de carga, várias firewall e 4 servidores físicos para alojar com segurança um único site que use servidor web e base de dados. Com máquinas virtuais é possível criar redundância contra falhas e segurança adicional contra intrusão sem recorrer a tantas máquinas físicas e distribuindo e aproveitando melhor os recursos das máquinas hospedeiras.
  • Desde a versão ESX 3.0, virtualização com VMware pode ser utilizado para produção com total segurança.

Limitações[editar | editar código-fonte]

Algumas limitações do VMware:

  • Não há suporte para placas PCI.

Funcionalidades[editar | editar código-fonte]

Descrevendo as funcionalidades:

  • Hypervisor: é o núcleo da solução de virtualização, responsável por particionar, encapsular e isolar os recursos da maquina para a utilização em ambientes virtualizados.
  • VMFS: VMware file system é a base para se criar o datacenter virtual e permite que sejam montados pools de recursos distribuídos.
  • Virtual SMP – permite que maquinas virtuais tenham mais de um processador virtual.
  • Update Manager – Automatiza e facilita o update no ESX server e em maquinas virtuais.
  • Virtual Center Agent – agente que troca informações com o Virtual Center Management Server, para gerenciamento do pool de recursos
  • VMware Data Recovery (VDR) – permite realizar backup full e fazer a recuperação de máquinas de forma full ou incremental individual de arquivos ou diretórios
  • HA - High availability – funcionalidade que permite que a infra-estrutura do datacenter virtual identifique que houve uma queda de um servidor físico e em um tempo muito curto religue as maquinas virtuais que estavam naquele servidor físico em outro.
  • Vmotion – funcionalidade que permite movimentar um servidor virtual entre servidores físico SEM DESLIGAMENTO DO SERVIDOR VIRTUAL. Essa característica é muito importante pois reduz significativamente as paradas planejadas de sistema, ao mesmo tempo em que se torna um excelente aliado na alocação dinâmica de recursos do pool (flexibilidade).
  • Storage Vmotion – permite movimentar as maquinas virtuais entre dois storages para evitar gargalos de IO, sem desligar o servidor virtual.
  • DRS – Distributed Resource Scheduler é uma funcionalidade que permite ao datacenter virtual fazer balanceamento de carga das maquinas virtuais para adequar-se a mudanças na demanda de cada aplicação/máquina virtual.
  • DPM – Dynamic Power Management permite ao sistema reduzir o consumo de energia em momentos de baixo consumo de recursos.(***ainda não recomendado para produção***)

Ligações externas[editar | editar código-fonte]