+ (álbum)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
+
Álbum de estúdio de Ed Sheeran
Lançamento 9 de setembro de 2011 (2011-09-09)
Gravação janeiro – março de 2011;
Sticky Studios
(Windlesham, Surrey)
Gênero(s) Folk, indie pop, música acústica
Duração 47:59
Idioma(s) Inglês
Formato(s) CD, download digital, vinil
Gravadora(s) Asylum, Atlantic
Produção Jake Gosling, Charlie Hugall, No I.D.
Cronologia de Ed Sheeran
No. 5 Collaborations Project (2011)
The Slumdon Bridge
(2012)
Singles de +
  1. "The A Team"
    Lançamento: 1 de maio de 2011 (2011-05-01)
  2. "You Need Me, I Don't Need You"
    Lançamento: 26 de agosto de 2011 (2011-08-26)
  3. "Lego House"
    Lançamento: 13 de novembro de 2011 (2011-11-13)
  4. "Drunk"
    Lançamento: 19 de fevereiro de 2012 (2012-02-19)
  5. "Small Bump"
    Lançamento: 25 de maio de 2012 (2012-05-25)
  6. "Give Me Love"
    Lançamento: 21 de novembro de 2012 (2012-11-21)

+ (pronunciado /plʌs/) é o álbum de estreia do cantor e compositor britânico Ed Sheeran lançado pela editora discográfica Atlantic Records. Do disco, seis canções foram selecionadas como singles: "The A Team", "You Need Me, I Don't Need You", "Lego House", "Drunk", "Small Bump" e "Give Me Love". [1] Após a liberação, o disco estreou no topo da UK Albums Chart com primeira semana de vendas superiores a 102 mil cópias.[2] O álbum vendeu 1,5 milhões de cópias no Reino Unido e foi certificado como disco de platina pela British Phonographic Industry (BPI).

Antecedentes e desenvolvimento[editar | editar código-fonte]

Jamie Foxx mostrou-se impressionado com Sheeran após o cantor se apresentar em seu programa de rádio, e afirmou que ele poderia usar seu estúdio de gravação pessoal quando quisesse.

Na idade de dezesseis anos, Edward Christopher Sheeran deixou a escola e usou sua bolsa de estudos para pagar bilhetes de trem. Deslocando-se por vários lugares, Sheeran se apresentava nas noites britânicas em locais onde o microfone era aberto ao público. Estando no Reino Unido, ele iria dormir no sofá na casa de amigos seus e passaria o tempo lançando de forma independente álbuns e extended plays (EP) feitos em casa.[3] Depois de passar quatro anos nesta situação, no começo de 2010 ele viajou para Los Angeles com o objetivo de passar um mês e "ver o que aconteceria". Após uma apresentação na cidade, uma mulher que coordenava noites de microfone aberto ao público o convidou para cantar em uma ocasião. Sheeran concordou, e depois de terminar a performance, o agente de Jamie Foxx o convidou para mostrar sua voz em seu programa de rádio, afirmando que Foxx adoraria seu trabalho. Jamie mostrou-se impressionado com a interpretação e ofereceu seu estúdio pessoal para o artista, afirmando que ele poderia fazer uso dele na hora que quiser. Edward gravou diversas canções no local, e ainda compareceu a diversas festas acompanhado de Jamie, descrevendo a fase como "surreal". Além disso, Sheeran postou no YouTube um vídeo com a música "You Need Me, I Don't Need You", conseguindo 500 mil visualizações e tornando-o "um dos cantores mais falados no Reino Unido".[4] Sucedendo a todos esses eventos, ocorreram os lançamentos de dois extended plays.[5]

Em 7 de janeiro de 2011, o músico liberou seu quinto EP. Todos os cinco projetos anteriores a + foram disponibilizados com a intenção de tornar possível um contrato com uma grande gravadora. O disco conseguiu chegar a posição 45 da UK Albums Chart. Entretanto, o grande feito do produto foi chegar à segunda posição dos mais vendidos da iTunes Store mesmo sem qualquer divulgação. 7 mil cópias foram compradas na primeira semana. O material foi barrado do topo apenas por Loud, de Rihanna. Sheeran mostrou-se surpreso com o fato: durante uma entrevista com a British Broadcasting Corporation (BBC), ele disse que "ficaria feliz se alcançasse a 46.ª colocação, ou a 20.ª". Depois que chegou à quarta posição, ele pensou que não passaria disso, mas quando acordou, o EP já estava na terceira posição. Eventualmente, chegou à vice-liderança.[6] Em outra ocasião, para o The Daily Telegraph, ele também mostraria-se "abismado" com o desempenho do EP. Com o sucesso do disco, o intérprete acabou por assinar um contrato com a gravadora Atlantic Records e com a Rocket, empresa de gestão artística de Elton John. Ele comentou:[3]

Embora as primeiras gravações em estúdio de Sheeran tenham sido realizadas com Foxx, nenhuma delas levou ao que se tornaria +. Ao invés, as sessões do álbum foram realizadas em conjunto com Jake Gosling no estúdio Sticky, localizado em Windlesham, Surrey. A primeira experiência musical de ambos ocorreu quando se conheceram, em 2008. "Esse jovem ruivinho apareceu e ele era bastante confiante para a idade. Tinha acabado de se mudar para Londres e estava vivendo no andar de cima de um pub. Nos sentamos, começamos a conversar sobre sua mudança para a capital e assim nasceu 'The City', que foi a nossa primeira composição juntos. Eu achei que as letras dele eram insanamente boas", comentou Gosling em entrevista para Sound on Sound. Grande parte das canções foi gravada em um velho computador com o uso de Cubase SX3. O Pro Tools também foi usado em outras faixas. De acordo com o produtor, não foi necessário um grande uso de Auto-Tune, embora ele tenha usado um pouco de Melodyne para "ajudar nos vocais de apoio e a manter o tom correto". No começo de cada sessão, Jake dizia para Ed para ele começar a falar de seu dia ou assuntos da sua vida, e então nascia a ideia para uma música. Gosling afirmou que "era quase como ser um psiquiatra. Eu dizia: 'Me conte seus problemas, Ed. O que está acontecendo na sua vida?'". Ele disse ainda que o trabalho vocal do cantor fora incrivelmente rápido. A mixagem ficou a cargo de Guy Massey, Charlie Hugall e Ruadhri Cushnan, e nem Gosling nem Sheeran compareceram à estas sessões. Todo o processo de desenvolvimento foi completado em março de 2011.[7]

Composição[editar | editar código-fonte]

Faixa de abertura e primeiro single do disco, "The A Team" é uma canção indie folk com letras sobre uma prostituta viciada em crack.

Problemas para escutar este arquivo? Veja a ajuda.

Em termos musicais, + é um disco derivado dos estilos folk e indie pop, além da música acústica[8][9] e inspirado pela dupla de hip-hop Nizlopi e o cantor Damien Rice.[10] Durante o decorrer do produto, Sheeran toca com um pequeno violão, "sem banda" e "sem batidas". O The Daily Telegraph afirmou que o conteúdo lírico gira em torno de assuntos pelos quais o artista se interessa na vida real, cantando com "uma voz flexível e em tons suaves".[3] De acordo com Andy Gill, do The Independent, o material apresenta uma batida "vivaz" com acordes de guitarra staccato ao fundo.[8] + também apresenta uma grande variedade de gêneros, com obras como "Grade 8" incorporando elementos de R&B. Esta faixa recebeu comparações ao repertório de Bruno Mars. No entanto, outras faixas, como "Drunk", são derivadas do folk-hop. O conteúdo lírico também é derivado da própria "insegurança" do artista; exemplos são "Wake Me Up" e "Kiss Me". Em outras, como "The City", é mostrado um "lado obscuro", de acordo com Gill.[8]

O produto abre com "The A Team", uma faixa indie folk que tem como tema a história de uma prostituta viciada em crack — uma droga Classe A[A 1] — como exemplificado pelas linhas "Lutando para pagar o aluguel / Longas noites, homens estranhos"[A 2] e "Eles dizem que ela está no time da Classe A / Presa em seu devaneio / Tem sido assim desde os dezoito anos".[A 3] Alexis Petridis, do The Guardian, descreveu a canção como "um retrato triste de uma prostituta viciada em drogas".[9] Jornalista do Metro, John Lewis afirmou que a música tem "uma letra poética".[12] Gary Trust, da Billboard, comparou a faixa com outras do mesmo estilo musical, que tem como tema o abuso infantil, depressão e alcoolismo, afirmando que são "composições que mascaram seus temas pesados através de um dossel melódico".[13] A segunda é "Drunk", uma canção indie pop. Robert Copsey do Digital Spy afirmou que a letra discute "a falta de mulheres ao invés do desejo de ir para uma festa e beber".[14] "U.N.I." e "Grade 8" foram descritas como "canções de amor cheias de dísticos espirituosos" por John Lewis do Metro.[12] "Grade 8", por sua vez, incorpora elementos de R&B e foi comparada à trabalhos de Bruno Mars por Andy Gill do The Independent.[8]

Lista de Faixas[editar | editar código-fonte]

Edição Padrão
N.º Título Compositor(es) Duração
1. "The A Team"   Ed Sheeran 4:18
2. "Drunk"   Sheeran, Jake Gosling 3:20
3. "U.N.I."   Sheeran, Gosling 3:48
4. "Grade 8"   Sheeran, True Tiger 2:59
5. "Wake Me Up"   Sheeran, Gosling 3:49
6. "Small Bump"   Sheeran 4:19
7. "This"   Sheeran, Mills 3:15
8. "The City"   Sheeran, Gosling 3:54
9. "Lego House"   Sheeran, Gosling, Leonard 3:05
10. "You Need Me, I Don't Need You"   Sheeran 3:40
11. "Kiss Me"   Sheeran, Julie Frost, Justin Franks 4:40
12. "Give Me Love"   Sheeran, Gosling, Leonard 5:26
13. "The Parting Glass" (faixa escondida) Traditional Song 3:05
Duração total:
49:55

Desempenho nas tabelas musicais[editar | editar código-fonte]

Notas

  1. O governo britânico classifica as drogas por quatro categorias: Classes A, B, C e a Classe Temporária.[11]
  2. No original: "Struggling to pay rent / Long nights, strange men"
  3. No original: "And they say / She's in the Class A Team / Stuck in her daydream / Been this way since eighteen".

Referências

  1. «Revealed: The Top 40 singles and albums of 2011 so far». The Official Charts Company. 2011. Consultado em 16 de dezembro de 2011 
  2. «Ed Sheeran tops UK album chart with '+' - Music News - Digital Spy». Digital Spy. Consultado em 7 de dezembro de 2013 
  3. a b c Neil McCormick (3 de agosto de 2011). «Ed Sheeran: 'I haven't got used to the screams'». The Daily Telegraph (em inglês). Consultado em 4 de março de 2015 
  4. Joseph Patterson (13 de janeiro de 2011). «Ed Sheeran: The Interview» (em inglês). MTV. Consultado em 4 de fevereiro de 2015 
  5. «How I wrote Ed Sheeran's song... on Harry Styles' guitar». Western Mail (em inglês). 30 de junho de 2014. Consultado em 4 de março de 2015 
  6. Richard Haugh (10 de janeiro de 2011). «Ed Sheeran battles Rihanna for top spot in album chart» (em inglês). British Broadcasting Corporation. Consultado em 4 de março de 2015 
  7. Tom Doyle (janeiro de 2012). «Jake Gosling: Producing Ed Sheeran's +». Sound on Sound (em inglês). Consultado em 4 de março de 2015 
  8. a b c d Andy Gill (9 de setembro de 2011). «Album: Ed Sheeran, + (Atlantic)». The Independent (em inglês). Consultado em 4 de março de 2015 
  9. a b Alexis Petridis (8 de setembro de 2011). «Ed Sheeran: "+" review». The Guardian (em inglês). Consultado em 4 de março de 2015 
  10. «Ed Sheeran interview». Daily Mirror (em inglês). 9 de setembro de 2011. Consultado em 4 de março de 2015 
  11. «Misuse of Drugs Act 1971» (em inglês). Governo do Reino Unido. Consultado em 4 de março de 2015 
  12. a b John Lewis (11 de setembro de 2011). «Ed Sheeran's + offers promising stuff from the Prince Harry lookalike». Metro (em inglês). Consultado em 4 de março de 2015 
  13. Gary Trust (17 de abril de 2012). «Chart Beat Meet & Greet: Ed Sheeran (Exclusive Video)». Billboard (em inglês). Consultado em 4 de março de 2015 
  14. Robert Copsey (31 de janeiro de 2012). «Ed Sheeran: 'Drunk' - Single review» (em inglês). Digital Spy. Consultado em 4 de março de 2015 
  15. «iTunes – Music – + (Deluxe Version) by Ed Sheeran». Itunes.apple.com. Consultado em 3 de março de 2012 
  16. «Ed Sheeran – + (Media Control Charts)» (em inglês). Media Control Charts. Consultado em 16 de março de 2017 
  17. «Ed Sheeran – + (ARIA Charts)» (em inglês). ARIA Charts. Consultado em 16 de março de 2017 
  18. «Ed Sheeran – + (Ö3 Austria Top 40)» (em inglês). Ö3 Austria Top 40. Consultado em 16 de março de 2017 
  19. «Ed Sheeran – + (Ultratop 50)» (em inglês). Ultratop 50. Consultado em 16 de março de 2017 
  20. «Ed Sheeran – + (Ultratop 40)» (em inglês). Ultratop 40. Consultado em 16 de março de 2017 
  21. «Ed Sheeran – + (Canadian Albums Chart)» (em inglês). Canadian Albums Chart. Consultado em 16 de março de 2017 
  22. «Ed Sheeran – + (Hrvatska Diskografska Udruga)» (em croata). Hrvatska Diskografska Udruga. Consultado em 16 de março de 2017 
  23. «Ed Sheeran – + (Tracklisten)» (em inglês). Tracklisten. Consultado em 16 de março de 2017 
  24. «Ed Sheeran – + (The Official Charts Company)» (em inglês). The Official Charts Company. Consultado em 16 de março de 2017 
  25. «Ed Sheeran – + (Productores de Música de España)» (em inglês). Productores de Música de España. Consultado em 17 de março de 2017 
  26. «Ed Sheeran – + (Billboard 200)» (em inglês). Billboard 200. Consultado em 17 de março de 2017 
  27. «Ed Sheeran – + (IFPI Finlândia)» (em inglês). IFPI Finlândia. Consultado em 17 de março de 2017 
  28. «Ed Sheeran – + (Syndicat National de l'Édition Phonographique)» (em francês). Syndicat National de l'Édition Phonographique. Consultado em 17 de março de 2017 
  29. «Ed Sheeran – + (Irish Recorded Music Association)» (em inglês). Irish Recorded Music Association. Consultado em 17 de março de 2017 
  30. «Ed Sheeran – + (Federazione Industria Musicale Italiana)» (em italiano). Federazione Industria Musicale Italiana. Consultado em 17 de março de 2017 
  31. «Ed Sheeran – + (Oricon)» (em jp). Oricon. Consultado em 17 de março de 2017 
  32. «Ed Sheeran – + (VG-lista)» (em norueguês). VG-lista. Consultado em 17 de março de 2017 
  33. «Ed Sheeran – ÷ (Recorded Music NZ)» (em inglês). Recorded Music NZ. Consultado em 17 de março de 2017 
  34. «Ed Sheeran – + (MegaCharts)» (em holandês). MegaCharts. Consultado em 17 de março de 2017 
  35. «Ed Sheeran – ÷ (UK Albums Chart)» (em inglês). UK Albums Chart. Consultado em 17 de março de 2017 
  36. «Ed Sheeran – + (IFPI Česká Republika)» (em inglês). IFPI Česká Republika. Consultado em 17 de março de 2017 
  37. «Ed Sheeran – + (Sverigetopplistan)» (em sami do norte). Sverigetopplistan. Consultado em 17 de março de 2017 
  38. «Ed Sheeran – + (Schweizer Hitparade)» (em inglês). Schweizer Hitparade. Consultado em 17 de março de 2017 
  39. «Top 50 Albums Chart». Australian Recording Industry Association (ARIA). Consultado em 3 de março de 2012 
  40. «Gold and Platinum Search - Ed Sheeran - CD». Music Canada. Consultado em 10 de setembro de 2012 
  41. «Albums Certifications 2012». Irish Recorded Music Association. Consultado em 6 de dezembro de 2013 
  42. «NZ Top 40 Albums Chart». Recording Industry Association of New Zealand (RIANZ). Cópia arquivada em 7 de março de 2012 
  43. «Certified Awards Search». British Phonographic Industry (BPI). Consultado em 3 de dezembro de 2011 
  44. "American album certifications – Sheeran, Ed". Página acessada em 2 de outubro de 2013.
  45. «IFPI Platinum Europe Awards - 2012». IFPI. Consultado em 3 de novembro de 2013