Óleo de linhaça

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

O óleo de linhaça é um óleo extraído da linhaça, a semente do linho (Linus usitatissimum) de cor alaranjada e rico em Ômega 3, que é um importante agente antioxidante. O óleo possui propriedades medicinais como o combate à halitose, regulação do sistema digestivo e redução do colesterol. Também é importante para a regulação hormonal em mulheres através da lignana, que é semelhante ao estrógeno e imita sua ação no organismo.[1][2][3] Na composição do óleo, ácidos graxos saturados variam de 6-11%, oleico 13-29%, linoleico 17-30%, e linolênico 47-55%, o que faz, do óleo de linhaça, um dos mais ricos em ácidos graxos essenciais.

O óleo produzido a partir da prensagem mecânica a frio é destinado ao consumo humano e ao consumo de animais de raça ou de competição. Já o óleo obtido a partir da prensagem mecânica associada à extração com solventes orgânicos pode ser utilizado para fins industriais em geral, na fabricação de tintas, vernizes e resinas, sabões, borrachas sintéticas, linóleo, cosméticos para tratamento de pele etc. [4]

Existem diferentes técnicas que possibilitam a extração do óleo de linhaça, dentre elas a extração por solvente orgânico, extração a frio (prensagem mecânica), extração por arraste a vapor, extração subcrítica e extração supercrítica. Industrialmente, utiliza-se a prensagem mecânica ou a combinação da prensagem seguida pela extração por solvente para conseguir uma maior extração de óleo.

Óleo de linhaça (à esquerda) sendo misturado com pigmento (à direita) para produção de tinta
Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Óleo de linhaça

Referências

Ícone de esboço Este artigo sobre plantas é um esboço relacionado ao Projeto Plantas. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.