A Pata da Gazela

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
A Pata da Gazela
Autor(es) José de Alencar
Idioma português brasileiro
País  Brasil
Gênero Romance
Linha temporal Predefinição:Passado XIX
Lançamento 1870 (1a. edição)
Cronologia
O Gaúcho
O Tronco do Ipê
Wikisource
O Wikisource possui esta obra:
A Pata da Gazela

A Pata da Gazela é um romance do escritor brasileiro José de Alencar, publicado em 1707.

Enredo[editar | editar código-fonte]

A história gira em torno de Horácio, Leopoldo, Laura e Amélia.

Horácio, rapaz jovem e sedutor, vê quando o lacaio das moças derruba um pé de um par de botinas de pelica e seda, pequeninas e mimosas e apaixona-se pela dona dos pés desconhecidos. Leopoldo, que estava na mesma rua, vê de relance Amélia e apaixona-se pelo seu sorriso, mesmo após um vislumbre dos pés disformes que ele pensa serem os dela. A partir deste acaso, a trama se desenvolve num triângulo amoroso entre Horácio, Amélia e Leopoldo.

A pata da gazela é uma obra de Alencar que demonstra como o amor deve ser guiado pela alma, como Leopoldo e não pela aparência, como Horácio[1].

Temas[editar | editar código-fonte]

Escrito mais de dez anos depois de Cinco Minutos e A Viuvinha, A Pata da Gazela retoma o tema do romance urbano, porém com um amadurecimento que revela a assimilação, por parte do autor, de parte da crítica que recebeu dos autores realistas. O próprio Alencar (em Como e por que Sou Romancista) aponta o livro como o início de sua fase madura, inclusive tendo adotado o pseudônimo de "Sênior"[2]

Ao explorar a indefinição de Amélia entre o sedutor Leopoldo e o tímido Horácio, Alencar inverte a trama do conto A Cinderela: no seu romance, é a jovem, cobiçada por seu pé formoso, quem vai escolher o mais adequado entre seus pretendentes. Ajudada pela amiga Laura, ela põe os dois à prova para identificar aquele que tem a virtude de amá-la por suas características morais, e não apenas pela beleza física[3].

O autor cita explicitamente uma outra referência clássica: a fábula O leão amoroso de Jean de La Fontaine. Leopoldo, o "leão" da Rua do Ouvidor, se vê domado pela sua paixão[4].

Influência[editar | editar código-fonte]

O romance foi revisitado por Glauco Matoso na paródia A Planta da Donzela (2005), em que a história é reescrita de forma a salientar a atração fetichista de Horácio e Leopoldo pelos pés de Amélia[5].

Referências

  1. ANJOS, Priscila C. R. L. Triângulo amoroso em A Pata da Gazela: Entre o amor fetiche por um pezinho mimoso e o amor romântico de uma alma pura. 2016. 44 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação) - Licenciatura em Letras Português-Inglês. Universidade Tecnológica Federal do Paraná. Pato Branco, 2016
  2. SOUSA, Izaura Vieira Mariano de. O estilo gracioso e o realismo poético de José de Alencar em Cinco minutos, A viuvinha e A pata da gazela. Revista Garrafa, Rio de Janeiro, número 32, outubro-dezembro, p. 58-69
  3. BRASIL, Francisca Patrícia Pompeu. Romances de Alencar, contos de fadas e a educação da mulher para o casamento. Caderno Espaço Feminino, v.18, n.2, Ago./Dez. 2007. P. 290
  4. COCCO, Cristina Soco. A presença de Victor Hugo em José de Alencar: o grotesco hugoano em A Pata da Gazela. Dissertação (Mestrado em Língua e Literatura Francesa) - Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2012. P. 70
  5. BARROSO FILHO, Wilton. Elementos de intertextualidade en la prosa ficcional de Glauco Mattoso. Esferas Ano 1, no 2, janeiro a junho de 2013. P. 92

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um livro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.