Alcântara (São Gonçalo)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde setembro de 2015). Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Alcântara é um bairro do município de São Gonçalo, na região metropolitana do Rio de Janeiro, no estado do Rio de Janeiro, no Brasil.[1]

História[editar | editar código-fonte]

Seu nome homenageia o imperador brasileiro Dom Pedro de Alcântara. O bairro surgiu junto a uma estação de trem e se desenvolveu no cruzamento da rodovia estadual RJ-104 - construída na década de 40 e que faz ligação da capital com o norte fluminense -, com o antigo traçado da Estrada Geral que fazia ligação das antigas fazendas do extremo oeste do município (Pachecos e Santa Izabel) à sua sede (Centro) e aos antigos portos do município. Na década de 1970, foi construído, sobre o cruzamento, um viaduto ao longo da RJ-104 e, logo depois, sob o mesmo, foi instalado o terminal rodoviário do bairro (Terminal Rodoviário Jayme Mendonça Campos), que foi reformado em 2008.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Alcântara é rodeado por pequenos morros cujas elevações não chegam aos 50 metros de altura. A vegetação dos morros que circundam Alcântara são rasteiras, crescendo conforme se aproxima do Rio Alcântara.

O terreno é constituído por pequenas elevações e algumas partes rochosas e uma grande área de manguezal localizada rente ao Rio Alcântara. Sua vegetação é rasteira, porém, pode-se encontrar algumas árvores de tamanho considerável.

O bairro[editar | editar código-fonte]

O bairro se localiza no município de São Gonçalo, fazendo parte do distrito de São Gonçalo, que é o 1º distrito de São Gonçalo. O Alcântara é limitado pelos bairros: Laranjal, Vila três, Raul Veiga, Coelho, Almerinda, Colubandê, Mutondo, Trindade e Jardim Catarina. O Censo do IBGE de 2010 totalizou uma população de 14686 residente no bairro. As principais vias do bairro são: Estrada Raul Veiga, rua Nestor Pinto Alves, rua Jovelino de Oliveira Viana, rua Amauri de Souza, rua Manoel João Gonçalves, rua João Caetano, rua Dr. Alfredo Backer, Av. Maricá, rua Yolanda Saad Abuzaid e a RJ 104.

Alcântara é um bairro comercial constituído por uma grande aglomeração de comércios de diferentes variedades, indo desde roupas, calçados, tecidos, móveis, eletrodomésticos até grandes supermercados e shopping centers.

Alcântara e sua grande área comercial também engloba os bairros Raul Veiga, Colubandê e Vila três. Alcântara tem um intenso tráfego de automóveis e grande circulação de pessoas que vão à procura de sua grande variedade comercial, áreas de lazer, órgãos do governo, trabalho, além de hospitais, clinicas, escolas, igrejas, empresas e etc.

Encontram-se também estabelecidos no bairro templos de vários credos, tendo destaque para a Matriz de São Pedro de Alcântara, Igreja Católica Romana, que conta com uma circulação semanal de cerca de 5 000 fiéis, se faz presente no bairro desde os anos 1950. Outro templo de destaque é o imponente templo da Igreja Universal do Reino de Deus, construído nos anos 2000.

Comércio[editar | editar código-fonte]

É considerado o maior polo de negócios, centro comercial e serviços do município, ao lado do Centro. Lá, encontram-se agências bancárias, supermercados, lojas de eletrodomésticos, lojas de móveis, shopping centers, clínicas, hospitais, escolas, muitos edifícios comerciais.

No ano de 2013 o bairro recebeu em sua área central a construção de um Shopping com terminal rodoviário, o Pátio Alcântara, criado para propiciar o crescimento da opção de compras, lazer e transporte no bairro. Destaque para a Rua João Caetano, mais conhecida como "Rua da Feira", onde existe um forte comércio de têxteis.

Novo terminal e Pátio Alcântara[editar | editar código-fonte]

No dia 28 de junho de 2008, após uma grande reforma, foi inaugurado o novo Terminal Rodoviário Jayme Mendonça Campos, sob o viaduto da RJ-104. Conta com lojas de conveniência, banheiros públicos, lixeiras e modernos bancos, além de um novo mobiliário. Há também com 10 plataformas equipadas com rampas para deficientes.

A limpeza e a manutenção ficarão ao encargo das empresas de ônibus. Como antes, o terminal contará com sete linhas, todas com itinerários intermunicipais. Além deste terminal, existe o Pátio Alcântara: um centro comercial integrado com um terminal rodoviário.

Educação[editar | editar código-fonte]

Alcântara é um bairro bem servido de escolas, são elas: Escola Municipal Almirante Alfredo Carlos Soares Dutra, Escola Municipal Desembargador Ronald de Souza, Colégio Estadual Pandia Calogeras ( públicas). Externato Alfredo backer, Colégio M3 e vários outros particulares.

Saúde[editar | editar código-fonte]

Em Alcântara localiza-se o Hospital Estadual Alberto Torres e o Pronto Socorro de Alcântara, Posto de Assistência Médica de Alcântara – P.A.M, Polo Sanitário Hélio Cruz. Existe também diversas clínicas e laboratórios particulares distribuídos pelo bairro.

hidrografia[editar | editar código-fonte]

Alcântara é cortado pelo Rio Alcântara, porém, nos dias atuais, este rio está imensamente poluído e muitos já o consideram valões.

O Rio Alcântara é efluente do rio Guaxindiba. Ele nasce no bairro em Maria Paula, no município de São Gonçalo passando por vários bairros, sofre muito com a poluição que é lançada em suas águas,corre em direção à área de mangues da Baía de Guanabara, onde se encontra com o rio Guaxindiba desaguando nele .

Clima[editar | editar código-fonte]

O clima de Alcântara é o mesmo de todo município de São Gonçalo, ameno e seco (20º a 35º).

A tentativa de emancipação[editar | editar código-fonte]

Desde a década de 1960, cogitava-se a transformação do bairro em município. Com a vinda dos Anos de Chumbo, a pretensão desapareceu, vindo a ressurgir somente após o período de redemocratização do país. Em 1984, políticos locais e o jornal "O Alcântara" se mobilizaram para a realização de um plebiscito, que tramitou pela Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro e se concretizou em 1995[2] . Entretanto, o pleito não logrou êxito, pois, apesar de uma votação expressiva a favor da emancipação, esmagadora parte dos eleitores da região interessada não compareceu às urnas[3] . O novo município, que também se chamaria São Pedro de Alcântara, seria composto de alguns bairros do 1° e todos do 2° e 3° distritos.

Cultura Popular[editar | editar código-fonte]

Alcântara é a terra natal de Agostinho Carrara, personagem do famoso sitcom da Rede Globo, A Grande Família.

Referências

  1. Mapas e Bairros - São Gonçalo Prefeitura Municipal de São Gonçalo. Visitado em 24/08/2009.
  2. UFF Teses: Racionalidade Técnica e Lógica Política..., pág. 125 - visitada em 7 de novembro de 2007.
  3. Revista Fluminense de Geografia: ALCÂNTARA: Representação Espacial e Criação de Município - visitada em 7 de novembro de 2007.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Alcântara (São Gonçalo)