Leste Fluminense

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Mapa do estado do Rio de Janeiro mostrando os municípios pertencentes à região do Leste Fluminense (em vermelho).

O Leste Fluminense é a região do Estado do Rio de Janeiro que abrange a porção leste da Região Metropolitana do Rio de Janeiro (os municípios da Região Metropolitana II, também chamada de Leste Metropolitano, ou Grande Niterói), em um total de mais de 2 milhões de habitantes, mais a Região das Baixadas Litorâneas (que, por sua vez, agrupa a Microrregião da Bacia de São João e a Região dos Lagos.

São 16 municípios fluminenses: Rio das Ostras, Casimiro de Abreu, Silva Jardim, Armação dos Búzios, São Pedro da Aldeia, Araruama, Rio Bonito, Saquarema, Cabo Frio, Arraial do Cabo, Tanguá, Itaboraí, Maricá, Niterói, São Gonçalo e Iguaba Grande.

Leste Metropolitano[editar | editar código-fonte]

Atualmente, a extinta Grande Niterói foi agrupada na Região Metropolitana do Rio de Janeiro, compondo sua porção leste. Esta área também é chamada de Região Metropolitana II do Rio de Janeiro ou Leste Metropolitano do Rio de Janeiro, ou simplesmente Leste Metropolitano, agrupando os atuais municípios de Niterói, São Gonçalo, Itaboraí, Rio Bonito, Cachoeiras de Macacu, Maricá e Tanguá.

CONLESTE[editar | editar código-fonte]

O Consórcio Intermunicipal de Desenvolvimento do Leste Fluminense - CONLESTE[1] é associação dos municípios do Leste Fluminense para obter contrapartidas da Petrobras para região por causa da implantação do Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj) nos municípios de Itaboraí e São Gonçalo. Definindo as principais reivindicações das regiões Metropolitana (porção leste) e Baixada Litorânea, com vistas à implantação do COMPERJ. As prioridades para Cachoeiras de Macacu, Casimiro de Abreu, Itaboraí, Guapimirim, Maricá, Magé, Niterói, Rio Bonito, São Gonçalo, Tanguá e Silva Jardim são nas áreas de saneamento, saúde, habitação, turismo, educação, mobilidade urbana, recursos hídricos, transporte, meio ambiente e segurança, listadas pelos especialistas nos grupos de trabalho de cada município.

Os municípios têm perdido recursos do governo federal por não apresentar, por exemplo, projetos de habitação e infraestrutura. Os municípios no entorno do Comperj terão grandes benefícios, como empregos e arrecadação de impostos, e sofrerão transformações significativas, com possíveis impactos sociais decorrentes da implantação do Complexo. Diante dessa perspectiva, os municípios da região criaram o Consórcio Intermunicipal de Desenvolvimento, para definir atuação de forma conjunta, diante dos problemas e vantagens que surgirão.

A sede, atualmente, é em Itaboraí, mas há uma proposta de mudança para Niterói, com o objetivo de facilitar o acesso dos prefeitos e outros representantes dos municípios do Conleste.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências