Andréa del Fuego

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Andréa Fátima dos Santos[1]
Andréa del Fuego, 2014
Pseudônimo(s) Andréa del Fuego
Nascimento 1975 (41–42 anos)
São Paulo, SP
Nacionalidade brasileira
Ocupação Escritora
Prémios Prémio Literário José Saramago 2011 pela obra Os Malaquias

Andréa del Fuego (São Paulo, 1975) é uma escritora brasileira.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Andréa del Fuego nasceu na cidade de São Paulo, em 1975. Formada em Filosofia pela Universidade de São Paulo, é autora de romances, contos e livros juvenis. Na adolescência teve formação técnica em publicidade, época em que escrevia contos eróticos que, ao mostrá-los a um amigo jornalista, recebeu o convite para criar uma seção de respostas a dúvidas sobre sexo como um personagem. Criou então o seu pseudônimo, uma referência à Luz del Fuego[2][3].

É autora do romance Os Malaquias (vencedor do Prêmio José Saramago) publicado na Alemanha, Itália, França, Israel, Romênia, Suécia, Portugal e Argentina. Seu último romance, As Miniaturas, foi publicado na Argentina e na França. Autora também da trilogia de contos Minto enquanto possoNego tudo e Engano seu, dos juvenis Sociedade da Caveira de CristalQuase caio e Irmãs de pelúcia. Ganhou o prêmio Literatura Para Todos do Ministério da Educação com a novela Sofia, o cobrador e o motorista. Integra as antologias: Geração Zero Zero, Popcorn Unterm Zuckerhut (Alemanha), Other Carnivals: New Stories (Inglaterra), Brésil 25 (França) entre outras.

Ao lado de outras autoras brasileiras contemporâneas, como Índigo, Cecília Giannetti e Carol Bensimon, teve um conto publicado na coletânea Histórias femininas (editora Scipione, 2011)[4].

Seu primeiro romance, Os Malaquias, foi lançado em 2010 e conta a história de três irmãos que ficam órfãos quando seus pais são atingidos por um raio[5]. A obra valeu à autora o Prémio José Saramago de 2011[6].

Como colunista do programa Entrelinhas, da TV Cultura, produziu matérias sobre autores como Murilo Rubião, Roberto Bolaño, Ana Akhmatova, Julio Cortázar e Enrique Vila-Matas.

Obras publicadas[editar | editar código-fonte]

Romances[editar | editar código-fonte]

  • 2013 - As Miniaturas (Companhia das Letras)
  • 2010 - Os Malaquias (Língua geral)

Contos[editar | editar código-fonte]

  • 2009 - Nego fogo (Dulcinéia Catadora)
  • 2007 - Engano seu (Ed. O Nome da Rosa)
  • 2005 - Nego tudo (Fina Flor)
  • 2004 - Minto enquanto posso (Ed. O Nome da Rosa)

Infanto-juvenis[editar | editar código-fonte]

  • 2007 - Blade Runner (Mojo Books)
  • 2013 - Sociedade da Caveira de Cristal (Scipione)
  • 2008 - Quase caio (Escala Educacional)
  • Crônica (Editora Escala Educacional, 2008)

Infantil[editar | editar código-fonte]

  • 2010 - Irmãs de pelúcia (Scipione)

Participações em antologias[editar | editar código-fonte]

  • Os cem menores contos brasileiros do século (Ateliê Editorial, Org. Marcelino Freire, 2004)
  • 30 mulheres que estão fazendo a nova literatura brasileira (Editora Record Org. Luiz Ruffato, 2005)
  • Geração zero zero (Editora Língua Geral, Org. Nelson de Oliveira, 2011)
  • Escritores escritos (Editora Flaneur, Org. Victoria Saramago, 2010)
  • Galeria do sobrenatural (Terracota Editorial, Org. Silvio Alexandre, 2009)
  • 90-00 Cuentos brasileños contemporáneos (Ediciones Copé, selo editorial da Petroperu – Org. Maria Alzira Brum Lemos e Nelson de Oliveira; tradução de Alan Mills e José Luis Sansáns, 2009, Peru)
  • Futuro presente (Editora Record, Org. de Nelson de Oliveira, 2009)
  • Um rio de contos – antologia luso-brasileira (Editorial Tágide – Org. de Celina Veiga de Oliveira e Victor Oliveira Mateus, 2009, Portugal)
  • O livro vermelho dos vampiros (Editora Devir – Org. Luiz Roberto Guedes, 2009)
  • Blablablogue (Editora Terracota – Organização de Nelson de Oliveira, 2009)
  • O Pequeno Príncipe me disse (Editora Luk – Organização de Sheila Dryzun, 2009)
  • Pitanga – 52 micro-contos (Editorial Pitanga – Organização de Luísa Coelho, 2008, Portugal)
  • Capitu mandou flores (Geração Editorial – Organização de Rinaldo de Fernandes, 2008)
  • Contos de algibeira (Casa verde – Organização de Lais Chaffe, 2007)
  • 35 segredos para chegar a lugar nenhum (Bertrand Brasil – Organização de Ivana Arruda Leite, 2007)
  • 69/2 contos eróticos (Editora Leitura – Organização de Ronald Claver, 2006)
  • Doze (Editora Demônio Negro – Organização de Vanderley Mendonça, 2006)
  • Fábulas da Mercearia – uma antologia bêbada (Editora Ciência do Acidente – Org. Joca Reiners Terron, 2004)

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Andréa del Fuego

Referências

  1. Maria Ramos Silva (28 de outubro de 2011). «Andréa del Fuego. "Minha mãe falou: 'Como ganha uma coisa assim e não me diz nada?'"». i. Consultado em 16 de novembro de 2011 
  2. Andréa del Fuego, ficcionista. Saraiva Conteúdo, 8 de outubro de 2010
  3. A engrenagem do sonho]. Revista Cult
  4. Histórias femininas. Editora Scipione
  5. Andrea del Fuego lança 'Os malaquias'. Jornal do Brasil, 3 de julho de 2010
  6. Literatura: Andréa del Fuego vence Prémio Saramago com "Os Malaquias". Expresso, 25 de outubro de 2011
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.