Antarctopelta

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Como ler uma infocaixa de taxonomiaAntarctopelta
Ocorrência: Cretáceo Superior
74–70 Ma
Antarctopelta.jpg
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Clado: Dinosauria
Ordem: Ornithischia
Subordem: Ankylosauria
Família: Nodosauridae
Género: Antarctopelta
Salgado & Gasparini, 2006
Espécie-tipo
Antarctopelta oliveroi
Salgado & Gasparini, 2006

Antarctopelta (que significa escudo antártico) foi um gênero de anquilossauro com apenas uma espécie conhecida, A. oliveroi, que viveu na Antártica durante o Final do Período Cretáceo. Foi um anquilossauro médio, chegando a mais de 4 metros de comprimento, e mostrou características de duas famílias diferentes, tornando a classificação mais difícil. O único espécime fóssil conhecido foi descoberto na ilha de James Ross em 1986, constituindo os primeiros restos de dinossauros já descobertos na Antártica, embora seja o segundo dinossauro do continente a ser nomeado formalmente.

Descrição e classificação[editar | editar código-fonte]

Como outros anquilossauros, Antarctopelta oliveroi foi um herbívoro quadrúpede protegido por placas de armadura incorporadas na pele. Apesar de um completo esqueleto não ser encontrado, é estimado que a espécie atingiu um comprimento máximo de 4 metros do focinho à ponta da cauda. Muito pouco do crânio desse dinossauro é conhecido, mas todos os fragmentos conhecidos do crânio foram fortemente ossificados para proteção. Um osso em particular, identificado como um supraorbital, incluiu um espinho curto, que teria sido projetado para fora sobre os olhos. Os dentes em formato de folha são assimétricos, com a maioria dos dentículos na borda mais próxima da ponta do focinho. Estes dentes são também proporcionalmente grande em relação aos de outros anquilossauros, com a medição a maior de 10 milímetros de diâmetro.[1] 

As vértebras de outras seções da cauda foram encontrados. Embora a ponta da cauda não tenha sido fossilizada, algumas menores vértebras recuperado teria sido situado perto do final da cauda na vida, e estes foram associados com tendões ossificados sobre os lados superior e inferior. Nos anquilossauros, estes tendões ajudam a endurecer a ponta do rabo em apoio de uma grande cauda óssea. Eles incluíram a base do que teria sido um grande pico. 

Antarctopelta compartilha muitas características com os nodosaurídeos, principalmente nos dentes e armadura.. Este mosaico de caracteres faz com que a atribuição para uma família específica fique difícil. Ele foi designado como anquilossauro incertae sedis, mas nunca foi submetido a uma análise filogenética.[1] 

Descoberta e nomeação[editar | editar código-fonte]

Fósseis do holótipo

O holótipo (modelo utilizado como base para o táxon) é o único exemplo conhecido deste gênero e espécie, e foi o primeiro dinossauro já descoberto na Antártida. Ele consiste de três dentes isolados, parte da mandíbula com o outro dente in situ, alguns outros fragmentos do crânio, algumas vértebras (pescoço, costas, quadris e cauda), alguns ossos dos membros inferiores (escápula, ilíaco e fêmur), ossos do dedo do pé (cinco metatarsos e duas falanges). Esta amostra foi inicialmente localizada em janeiro de 1986, na Ilha James Ross, na Península Antártica. Ele foi descoberto pelos geólogos argentinos Eduardo Olivero e Roberto Scasso, mas a escavação não foi concluída por quase uma década, devido ao solo congelado e condições climáticas adversas. O material foi coletado de uma área de 6 metros quadrados ao longo de várias temporadas, mas é assumido que pertenciam a um único indivíduo. Muito do esqueleto está em mau estado.[1]

Embora o material tinha sido conhecida há décadas e escrito sobre em três publicações separadas, Antarctopelta oliveroi não foi nomeado até o ano de 2006, pelos paleontólogos argentinos Leonardo Salgado e Zulma Gasparini. Foi, portanto, o segundo gênero nomeado de dinossauro da Antártida depois de Cryolophosaurus em 1993, apesar de ser descoberto primeiro. O nome do gênero se refere à sua localização no continente da Antártida e por causa do seu escudo. A única espécie conhecida, A. oliveroi, é nomeado em homenagem a Eduardo Olivero, que descobriu o holótipo.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. a b c Citação vazia (ajuda)