Arizona Cardinals

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Searchtool.svg
Esta página foi marcada para revisão, devido a incoerências e/ou dados de confiabilidade duvidosa (desde janeiro de 2018). Se tem algum conhecimento sobre o tema, por favor, verifique e melhore a coerência e o rigor deste artigo.
Arizona Cardinals
Temporada da NFL de 2018
Fundado em 1898
Joga em University of Phoenix Stadium
Glendale, Arizona
Sediado em Tempe, Arizona
Arizona Cardinals logo
Arizona Cardinals wordmark
Logo Wordmark
Afiliações na liga/conferência

National Football League (1920–presente)

Uniforme atual
Ariz Cardinals uniforms.png
Cores Cardeal, Branco, Preto
              
Pessoas-chave
Chairman Bill Bidwill
General manager Steve Keim
Treinador principal Steve Wilks
História do time
  • Morgan Athletic Club (1898–1919)
  • Chicago Cardinals (1920-1943)
  • Card-Pitt (1944)
  • Chicago Cardinals (1945-1959)
  • St. Louis Cardinals (1960-1987)
  • Phoenix Cardinals (1988-1993)
  • Arizona Cardinals (1994–presente)
Campeonatos
Títulos da liga (2)
Campeonatos de conferência (1)
  • NFC: 2008
Campeonatos de divisão (6)
  • NFL West: 1947, 1948
  • NFC East: 1974, 1975
  • NFC West: 2008, 2009, 2015
Aparições em playoffs (9)
NFL: 1947, 1948, 1974, 1975, 1982, 1998, 2008, 2009,2014, 2015
Estádios
Desde 1920

O Arizona Cardinals (também chamado de Cards) é um time de futebol americano da cidade de Glendale, Arizona que disputa a divisão oeste da Conferência Nacional da NFL.[1]

Foi fundado em 1898 em Chicago, é a mais antiga franquia de futebol americano, tendo sido um dos fundadores da NFL em 1920. Se mudou para o Arizona em 1988, após 27 anos em St. Louis (destino do time após sair de Chicago, em 1959), sendo originalmente chamado Phoenix Cardinals e jogando na cidade próxima de Tempe. Desde 2005 joga em Glendale, também na região metropolitana de Phoenix, no estádio da Universidade de Phoenix.[2]

Os Cardinals chegaram ao Super Bowl pela primeira vez em sua história na pós-temporada de 2009, depois de alcançar seu primeiro título na divisão oeste. No Super Bowl XLIII, foram derrotados pelo Pittsburgh Steelers por 27 a 23.

Historia da Franquia[editar | editar código-fonte]

Chicago[editar | editar código-fonte]

O início da franquia data de 1898, quando um grupo de bairro se reuniu para jogar na região sul de Chicago, chamando-se de Morgan Athletic Club. O contratante de pintura e construção de Chicago, Chris O'Brien, adquiriu a equipe, que se mudou para o campo normal na avenida Racine. A equipe era conhecida como Racine Normals até 1901, quando O'Brien comprou mochilas usadas da Universidade de Chicago. Ele descreveu a roupa de marrom desbotada como "Cardeal vermelho" e a equipe tornou-se os Cardeais da Rua Racine. O time acabou se tornando em 1920 um membro fundador da American Professional Football Association (APFA), que dois anos depois foi rebatizado para National Football League (NFL). A equipe entrou na liga como Racine Cardinals, no entanto, o nome foi alterado em 1922 para Chicago Cardinals para evitar confusão com o Horlick-Racine Legion que entrou na liga no mesmo ano.[3] Com exceção de 1925, quando foram premiados o campeonato depois que os Pottsville Maroons foram suspensos, os cardinals tiveram apenas um sucesso mínimo no campo de jogo durante as primeiras 26 temporadas na liga. Durante os anos pós-Segunda Guerra Mundial, a equipe chegou a duas finais contra o Philadelphia Eagles, vencendo em 1947 - oito meses após a morte do dono Charles Bidwill - e perdendo no ano seguinte. Depois de anos de más temporadas e de fãs perdidos para os rivais Chicago Bears, no final da década de 1950, os cardinals estavam quase na falência, quando o dono Violet Bidwill Wolfner se interessou por um deslocamento.

St. Louis[editar | editar código-fonte]

Devido à formação da American Football League, a NFL permitiu que Bidwill mudasse a equipe para St. Louis, Missouri, onde se tornaram o (localmente, eles foram chamados de "Big Red" ou "Football Cardinals" para evitar confusão com a equipe de beisebol).[4] Durante a estada de 28 anos dos cardinals em St. Louis, eles avançaram para os playoffs apenas três vezes (1974, 1975 e 1982), nunca hospedando nem ganhando em qualquer aparência. A mediocridade geral dos cardinals, combinada com um estádio de então 21 anos, fez com que o comparecimento do jogo diminuísse, fazendo com que Bill Bidwill mudasse a equipe para o Arizona.

Arizona[editar | editar código-fonte]

Pouco depois da temporada 1987 da NFL, a Bidwill concordou em se mudar para a área metropolitana de Phoenix em um acordo com funcionários estaduais e locais, e o time se tornou o Phoenix Cardinals.[5] A franquia mudou seu nome geográfico de Phoenix para o Arizona em 17 de março de 1994.[6] (Curiosamente, a franquia nunca jogou na cidade de Phoenix propriamente dita). A temporada 1998 da NFL viu os cardinals quebrar duas longas secas, se qualificando para os playoffs pela primeira vez em 16 anos. A equipe obteve sua primeira vitória na pós-temporada desde 1947 ao vencer o Wild Card. Em 2008, os Cardinals ganharam a final de conferencia e avançaram para o Super Bowl pela primeira vez no histórico da franquia. Eles perderam o Super Bowl XLIII para o Pittsburgh Steelers nos segundos finais.[7]

Após a temporada histórica de 2008, os Cardeais registaram um recorde de 10-6 em 2009, a primeira temporada com 10 vitórias no Arizona. Os Cardeais conquistaram seu segundo título consecutivo na NFC West e foram derrotados pelo eventual campeão do Super Bowl, New Orleans Saints 45-14, nos playoffs da divisão. Na próxima vez, eles fariam os playoffs em 2014, quando eles acabaram como um wild card. Eles estabeleceram o melhor recorde da temporada regular na história da equipe no Arizona às 11-5, mas foram derrotados pelo Carolina Panthers.

No ano seguinte, os Cardinals estabeleceram a melhor temporada regular da historia da franquia(13-3),e avançaram como segunda semente da NFC. Eles derrotaram os Green Bay Packers na prorrogação por 26 a 20, dando ao quarterback Carson Palmer sua primeira vitória em playoffs. Os Cardinals, então, avançaram para a segunda final de conferencia em sua história, mas foram batidos pelos Panthers num jogo com sete turnovers.[8]

Referências

  1. «azcardinals.com | Franchise» 
  2. «Arizona Cardinals Team Facts | Pro Football Hall of Fame Official Site». www.profootballhof.com (em inglês). Consultado em 31 de janeiro de 2018 
  3. 1956-, Griffith, R. D.,. To the NFL : you sure started somethin' : a historical guide of all 32 NFL teams and the cities they've played in. Pittsburg, Pennsylvania: [s.n.] ISBN 9781434916815. OCLC 816041617 
  4. «Before coming to desert, Cards were substandard in St. Louis». NFL.com (em inglês) 
  5. Eskenazi, Gerald; Times, Special to the New York (16 de março de 1988). «N.F.L. Approves Team Shift». The New York Times (em inglês). ISSN 0362-4331 
  6. 2015 Arizona Cardinals Media Guide. Arizona: [s.n.] 2015. 291 páginas 
  7. «Arizona Cardinals Hall of Famers | Pro Football Hall of Fame Official Site». www.profootballhof.com (em inglês). Consultado em 31 de janeiro de 2018 
  8. «Arizona Cardinals' biggest stars fall flat in Carolina». NFL.com (em inglês)