Arizona Cardinals

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Arizona Cardinals
Temporada da NFL de 2019
Fundado em 1898
Joga em State Farm Stadium, Glendale, Arizona
Sediado em Tempe, Arizona
Arizona Cardinals logo
Arizona Cardinals wordmark
LogoWordmark
Afiliações na liga/conferência

National Football League (1920–presente)

Uniforme atual
Ariz Cardinals uniforms.png
Cores Cardeal, Branco, Preto
              
Pessoas-chave
Chairman Bill Bidwill
General manager Steve Keim
Treinador principal Kliff Kingsbury
História do time
  • Morgan Athletic Club (1898–1919)
  • Chicago Cardinals (1920-1943)
  • Card-Pitt (1944)
  • Chicago Cardinals (1945-1959)
  • St. Louis Cardinals (1960-1987)
  • Phoenix Cardinals (1988-1993)
  • Arizona Cardinals (1994–presente)
Campeonatos
Títulos da liga (2)
Campeonatos de conferência (1)
  • NFC: 2008
Campeonatos de divisão (6)
  • NFL West: 1947, 1948
  • NFC East: 1974, 1975
  • NFC West: 2008, 2009, 2015
Aparições em playoffs (9)
NFL: 1947, 1948, 1974, 1975, 1982, 1998, 2008, 2009,2014, 2015
Estádios
Desde 1920

O Arizona Cardinals é uma franquia profissional de futebol americano baseada na área metropolitana de Phoenix. Os Cardinals competem na National Football League (NFL) como um membro da NFC West. Os Cardinals foram fundados como Morgan Athletic Club em 1898 e são os mais antigos times profissionais de futebol americano nos Estados Unidos. Os Cardinals jogam seus jogos em casa no State Farm Stadium, inaugurado em 2006 e localizado no subúrbio noroeste de Glendale.[1]

A equipe foi fundada em Chicago em 1898 como um time de futebol americano amador e ingressou na NFL como membro fundador em 17 de setembro de 1920. Juntamente com o Chicago Bears, o clube é uma das duas franquias membro da NFL que ainda estão em operação desde a fundação da liga. (O Green Bay Packers eram uma equipe independente até ingressarem na NFL um ano depois de sua criação em 1921.) O clube então se mudou para St. Louis em 1960 e jogou lá até 1987. (às vezes chamado de "Football Cardinals" ou "Big Red" para evitar confusão com os St. Louis Cardinals da MLB.)

Antes da temporada de 1988, a equipe se mudou para Tempe, Arizona, um subúrbio universitário a leste de Phoenix, e jogou seus jogos em casa pelas próximas 18 temporadas no Sun Devil Stadium no campus da Arizona State University. Em 2006, eles se mudaram para seu atual campo em Glendale, embora os escritórios executivos e o centro de treinamento da equipe permaneçam em Tempe.

A franquia ganhou dois títulos da NFL, ambos em Chicago. O primeiro ocorreu em 1925, mas é motivo de controvérsia, com os defensores do Pottsville Maroons acreditando que Pottsville deveria ter conquistado o título. Seu segundo título, e o primeiro a ser ganho em um jogo final, aconteceu em 1947, quase duas décadas antes do primeiro Super Bowl. Eles retornaram a final em 1948, mas perderam o jogo por 7-0 em uma tempestade de neve na Filadélfia.

Desde que venceu o campeonato em 1947, a equipe sofreu muitas temporadas perdedoras e atualmente detém a mais longa seca de títulos em competições esportivas norte-americanas com 70 temporadas consecutivas depois que o Chicago Cubs da MLB encerrou sua seca de 108 anos em 2016. Em 2012, os Cardinals se tornaram primeira franquia da NFL a perder 700 jogos desde a sua criação. O recorde de vitórias e derrotas de todos os tempos da franquia (incluindo os jogos da temporada regular e dos playoffs) no final da temporada de 2017 é de 557-749-40.[2] Eles foram para os playoffs dez vezes e venceram sete jogos do playoff, três dos quais foram vitórias durante os playoffs da NFL de 2008-09. Durante essa temporada, eles ganharam seu único NFC Championship Game desde a fusão AFL-NFL e alcançaram o Super Bowl XLIII (perdendo para o Pittsburgh Steelers). A equipe também ganhou cinco títulos de divisão (1974, 1975, 2008, 2009 e 2015).

Os Cardinals são a única equipe da NFL que nunca perdeu um jogo de playoffs em casa, com um recorde de 5-0: o NFL Championship Game de 1947, duas vitórias nos playoffs de 2008-09, uma vitória durante os playoffs de 2009-10 e uma vitória durante os playoffs de 2015-16.

De 1988 a 2012 (exceto em 2005, quando eles treinaram em Prescott), os Cardinals conduziram seu acampamento anual de treinamento de verão na Northern Arizona University em Flagstaff. Os Cardinals mudaram seu campo de treinamento para o Estádio da Universidade de Phoenix em 2013. O estádio foi o local do Pro Bowl de 2015, ao contrário dos anos anteriores, onde foi realizado no Aloha Stadium em Honolulu, Havaí. O estádio também foi palco dos Super Bowls XLII e XLIX e vai sediar o Super Bowl LVII em 2023.

Historia da Franquia[editar | editar código-fonte]

Chicago[editar | editar código-fonte]

O início da franquia data de 1898, quando um grupo de bairro se reuniu para jogar na região sul de Chicago, chamando-se de Morgan Athletic Club. O contratante de pintura e construção de Chicago, Chris O'Brien, adquiriu a equipe, que se mudou para o campo na avenida Racine. A equipe era conhecida como Racine Normals até 1901, quando O'Brien comprou mochilas usadas da Universidade de Chicago. Ele descreveu a roupa de marrom desbotada como "Cardeal vermelho" e a equipe tornou-se os Racine Street Cardinals.

O time acabou se tornando em 1920 um membro fundador da American Professional Football Association (APFA), que dois anos depois foi rebatizado para National Football League (NFL). A equipe entrou na liga como Racine Cardinals, no entanto, o nome foi alterado em 1922 para Chicago Cardinals para evitar confusão com o Horlick-Racine Legion que entrou na liga no mesmo ano.[3]

Com exceção de 1925, quando foram premiados os campeões depois que o Pottsville Maroons foram suspensos[4], os Cardinals tiveram apenas um sucesso mínimo no campo de jogo durante as primeiras 26 temporadas na liga. Durante os anos pós-Segunda Guerra Mundial, a equipe chegou a duas finais contra o Philadelphia Eagles, vencendo em 1947 - oito meses após a morte do dono Charles Bidwill - e perdendo no ano seguinte.[5][6]

Depois de anos de más temporadas e de fãs perdidos para os rivais Chicago Bears, no final da década de 1950, os Cardinals estavam quase na falência, quando o dono Violet Bidwill Wolfner se interessou por um deslocamento.

St. Louis[editar | editar código-fonte]

Devido à formação da American Football League, a NFL permitiu que Bidwill mudasse a equipe para St. Louis, Missouri, onde se tornaram o St. Louis Cardinals (localmente, eles foram chamados de "Big Red" ou "Football Cardinals" para evitar confusão com a equipe de beisebol).[7]

Durante a estada de 28 anos dos Cardinals em St. Louis, eles avançaram para os playoffs apenas três vezes (1974[8], 1975[9] e 1982[10]), nunca hospedando nem ganhando em qualquer jogo. A mediocridade geral dos Cardinals, combinada com um estádio de então 21 anos, fez com que o comparecimento dos jogos diminuísse, fazendo com que Bill Bidwill mudasse a equipe para Arizona.

Arizona[editar | editar código-fonte]

Pouco depois da temporada 1987 da NFL, Bidwill concordou em se mudar para a área metropolitana de Phoenix em um acordo com funcionários estaduais e locais, e o time se tornou o Phoenix Cardinals.[11] A franquia mudou seu nome geográfico de Phoenix para o Arizona em 17 de março de 1994.[12] (Curiosamente, a franquia nunca jogou na cidade de Phoenix propriamente dita).

A temporada 1998 da NFL viu os Cardinals quebrarem duas longas secas, se qualificando para os playoffs pela primeira vez em 16 anos.[13] A equipe obteve sua primeira vitória na pós-temporada desde 1947 ao vencer o Wild Card sobre o Dallas Cowboys por 20-7.[14]

Em 2008, os Cardinals ganharam a final de conferencia e avançaram para o Super Bowl pela primeira vez na história da franquia.[15] Eles perderam o Super Bowl XLIII para o Pittsburgh Steelers nos segundos finais.[16]

Após a temporada histórica de 2008, os Cardinals registaram um recorde de 10-6 em 2009, a primeira temporada com 10 vitórias em Arizona.[17] Os Cardinals conquistaram seu segundo título consecutivo da NFC West e foram derrotados pelo eventual campeão do Super Bowl, New Orleans Saints, por 45-14, no Divisional Round.[18] Eles voltariam aos playoffs em 2014, quando eles se classificaram como um wild card. Eles estabeleceram o melhor recorde de temporada regular na história da equipe com 11-5[19], mas foram derrotados pelo Carolina Panthers no wild card.[20]

No ano seguinte, os Cardinals estabeleceram a melhor temporada regular da historia da franquia, 13-3.[21] Eles derrotaram o Green Bay Packers na prorrogação por 26-20, dando ao quarterback Carson Palmer sua primeira vitória em playoffs.[22] Os Cardinals, então, avançaram para a segunda final de conferencia em sua história, mas foram batidos pelos Panthers num jogo com sete turnovers.[23][24]

Logos e uniformes[editar | editar código-fonte]

A partir de 1947, a equipe tinha um logotipo de um pássaro cardeal empoleirado nos pontos de uma bola de futebol americano.

Os Cardinals se mudaram para o Arizona em 1988 e a bandeira do Arizona foi adicionada às mangas no ano seguinte. Em 1990, a equipe começou a usar calças vermelhas com suas camisas brancas, pois o treinador Joe Bugel queria imitar seu ex-empregador, o Washington Redskins, que na época usava calças cor de vinho com suas camisas brancas (os Redskins mais tarde retornaram ao seu ouro de 1970).

Em 1994, os Cardinals participaram do programa de uniformes retrôs em homenagens aos 75 anos da NFL. As camisas eram semelhantes às dos Chicago Cardinals da década de 1920, com um logotipo "CC" entrelaçado e três listras em cada manga. Os números dos uniformes foram realocados para o peito direito. As calças eram caqui para simular a cor e o material usado naquela época. Os Cardinals também tiraram os logotipos de seus capacetes por dois jogos: em Cleveland e em casa contra o Pittsburgh.

A cabeça cardinal no capacete foi repetida na camisa branca de 1982 a 1995. Em 1996, a bandeira do estado do Arizona foi movida para cima na manga após a cabeça do Cardeal ser eliminada, e o preto foi removido como uma cor de destaque, em vez disso substituído por um azul para combinar a cor predominante da bandeira do estado. Em 2002, os Cardinals começaram a usar combinações de uniformes todo vermelho e todo branco, e continuaram a fazê-lo até 2004, antes da reformulação.

Em 2005, a equipe revelou suas primeiras grandes mudanças em um século. O logotipo foi atualizado para parecer mais elegante do que seu antecessor. Numerosos fãs tinham chamado ironicamente a versão anterior de um "periquito".[25] O preto novamente se tornou uma cor de destaque após uma ausência de oito anos, enquanto linhas de acabamento foram adicionadas aos ombros, mangas e laterais das camisas e calças. Ambas as camisas vermelhas e brancas têm a opção de calças vermelhas ou brancas.

O primeiro jogo caseiro dos Cardinals em Arizona, em 1988, os viu jogar com camisas vermelhas. Depois disso, pelos próximos 18 anos em Arizona, os Cardinals, como algumas outras equipes da NFL em climas quentes, usavam suas camisas brancas em casa durante a primeira metade da temporada - forçando os adversários a sofrerem em suas camisas mais escuras durante o outono do Arizona, com temperaturas acima de 38° C. No entanto, essa tradição não continuou quando os Cardinals se mudaram do Sun Devil Stadium para o University of Phoenix Stadium em 2006, já que os jogos do início da temporada (e alguns jogos em casa no final da temporada) foram jogados com o teto fechado. Com a temperatura no interior a uma temperatura confortável de 21° C, a equipa optou por vestir camisas vermelhas em casa o tempo inteiro. Os Cardinals usaram camisas brancas em casa pela primeira vez no University of Phoenix Stadium em 29 de agosto de 2008, em um jogo de pré-temporada contra o Denver Broncos.

Os Cardinals usaram branco em casa pela primeira vez em um jogo da temporada regular no University of Phoenix Stadium contra o Houston Texans em 11 de outubro de 2009. Em outubro de 2009, a NFL adotou a campanha "Breast Cancer Awareness Month" e os jogadores usavam itens de cor rosa, incluindo luvas, pulseiras e chuteiras. A equipe achou que os detalhes rosados ​​pareciam melhores com uniformes brancos do que vermelhos.

De 1970 a 1983, e novamente em muitas temporadas entre 1989 e 2002, os Cardinals usavam branco ao receber o Dallas Cowboys, a fim de forçar os Cowboys a vestirem suas camisas azuis. Eles não fizeram isso desde que começaram a jogar no University of Phoenix Stadium.

A temporada de 2010 viu os Cardinals estrearem uma nova camisa preta alternativa. Antes da sua introdução, os Cardinals eram a única equipe da NFL sem um uniforme alternativo, exceto pelo programa de 75º aniversário da NFL em 1994.[26]

Recordes[editar | editar código-fonte]

Recordes em uma temporadas[editar | editar código-fonte]

Passando

  • Jardas passadas: 4,671 – Carson Palmer (2015)
  • Passes para touchdowns: 35 – Carson Palmer (2015)
  • Passes completados: 401 – Kurt Warner (2008)
  • Passes tentados: 598 – Kurt Warner (2008)
  • Passe mais longo completo: 98 yards – Doug Russell (1932); Ogden Compton (1957); Jim Hart (1972)

Correndo

  • Jardas terrestres: 1,605 – Ottis Anderson (1979)
  • Corridas: 337 – Edgerrin James (2006)
  • Touchdowns terrestres: 16 – David Johnson (2016)
  • Mais longa corrida: 83 yards – John David Crow (1958)
  • Jardas terrestres por jogo: 100.3 yards – Ottis Anderson (1979)

Recebendo

  • Recepções: 109 – Larry Fitzgerald (2015)
  • Jardas recebidas: 1,598 – David Boston (2001)
  • Touchdowns recebidos: 15 – Sonny Randle (1960)

Retornos

  • Mais retornos de Punt: 44 – Vai Sikahema (1987)
  • Mais longo punt retornado: 99 yards – Patrick Peterson (2011)
  • Mais longo punt retornado: 108 yards – David Johnson (2015)

Chutes

  • Field goals: 40 – Neil Rackers (2005)
  • Extra Points convertidos: 53 – Pat Harder (1948)
  • Punts: 112 – Dave Zastudil (2012)
  • Jardas no Punt: 5,209 – Dave Zastudil (2012)

Recordes na carreira[editar | editar código-fonte]

  • Jardas passadas: 34,639 - Jim Hart (1966–1983)
  • Passes para touchdowns: 209 - Jim Hart (1966–1983)
  • Jardas terrestres: 7,999 - Ottis Anderson (1979–1986)
  • Touchdowns terrestres: 46 - Ottis Anderson (1979–1986)
  • Recepções: 1,281 - Larry Fitzgerald (2004–presente)
  • Jardas recebidas: 16,053 - Larry Fitzgerald (2004–presente)
  • Passes interceptados: 52 - Larry Wilson (1960–1972)
  • Field goals: 282 - Jim Bakken (1962–1978)
  • Pontos: 1,380 - Jim Bakken (1962–1978)
  • Total touchdowns: 115 - Larry Fitzgerald (2004–presente)
  • Média de retorno de punt: 30.3 - Ken Hall (1959–1961)
  • Média de retorno de Kickoff: 51.0 - John Brown (2014–2017)
  • Sacks: 66.5 - Freddie Joe Nunn (1985–1993)
  • Tackles: 785 - Eric Hill (1989–1997)
  • Vitórias (treinador): 49 - Bruce Arians (2013–2017)

Jogadores[editar | editar código-fonte]

Elenco atual[editar | editar código-fonte]

Quarterbacks

Running backs

Wide receivers

Tight ends

Offensive linemen

Defensive Linemen

Linebackers

Defensive backs

Times especiais

Suplentes


Calouros em itálico
Elenco atualizado em 8 de Janeiro de 2019
Gráficos aprofundadosTransações

46 Ativos, 8 Inativos

Elencos da AFCElencos da NFC



Números aposentados[editar | editar código-fonte]

Números aposentados do Chicago / St. Louis / Arizona Cardinals
Player Position Tenure
8 Larry Wilson S 1960–1972
40 Pat Tillman 1 S 1998–2001
77 Stan Mauldin 1 OT 1946–1948
88 J. V. Cain 1 TE 1974–1978
99 Marshall Goldberg HB 1939–1943

1946–1948

Notas:

  • 1 Aposentado postumamente.

Pro Football Hall of Famer[editar | editar código-fonte]

Chicago / St. Louis / Arizona Cardinals
Jogadores
No. Jogadores Posições Temporadas Introdução
4 Ernie Nevers FB

Treinador

1929–1931

1930–1931, 1939

1963
Jim Thorpe RB 1928 1963
1 John "Paddy" Driscoll QB

Treinador

1920–1925

1920–1922

1965
13 Guy Chamberlin End & Treinador 1927–1928 1965
2 Walt Kiesling G / DT

Treinador

1929–1933

1944

1966
62, 2 Charley Trippi RB 1947–1955 1968
33 Ollie Matson RB 1952, 1954–1958 1972
81 Dick "Night Train" Lane CB 1954–1959 1974
8 Larry Wilson S 1960–1972 1978
13 Don Maynard WR 1973 1987
81 Jackie Smith TE 1963–1977 1994
72 Dan Dierdorf T 1971–1983 1996
22 Roger Wehrli CB 1969–1982 2007
22 Emmitt Smith RB 2003–2004 2010
35 Aeneas Williams CB 1991–2000 2014
13 Kurt Warner QB 2005–2009 2017
Treinadores e Donos
Nome Posições Temporadas Introdução
Earl "Curly" Lambeau Treinador 1950–1951 1963
Jimmy Conzelman Treinador 1940–1942

1946–1948

1964
Charles Bidwill Dono 1933–1947 1967
Joe Stydahar Treinador 1953–1954 1967

itálico = jogou uma parte da carreira com os Cardinals e se consagrou representando outra equipe.

Ring of Honor[editar | editar código-fonte]

O Ring of Honor dos Cardinals começou em 2006 para marcar a abertura do University of Phoenix Stadium. A premiação honra grandes pessoas que trabalharam no Arizona Cardinals em todas as eras da história da franquia. A seguir, uma lista de pessoas que foram nomeadas e as datas em que foram indicadas:

  • Charles Bidwill, Dono (12 de Agosto de 2006)
  • Jimmy Conzelman, Treinador (12 de Agosto de 2006)
  • Dan Dierdorf, OT (16 de Outubro de 2006)
  • John "Paddy" Driscoll, QB (12 de Agosto de 2006)
  • Marshall Goldberg, HB (12 de Agosto de 2006)
  • Roy Green, DB/WR, (2 de Outubro de 2016)
  • Jim Hart, QB (3 de Dezembro de 2017)
  • Dick "Night Train" Lane, DB (12 de Agosto de 2006)
  • Ollie Matson, HB (12 de Agosto de 2006)
  • Ernie Nevers, FB (12 de Agosto de 2006)
  • Pat Tillman, S (12 de Novembro de 2006)
  • Charley Trippi, HB/QB (August 12, 2006)
  • Kurt Warner, QB (18 de Junho de 2014)
  • Roger Wehrli, CB (14 de Outubro de 2007)
  • Aeneas Williams, CB (10 de Novembro de 2008)
  • Adrian Wilson, S (27 de Setembro de 2015)
  • Larry Wilson, S (10 de Setembro de 2006)

Rádio e televisão[editar | editar código-fonte]

A principal emissora de rádio dos Cardinals é a KMVP-FM; Dave Pasch, Ron Wolfley e Paul Calvisi fazem a transmissão de rádio. As transmissões de rádio em espanhol são ouvidas na KQMR / KHOV-FM "Latino Mix" sob um contrato com a Univisión, assinado em 2015.[27] Antes de 2015, eles foram ouvidos no KDVA / KVVA-FM "José FM", também como co-propriedade KBMB AM 710.

Os Cardinals foram a primeira equipe da NFL a oferecer todos os 20 jogos de pré-temporada e temporada regular em rádio em espanhol, em 2000. Gabriel Trujillo e Rolando Cantú são a equipe de transmissão espanhola. Os Cardinals têm a maior rede de afiliados mexicanos da NFL, com contratos com o Grupo Larsa (no estado de Sonora) e Grupo Radiorama (fora de Sonora) e estações em 20 cidades, incluindo Hermosillo, Guadalajara e Cidade do México.

A partir da temporada de 2017, a KPNX, afiliada da NBC, transmitiu os jogos de pré-temporada da equipe na televisão (que, naquele ano, incluiu o Hall of Fame transmitido pela NBC), narrados por Pasch e Wolfley, com o âncora Paul Gerke como repórter. As transmissões são distribuídas regionalmente para KTTU e KMSB-TV em Tucson, e KVVU-TV em Las Vegas.[28]

Afiliados nos EUA[editar | editar código-fonte]

Cidades Sinal Frequência
Phoenix KTAR AM 620 AM
KMVP-FM 98.7 FM
Safford KATO AM 1230 AM
Sedona KAZM AM 780 AM
Lake Havasu City KNTR AM 980 AM
Prescott KQNA AM 1130 AM
KDDL FM 94.3 FM
Flagstaff KVNA AM 600 AM
Holbrook KZUA-FM 92.1 FM
Yuma KBLU 560 AM
Pinetop KNKI FM 106.7 FM
Miami KIKO AM 1340 AM
Tucson KEVT AM 1210 AM
Kingman KGMN-FM 100.1 FM

Referências

  1. «Arizona Cardinals Team Facts | Pro Football Hall of Fame Official Site». www.profootballhof.com. Consultado em 8 de dezembro de 2018 
  2. www.profootballhof.com (PDF) http://www.profootballhof.com/assets/1/6/Copy_of_W-L_-_Start_of_2017_Final(1).pdf. Consultado em 8 de dezembro de 2018  Em falta ou vazio |título= (ajuda)
  3. 1956-, Griffith, R. D.,. To the NFL : you sure started somethin' : a historical guide of all 32 NFL teams and the cities they've played in. Pittsburg, Pennsylvania: [s.n.] ISBN 9781434916815. OCLC 816041617 
  4. «Chicago Cardinals 1925 Game Log». Pro-Football-Reference.com (em inglês). Consultado em 8 de dezembro de 2018 
  5. «Championship - Philadelphia Eagles at Chicago Cardinals - December 28th, 1947». Pro-Football-Reference.com (em inglês). Consultado em 8 de dezembro de 2018 
  6. «Championship - Chicago Cardinals at Philadelphia Eagles - December 19th, 1948». Pro-Football-Reference.com (em inglês). Consultado em 8 de dezembro de 2018 
  7. «Before coming to desert, Cards were substandard in St. Louis». NFL.com (em inglês) 
  8. «St. Louis Cardinals 1974 Game Log». Pro-Football-Reference.com (em inglês). Consultado em 8 de dezembro de 2018 
  9. «St. Louis Cardinals 1975 Game Log». Pro-Football-Reference.com (em inglês). Consultado em 8 de dezembro de 2018 
  10. «St. Louis Cardinals 1982 Game Log». Pro-Football-Reference.com (em inglês). Consultado em 8 de dezembro de 2018 
  11. Eskenazi, Gerald; Times, Special to the New York (16 de março de 1988). «N.F.L. Approves Team Shift». The New York Times (em inglês). ISSN 0362-4331 
  12. 2015 Arizona Cardinals Media Guide. Arizona: [s.n.] 2015. 291 páginas 
  13. «Arizona Cardinals 1998 Game Log». Pro-Football-Reference.com (em inglês). Consultado em 8 de dezembro de 2018 
  14. «Wild Card - Arizona Cardinals at Dallas Cowboys - January 2nd, 1999». Pro-Football-Reference.com (em inglês). Consultado em 8 de dezembro de 2018 
  15. «NFC Championship - Philadelphia Eagles at Arizona Cardinals - January 18th, 2009». Pro-Football-Reference.com (em inglês). Consultado em 8 de dezembro de 2018 
  16. «Super Bowl XLIII - Pittsburgh Steelers vs. Arizona Cardinals - February 1st, 2009». Pro-Football-Reference.com (em inglês). Consultado em 8 de dezembro de 2018 
  17. «Arizona Cardinals 2009 Game Log». Pro-Football-Reference.com (em inglês). Consultado em 8 de dezembro de 2018 
  18. «Divisional Round - Arizona Cardinals at New Orleans Saints - January 16th, 2010». Pro-Football-Reference.com (em inglês). Consultado em 8 de dezembro de 2018 
  19. «Arizona Cardinals 2014 Game Log». Pro-Football-Reference.com (em inglês). Consultado em 8 de dezembro de 2018 
  20. «Wild Card - Arizona Cardinals at Carolina Panthers - January 3rd, 2015». Pro-Football-Reference.com (em inglês). Consultado em 8 de dezembro de 2018 
  21. «Arizona Cardinals 2015 Game Log». Pro-Football-Reference.com (em inglês). Consultado em 8 de dezembro de 2018 
  22. «Divisional Round - Green Bay Packers at Arizona Cardinals - January 16th, 2016». Pro-Football-Reference.com (em inglês). Consultado em 8 de dezembro de 2018 
  23. «Arizona Cardinals' biggest stars fall flat in Carolina». NFL.com (em inglês) 
  24. «NFC Championship - Arizona Cardinals at Carolina Panthers - January 24th, 2016». Pro-Football-Reference.com (em inglês). Consultado em 8 de dezembro de 2018 
  25. «Arizona Cardinals - Story Details». web.archive.org. 22 de novembro de 2005. Consultado em 8 de dezembro de 2018 
  26. «There's No Service Like Wire Service, Vol. 6». Uni Watch (em inglês). 22 de fevereiro de 2010. Consultado em 8 de dezembro de 2018 
  27. «Univision Arizona radio signs deal with Arizona Cardinals». Media Moves (em inglês). 29 de agosto de 2015. Consultado em 8 de dezembro de 2018 
  28. Cox, Seth (19 de julho de 2017). «Arizona Cardinals preseason games to be available on NBC locally». Revenge of the Birds. Consultado em 8 de dezembro de 2018