Denver Broncos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes fiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, o que compromete a verificabilidade (desde fevereiro de 2018). Por favor, insira mais referências no texto. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Denver Broncos
Temporada da NFL de 2018
Fundado em 1960
Joga em Sports Authority Field at Mile High
Denver, Colorado
Sediado no Paul D. Bowlen Memorial Broncos Centre
Dove Valley, Colorado
Denver Broncos wordmark
Wordmark
Afiliações na liga/conferência

National Football League (1970–presente)

Uniforme atual
Broncos uniforms.png
Cores Laranja, Azul[1] White

              

Pessoas-chave
Dono(s) Pat Bowlen Trust[2][3]
Chairman Joe Ellis
CEO Joe Ellis[3]
General manager John Elway
Treinador principal Vance Joseph
História do time
  • Denver Broncos (1960–presente)
Campeonatos
Títulos da liga (3)
Campeonatos de conferência (8)
Campeonatos de divisão (14)
Aparições em playoffs (21)
Estádios

O Denver Broncos é um time de futebol americano da cidade de Denver, Colorado que disputa a NFL na divisão Oeste da Conferência Americana.[4] [5][6][7]

Em 2009, completou 50 anos de fundação. Ao longo de sua história, o Broncos protagoniza algumas das mais intensas rivalidades da NFL com o Oakland Raiders. San Diego Chargers, Kansas City Chiefs e Cleveland Browns também são rivais do Broncos. Contra o Browns, ocorreram duas jogadas que ficaram marcadas na história da liga: a campanha (the drive) e o fumble.

O time venceu o Super Bowl três vezes, nos anos de 1997 (MVP: Terrell Davis), 1998 (MVP: John Elway) com Mike Shanahan como técnico e em 2015 com Gary Kubiak como o técnico da equipe. Chegou ao Super Bowl oito vezes (XII, XXI, XXII, XXIV, XXXII, XXXIII, XLVIII e 50) a mais recente em 2016, na qual foi campeão em cima do Carolina Panthers por 24-10.

A defesa de 77 ganhou o apelido de Orange Crush e é considerada uma das melhores de todos os tempos. O time de 98 foi um dos mais dominantes que a liga já teve. Esse time tinha como destaques: John Elway, Terrell Davis, Steve Atwater, Rod Smith, Ed McCaffrey, Shannon Sharpe, Jason Elam, Tom Nalem, Mark Schlereth e Bill Romanowski.

Atualmente conta em seu front office com a experiência de John Elway, um dos melhores quaterbacks de todos os tempos da franquia, e do treinador John Fox. Em 2012, o time adquiriu o veterano QB Peyton Manning e em 2013 o time conseguiu se classificar para os playoffs novamente pela primeira vez desde 1998.[8] Manning levou o time a dois Super Bowls, perdendo para os Seattle Seahawks em 2014 e vencendo os Carolina Panthers dois anos depois.

História[editar | editar código-fonte]

Era AFL: 1960-1969[editar | editar código-fonte]

Os Broncos foram fundados em 14 de agosto de 1959. A primeira vitória dos Broncos na American Football League ( AFL ) veio em 9 de setembro de 1960, contra o até então Boston Patriots 13-10, Em 5 de agosto de 1967, eles se tornaram o primeiro time da AFL a derrotar uma equipe da NFL, com uma vitória de 13-7 sobre os Detroit Lions em um jogo de pré-temporada. No entanto, os Broncos não tiveram sucesso na década de 1960, compilando um recorde de 39-97-4 na liga.

Denver chegou perto de perder sua franquia em 1965, até que um grupo de proprietários tomasse o controle e reconstruísse a equipe. A primeira superestrela da equipe, Floyd Little, foi fundamental para manter a equipe em Denver, devido aos seus esforços dentro e fora do campo. Os Broncos eram o único time da AFL original que nunca jogou o jogo do título, bem como o único time da AFL original que nunca teve uma temporada vencedora enquanto era membro da AFL durante os 10 anos de história da liga inicial.

1970–1982[editar | editar código-fonte]

Em 1972, os Broncos contrataram o ex-treinador da Universidade Stanford, John Ralston, como treinador principal. Em 1973, ele era o treinador do ano da AFC, depois de Denver ter alcançado sua primeira temporada vencedora em 7-5-2. Em cinco temporadas com os Broncos, Ralston guiou o time para ganhar a temporada três vezes. Embora Ralston tenha terminado a temporada de 1976 com um recorde de 9-5, a equipe, como foi o caso nas últimas temporadas de Ralston, perdeu nos playoffs. Após a temporada, vários jogadores proeminentes expressaram publicamente seu descontentamento com Ralston, o que logo levou à sua renúncia.

Red Miller, um treinador assistente de longa data foi contratado e junto com a Orange Crush Defense (um apelido originário do início da década de 1970, e também a marca do popular refrigerante com sabor laranja) e o Quarterback veterano Craig Morton, levou os Broncos para o que foi, então, um recorde de 12-2 de temporada regular e sua primeira aparição em playoffs em 1977 e, finalmente, o primeiro Super Bowl, em que foram derrotados pelos Dallas Cowboys (equipe anterior de Morton), 27-10

Em 1981, o dono dos Broncos, Gerald Phipps, que comprou a equipe em maio de 1961 do dono original, Bob Howsam, vendeu o time ao financiador canadense Edgar Kaiser Jr, neto do industrial de construção naval, Henry J. Kaiser. Em 1984, a equipe foi comprada por Pat Bowlen, que ficou a frente da equipe até sua batalha contra o Alzheimer forçá-lo a ceder a equipe para Joe Ellis em 2014.

Os Broncos derrotaram os Raiders na AFC Championship 1977-78 para ganhar a primeira participação no Super Bowl.

Era John Elway: 1983-1998[editar | editar código-fonte]

Dan Reeves tornou-se o treinador principal mais jovem da NFL quando se juntou aos Broncos em 1981 como vice-presidente e treinador. O Quarterback John Elway, que jogou futebol universitário em Stanford, chegou em 1983 através de uma troca. Originalmente selecionado pelos Baltimore Colts como a primeira escolha do Draft, Elway falou que recusaria jogar o Futebol americano em favor do Basebol (ele foi recrutado pelos New York Yankees), a menos que ele fosse negociado para outras equipes, que incluiu os Broncos. Antes de Elway, os Broncos tinham mais de 24 quarterbacks iniciais diferentes em suas 23 temporadas passadas.

Reeves e Elway guiaram os Broncos para seis aparições na pós-temporada, cinco títulos divisórios da AFC West, três da AFC championships e três aparições no Super Bowl (Super Bowl XXI, XXII e XXIV) durante o período de 12 anos juntos. Os Broncos perderam o Super Bowl XXI para os New York Giants por 39 a 20; o Super Bowl XXII para o Washington Redskins por 42 a 10 e o Super Bowl XXIV para o San Francisco 49ers por 55 a 10; esta última pontuação continua sendo a diferença de pontuação mais desequilibrado na história do Super Bowl. O último ano da era de Reeves-Elway foi marcado por contusões, devido a Reeves assumir os deveres de jogar depois de expulsar o coordenador ofensivo favorito de Elway, Mike Shanahan, após a temporada de 1991, bem como Reeves draftando o quarterback Tommy Maddox da UCLA em vez de draftar um Wide receiver para ajudar a Elway. Reeves foi demitido após a temporada de 1992 e substituído por seu amigo Wade Phillips, que serviu como coordenador defensivo dos Broncos. Phillips foi demitido após uma temporada medíocre em 1994, na qual a gerência sentiu que ele perdeu o controle do time.

Em 1995, Mike Shanahan, que antes serviu sob Reeves como coordenador ofensivo dos Broncos, retornou como treinador principal. Shanahan recrutou o rookie Running Back Terrell Davis. Em 1996, os Broncos foram a principal equipe na AFC com um recorde de 13-3, dominando a maioria das equipes nesse ano. Jacksonville Jaguars, no entanto, ganharam dos Broncos 30-27 na rodada de divisão dos playoffs, terminando a campanha dos Broncos em 1996.

1997-1998: bicampeão do Super Bowl[editar | editar código-fonte]

Durante a temporada de 1997, Elway e Davis ajudaram a levar os Broncos a sua primeira vitória no Super Bowl, uma vitória de 31 a 24 sobre o atual campeão Green Bay Packers no Super Bowl XXXII. Embora Elway tenha completado apenas 13 de 22 passes, foi interceptado uma vez e sem touchdowns lançados (ele anotou, no entanto, um touchdown terrestre), Davis correu para 157 jardas e anota três touchdowns para ganhar o Super Bowl MVP. isso ao mesmo tempo que superava uma dor de cabeça grave. Os Broncos repetiram como campeões do Super Bowl na temporada seguinte, derrotando os Atlanta Falcons (liderados pelo treinador de longa data de Elway, Dan Reeves) no Super Bowl XXXIII, 34-19. Elway foi nomeado Super Bowl MVP, completando 18 de 29 passes para 336 jardas, com um touchdown de 80 jardas para o Wide receiver, Rod Smith e uma intercepção.

Era pós-Elway: 1999-2011[editar | editar código-fonte]

John Elway se aposentou após a temporada de 1998, e Brian Griese começou como quarterback titular nas quatro temporadas seguintes. Depois de um recorde de 6-10 em 1999, os Broncos se recuperaram em 2000, vencendo o wild card, mas perdendo para o eventual campeão do Super Bowl, Baltimore Ravens. Depois de perder os playoffs nas duas temporadas seguintes, o quarterback do ex-Arizona Cardinals, Jake Plummer, substituiu o Griese em 2003, e levou os Broncos a duas temporadas consecutivas de 10 a 6, ganhando vaga nos playoff de wild card.

Plummer liderou os Broncos para um recorde de 13-3 em 2005 e seu primeiro título de divisão AFC West desde 1998. os Broncos derrotaram o campeão do Super Bowl, New England Patriots, 27-13, interrompendo a campanha em que New England se tornaria a primeira equipe da NFL a vencer três Super Bowl consecutivos. A corrida dos playoffs dos Broncos chegou ao fim na semana seguinte, depois de perder em casa para o Pittsburgh Steelers na AFC Championship, 34-17. Os Steelers ganharam o Super Bowl XL.

A defesa dos Broncos começou os primeiros cinco jogos da temporada de 2006, permitindo apenas um touchdown, um recorde da NFL. Plummer levou o time a um recorde de 7-2, apenas para ser substituído pelo rookie quarterback Jay Cutler. Cutler foi 2-3 como novato, e os Broncos terminaram com um recorde de 9-7. A primeira temporada completa do Cutler como titular em 2007 tornou-se a primeira temporada perdedora dos Broncos desde 1999, com um recorde de 7-9.

A temporada de 2008 terminou em uma perda de 52-21 para o San Diego Chargers, dando aos Broncos um recorde de 8-8 e sua terceira temporada consecutiva fora dos playoffs. Mike Shanahan, o treinador principal mais longo e mais bem-sucedido da história da franquia, foi demitido após 14 temporadas.

Em 11 de janeiro de 2009, duas semanas depois que Shanahan foi demitido, os Broncos contrataram o coordenador ofensivo dos New England Patriots, Josh McDaniels, como o novo treinador da equipe. Três meses depois, o time contratou o quarterback Kyle Orton como parte de uma troca que enviou Jay Cutler aos Chicago Bears.

Sob McDaniels e Orton, os Broncos pularam para um surpreendente resultado de 6-0 em 2009. No entanto, a equipe perdeu oito de seus próximos dez jogos, terminando 8-8 pela segunda temporada consecutiva e perdendo os playoffs. Na próxima temporada (2010), os Broncos estabeleceram um novo recorde de franquia para perdas em uma única temporada, com um registro de 4-12. McDaniels foi demitido antes do final da temporada de 2010, o treinador de Running Back, Eric Studesville, foi nomeado treinador interino para os quatro jogos finais da temporada de 2010. E colocou como titular o calouro Tim Tebow nos três últimos jogos.

Tim Tebow jogando pelos Broncos.
Jay Cutler em 2007.

Após a temporada de 2010, John Elway retornou franquia como vice-presidente executivo de operações de futebol da equipe. Além disso, os Broncos contrataram John Fox como o 14º treinador da equipe. Fox anteriormente atuou como treinador do Carolina Panthers de 2002-10.

Após um início de 1-4 na temporada de 2011, Tim Tebow substituiu Kyle Orton como o quarterback inicial dos Broncos e liderou os Broncos para um recorde de 8-8 e o primeiro título de divisão da equipe desde 2005. Os Broncos derrotaram o Pittsburgh Steelers no wild card em um lançamentos para touchdown memorável de 80 jardas de Tebow para o receiver Demoryius Thomas na primeira jogada do tempo extra. No entanto, os Broncos foram derrotados pelos New England Patriots na rodada divisional.

Era Peyton Manning: 2012-2015[editar | editar código-fonte]

Em março de 2012, os Broncos chegaram a um acordo em um contrato de cinco anos e US $ 96 milhões com o quarterback Peyton Manning, de Indianapolis Colts, que recentemente perdeu toda a temporada de 2011 após múltiplas cirurgias no pescoço, Isso resultou no Broncos, em seguida, negociar quarterback titular Tim Tebow para New York Jets. Os Broncos terminaram com um recorde de 13-3 e a equipe número 1 da AFC nos playoffs de 2012, mas foram derrotados pelos Baltimore Ravens na rodada de divisão ("divisional round").

Como o ano de 2012, os Broncos terminaram com um recorde de 13-3 Nos playoffs de 2013, os Broncos derrotaram os San Diego Chargers no rodada de divisão e os New England Patriots na AFC . No entanto, os Broncos foram profundamente derrotados pelos Seattle Seahawks no Super Bowl XLVIII por uma pontuação de 43-8.

Antes do início da temporada de 2014, os Broncos anunciaram que Pat Bowlen, o dono da equipe desde 1984, renunciou ao controle da equipe devido à sua batalha contra o Alzheimer, Joe Ellis assumiu como presidente e John Elway como General manager, assumindo o controle da equipe. Os Broncos terminaram a temporada de 2014 com um recorde de 12-4. No entanto, os Broncos foram derrotados pelos Indianapolis Colts no rodada de divisão dos playoffs de 2014, marcando a terceira vez em quatro temporadas que os Broncos perderam no rodada de divisão.

Campeão do Super Bowl e fim da era Peyton Manning[editar | editar código-fonte]

Em 2015 Fox deixou os Broncos com uma boa porcentagem em suas quatro temporadas como o treinador principal dos Broncos, o mais alto na história da franquia. Uma semana depois, os Broncos contrataram Gary Kubiak como o 15º treinador da equipe. os Broncos sofreram inúmeras mudanças em sua equipe de treinadores, incluindo a contratação do coordenador defensivo Wade Phillips, sob a qual a defesa dos Broncos classificou como número 1 na NFL durante a temporada de 2015. Os Broncos terminaram com um recorde de 12-4, apesar de Peyton Manning ter sua pior temporada estatística desde o seu ano de recrutamento com os Indianapolis Colts em 1998 e o quarterback de reserva Brock Osweiler substituindo Manning durante a segunda metade da temporada regular devido Manning sofrer uma lesão no pé. Nos playoffs, os Broncos derrotaram os Pittsburgh Steelers 23-16 na rodada de divisão, os New England Patriots 20-18 na AFC Championship e derrotaram os Carolina Panthers 24-10 no Super Bowl 50. o terceiro título do Super Bowl dos Broncos.

Peyton Manning atuando pelos Broncos.

2016-presente[editar | editar código-fonte]

Em 7 de março de 2016, o quarterback Peyton Manning se aposentou após 18 temporadas da NFL durante uma conferência de imprensa na sede do Dove Valley do time. Após a aposentadoria de Manning, os Broncos sofreram mudanças no posto de quarterback, incluindo a saída Brock Osweiler (que agora está de volta com equipe após períodos com Texans e Browns) no drafta de 2016, Paxton Lynch foi escolhido. Trevor Siemian foi nomeado quarterback títular antes do início da temporada. Os Broncos terminaram a temporada 9-7 e perderam os playoffs pela primeira vez desde 2010. Em 2 de janeiro de 2017, o treinador Gary Kubiak anunciou sua aposentadoria, citando a saúde como a principal razão para se aposentar. Os Broncos contratariam mais tarde Vance Joseph para ser seu novo treinador em 11 de janeiro de 2017

Super Bowls[editar | editar código-fonte]

Ano Treinador Super Bowl Local Adversário Pontuação Recorde
1997 Mike Shanahan XXXII San Diego, Califórnia Green Bay Packers 31-24 12-4
1998 Mike Shanahan XXXII Miami, Flórida Atlanta Falcons 34-19 14-2
2015 Gary Kubiak 50 Santa Clara, CA Carolina Panthers 24-10 12-4

Anel da Fama (Ring Of Fame)[editar | editar código-fonte]

O Broncos tem um Anel da Fama localizado na fachada do nível 5 do Sports Authority Field at Mile High, cujas honras são dos seguintes:

  • 23 Goose Gonsoulin, S, 1960-66, inducted 1984
  • 44 Floyd Little, RB, 1967-75, inducted 1984
  • 87 Lionel Taylor, WR, 1960-66, inducted 1984
  • 87 Rich Jackson, DE, 1967-72, inducted 1984
  • Gerald Phipps, proprietário, 1961-81, inducted 1985
  • 12 Charley Johnson, QB, 1972-75, inducted 1986
  • 18 Frank Tripucka, QB, 1960-63, inducted 1986
  • 70 Paul Smith, DE, 1968-78, inducted 1986
  • 36 Billy Thompson, S, 1969-81, inducted 1987
  • 7 Craig Morton, QB, 1977-82, inducted 1988
  • 15 Jim Turner, K, 1971-79, inducted 1988
  • 25 Haven Moses, WR, 1972-81, inducted 1988
  • 53 Randy Gradishar, LB, 1974-83, inducted 1989
  • 57 Tom Jackson, LB, 1973-86, inducted 1992
  • 20 Louis Wright, S, 1975-86, inducted 1993
  • 7 John Elway, QB, 1983-98, inducted 1999
  • 49 Dennis Smith, S, 1981-94, inducted 2001
  • 77 Karl Mecklenburg, LB, 1983-95, inducted 2001
  • 65 Gary Zimmerman, OT, 1993-97, inducted 2003
  • 27 Steve Atwater, S, 1989-98, inducted 2005
  • 30 Terrell Davis, RB, 1995-2001, inducted 2007

Números Aposentados[editar | editar código-fonte]

  • John Elway – #7
  • Frank Tripucka – #18
  • Floyd Little – #44

Pro Football Hall of Famers[editar | editar código-fonte]

  • 7, John Elway, QB, (1983-98) Class of 2004
  • 24, Willie Brown, CB, (1963-66) Class of 1984 (as an Oakland Raider)
  • 33, Tony Dorsett, RB, (1988) Class of 1994 (as a Dallas Cowboy)
  • 65, Gary Zimmerman, OT, (1993-1997) Class of 2008

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Wiki letter w.svg Este artigo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o. Editor: considere marcar com um esboço mais específico.