Associação Atlética Iguaçu

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Emblem-scales.svg
A neutralidade deste(a) artigo ou se(c)ção foi questionada, conforme razões apontadas na página de discussão.
Justifique o uso dessa marca na página de discussão e tente torná-lo mais imparcial.
Disambig grey.svg Nota: Se procura o clube que disputa o Campeonato Paranaense de Futebol - Série Prata, veja Agex/Iguaçu.
Iguaçu
Iguaçu
Nome Associação Atlética Iguaçu
Alcunhas Pantera do Vale
Mascote Pantera
Fundação 15 de agosto de 1971 (44 anos)
Estádio Antiocho Pereira
Capacidade 12,000 lugares
Localização União da Vitória, Paraná PR,Brasil Brasil
Presidente Brasil Gabardo Taques Emanuel (2015-2017)
Competição Paraná Campeonato Paranaense
Website aaiguacu.net.br
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
titular
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
alternativo
editar

A Associação Atlética Iguaçu é uma agremiação esportiva de União da Vitória, no sul do estado do Paraná, filiada a Federação Paranaense de Futebol e a Confederação Brasileira de Futebol[1] .

História[editar | editar código-fonte]

Fundado em 15 de agosto de 1971 por Ricardo Gianordolli, coronel que à época comandava o então 5º Batalhão de Engenharia de Combate (hoje Blindado)[2] em Porto União[3] (cidade vizinha a União da Vitória), tem as cores azul, amarela e branca.

Após um recesso nas suas atividades a partir do final de 1997, a equipe retornou ao futebol profissional em 2006,[3] disputando a Divisão de Acesso, onde sagrou-se campeã dentro de campo. Porém, problemas envolvendo documentação de um jogador fizeram o clube perder pontos e, consequentemente, sua vaga na elite do futebol paranaense. Com vários problemas envolvendo clubes da primeira divisão que tiveram cassados seus direitos de disputar o campeonato do ano seguinte, o Iguaçu foi convidado a disputar a competição, e terminou na 13ª colocação.

Após uma péssima campanha na 1ª Copa Paraná, a equipe se desligou da fracassada parceria com a empresa Europa Sport (atualmente sub judice), realizando para o Campeonato de 2009, uma parceria com o Paraná Clube (também participante do mesmo campeonato), ao qual este, em troca da cota de televisionamento que o clube teria direito, forneceria um plantel completo de jogadores e comissão técnica, sem ônus para o Iguaçu. Esta parceria até hoje é odiada e criticada pelos torcedores, pois se demonstrou na prática um desastre, pois o Paraná mandou jogadores de baixíssimo nível técnico, o que ocasionou o rebaixamento do clube, na 15ª e última colocação, com apenas 14 pontos em 42 disputados. Um exemplo clássico de que a parceria com o Paraná foi nefasta para o clube, basta ver que na última rodada da 1ª Fase, no dia 25 de março de 2009, ambas as equipes jogariam entre si em Curitiba; o Paraná lutando para se classificar no G-8 (2ª Fase), com 17 pontos, e sem risco de rebaixamento, e o Iguaçu lutando contra o rebaixamento; o placar foi de 4x1 para o Paraná (se o Iguaçu vencesse, estaria livre do rebaixamento), demonstrando que tal parceria foi apenas em benefício do clube da Capital, e revelando a falta de experiência da então nova diretoria do Iguaçu.

A A. A. Iguaçu teve a sua média de público em 2009, no Campeonato Paranaense, de 8 mil pessoas (foi a terceira maior média do Estado, perdendo apenas para o Atlético-PR, e Coritiba, tradicionais clubes da Capital), e a maior do interior.

Novamente sob o comando de Odenir Borges, em 2010, o Iguaçu iria participar da 2ª Divisão (Série Prata), mas, por pendências financeiras perante a FPF e brigas com o presidente da FPF, não participou do arbitral, sendo automaticamente rebaixado para a 3ª Divisão (Série Bronze). O clube tentou na Justiça Desportiva a manutenção naquela divisão, sem sucesso. Como as pendências finaceiras e a briga com a FPF permaneciam, não pode participar da 3ª Divisão de 2010.

Nesse período um outro time jogou representando a cidade, o Iguaçu Agex Futebol Clube, conhecido como Iguaçu Agex. A princípio iria se chamar apenas Agex mas, a pedido da prefeitura, incluíram o nome do rio "Iguaçu" antes do nome para ganhar mais simpatia dos moradores da cidade. Com isso criou-se uma confusão entre o tradicional Iguaçu e o novo clube. A realidade é que a FPF indicou a utilização do estádio municipal de União da Vitória pois o Iguaçu estava suspenso e não participaria do campeonato. O Agex começou na 3ª Divisão em 2010 mandando seus jogos em União da Vitória, sagrando-se vice-campeão, subindo para a Série Prata em 2011. Rumores diziam que este clube mandaria seus jogos em 2011, em São José dos Pinhais, o que não ocorreu. Em 2012, o Iguaçu Agex pagou caro por não ter mudado de cidade, pois a juíza de União da Vitória equivocadamente (sem documentos comprobatórios), permitiu que as dívidas trabalhistas da A. A. Iguaçu fossem repassadas ao novo clube, ou seja, aceitou o pedido dos credores para colocar o Iguaçu Agex no polo passivo das dívidas da A. A. Iguaçu. O novo clube, embora conseguindo um ótimo resultado no campeonato em seu primeiro ano, não consegui patrocínio algum na cidade. Tendo ainda que arcar com essas despesas extras, não teve como se manter e foi obrigado a encerrar as atividades na cidade, cedendo a vaga no campeonato que foi ocupada pela equipe do Andraus.

O Iguaçu que foi fundado em 1971 e que participou do Campeonato Paranaense de Futebol de 2009 na 1ª Divisão ficou desativado logo após o seu término, até abril de 2013, quando um grupo de abnegados, encabeçado pelo jovem farmacêutico Fabiano Alencar Schmitt Pohl, resolveram assumir o clube, decorrente de que estava sem administração; para isto, tiveram que ingressar com uma ação no Juízo Cível da Comarca de União da Vitória, para que o Poder Judiciário nomeasse um administrador provisório, na forma do artigo 49 do Código Civil de 2002[4] . Foi a única medida possível, decorrente do clube não possuir sócios (nem mesmo fundadores, face o longo tempo da sua fundação). A ata mais recente envolvendo o clube, encontrada no Cartório de Registro de Títulos e Documentos de União da Vitória, data de 23 de junho de 2009, quando a antiga diretoria renunciou (a da famigerada parceria com o Paraná Clube), e empossou os substitutos, de forma ilegal, diga-se de passagem, decorrente desta atribuição ser privativa da Assembléia Geral.

No dia 17 de Maio de 2013, o clube confirmou interesse em participar do Campeonato Paranaense Sub-18, cujo arbitral realizar-se-á no dia 22 do mesmo mês[5] , já com vistas de participar do Campeonato Paranaense - Série Bronze [6] .

Em audiência no dia 22 de Maio de 2013, na sede da FPF, em Curitiba com o presidente da Entidade, Hélio Pereira Cury, os gestores do clube ficaram sabendo que, desde o dia 30 de Abril, corre um processo administrativo disciplinar contra o Iguaçu, face a suposta infringência ao art. 39, IV do Estatuto da FPF, decorrente de que, desde o ano de 2010, não participou mais de campeonatos, e nem obteve licença especial para se ausentar, cuja penalidade máxima pode ser a desfiliação da FPF. Neste mesmo dia, o administrador provisório da A. A. Iguaçu, foi citado para apresentar a defesa em 5 dias. Nesta mesma audiência, os gestores também ficaram sabendo das pendências do clube com a federação, bem como dos desmandos das administrações anteriores do clube com aquela.

No dia 7 de Janeiro de 2015, em entrevista ao programa radiofônico RC Esportiva, transmitido pela Rádio Colméia de Porto União-SC, o então vice-presidente da A. A. Iguaçu, Gabardo Taques Emanuel, afirmou que o clube retornará aos gramados neste ano, participando no mês de Maio do Campeonato Paranaense categoria Sub-19, e no mês de Agosto, do Campeonato Parananense da 3ª Divisão de Profissionais.

Estádio[editar | editar código-fonte]

O clube manda seus jogos no Estádio Municipal Antiocho Pereira, ampliado em 1987, aonde era o antigo Estádio do União Esporte Clube (clube amador), com capacidade para 12.000 pessoas, que substituiu o antigo Estádio Enéas Muniz de Queiroz, da Rede Ferroviária Federal, ainda existente,[3] .

Recorde de público: Iguaçu X Atlético-PR, em 2008, que foi de 16.000 pessoas.

Títulos[editar | editar código-fonte]

Estaduais[editar | editar código-fonte]

Torcidas Organizadas[editar | editar código-fonte]

T.O.I Torcida Organizada Iguaçuana

Torcida Organizada Fúria Iguaçuana

Rankings[editar | editar código-fonte]

Ranking criado pela Federação Paranaense de Futebol que pontua todos os times do Paraná.

Notas

  1. http://imagens.cbf.com.br/201303/document-20130319-234423.pdf, pág. 44. Acesso em 25.5.13.
  2. http://www.exercito.gov.br/web/guest/473
  3. a b c Assessoria. «Passando a perna no vovô». oiguassu.com.br. 
  4. Art. 49. Se a administração da pessoa jurídica vier a faltar, o juiz, a requerimento de qualquer interessado, nomear-lhe-á administrador provisório.
  5. http://www.federacaopr.com.br/noticias_novo.php?id=6846
  6. http://www.a2.jor.br/#!170513-soc-storck-online/c21me
  7. «RANKING (1ª Divisão) do Campeonato Paranaense». campeoesdofutebol.com.br. 5 de agosto de 2008. Consultado em 29 de junho de 2013. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Bandeira de BrasilSoccer icon Este artigo sobre clubes brasileiros de futebol é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.