Barra de São Francisco

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para outros termos de São Francisco, veja São Francisco.
Disambig grey.svg Nota: Para o distrito, veja Barra do São Francisco.
Município de Barra de São Francisco
"Terra do granito"
Bandeira de Barra de São Francisco
Brasão de Barra de São Francisco
Bandeira Brasão
Hino
Aniversário 4 de outubro
Fundação 31 de outubro de 1943 (75 anos)
Gentílico francisquense
Lema A sentinela capixaba
Prefeito(a) Alencar Marim (PT)
(2017 – 2020)
Localização
Localização de Barra de São Francisco
Localização de Barra de São Francisco no Espírito Santo
Barra de São Francisco está localizado em: Brasil
Barra de São Francisco
Localização de Barra de São Francisco no Brasil
18° 45' 18" S 40° 53' 27" O18° 45' 18" S 40° 53' 27" O
Unidade federativa Espírito Santo
Mesorregião Noroeste Espírito-santense IBGE/2008 [1]
Microrregião Barra de São Francisco IBGE/2008 [1]
Municípios limítrofes Vila Pavão, Mantena-MG, Ecoporanga, Águia Branca,Mantenópolis, Nova Venécia, Água Doce do Norte
Distância até a capital 264 km
Características geográficas
Área 933,747 km² [2]
População 44 244 hab. Censo IBGE/2014[3]
Densidade 47,38 hab./km²
Clima temperado
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,683 médio PNUD/2010[4]
PIB R$ 343 175,786 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 8 309,14 IBGE/2008[5]

Barra de São Francisco é um município brasileiro do estado do Espírito Santo. Sua população, segundo contagem feita pelo IBGE, em 2010, era de cerca de 40.610 habitantes[6]. O último censo não mostrou os mesmos números e acredita-se que sua população seja estimada em torno dos 45 mil habitantes.

As principais fontes de renda do município são a extração de granito, a agricultura e o comércio. Comércio diversificado, tem atraído bons profissionais da área da medicina e empresários em geral, notadamente os ligados à área de mineração.

História[editar | editar código-fonte]

O desbravamento da região começou em 1927, lavradores vindos de Minas Gerais, Colatina e  São Mateus em busca de terras devolutas e férteis.

Estabelecem-se na confluência dos rios Itaúnas e São Francisco, O primeiro povoado de São Mateus em 1932 fundando Patrimônio de São Sebastião.

As primeiras casas eram de estuque, cobertas de palha de palmito e tábuas de madeira.

Em 1928 a agricultura cafeeira se expandiu com o aumento dos lavradores à procura de terras.

No ano seguinte, com a construção da ponte sobre o Rio Doce, o plantio de café foi ampliado.

A região teve um grande conflito chamado o "Contestado" que começou depois que o fiscal do município mineiro de Itambacuri, Antônio Matos, publicou edital em 1937 declarando que a então região capixaba de Mantena pertencia ao Estado de Minas Gerais.

Os mineiros invadiram a área e o Governo do Espírito Santo enviou soldados para algumas regiões de Barra de São Francisco.

No ano seguinte o Governo capixaba escreveu ao presidente Getúlio Vargas reclamando da violência com que os policiais mineiros tratavam o povo da região.

Em 31 de março de 1938, torna-se sede de distrito, pela Lei nº 9. 222, com denominação de Barra de São Francisco.

Durante o ano de 1940 o Serviço Geográfico do Exército realizou levantamentos na região e o laudo foi entregue ao Governo Federal.

Em 31 de outubro de 1943, pela Lei 15.177 é criado o município de Barra de São Francisco, desmembrado de São Mateus. A instalação do município ocorreu em 1 de março de 1944.

Os Estados de Minas e Espírito Santo disputaram a região por mais de 25 anos.

Em 16/09/1963 os limites territoriais entre Minas e Espírito Santo foram definidos.

Atualmente Mantena faz parte do Estado de Minas Gerais.

Barra de São Francisco também é conhecida como “Sentinela Capixaba”, dizeres impressos em seu Brasão, que representam valentia e bravura dos agricultores e policiais mortos em defesa do território capixaba.

Data da Emancipação Política de Barra de São Francisco: 31/12/1943, através do Decreto Lei Estadual nº 15.177.

Significado do nome de Barra de São Francisco originou-se do fato de a cidade estar localizado na confluência dos rios São Francisco e Itaúnas.

04 de outubro: Aniversário da Cidade e Dia do Padroeiro da cidade.

O Contestado[editar | editar código-fonte]

O conflito durou mais de meio século, ainda hoje é lembrado por moradores da região de Mantena - MG e Barra de São Francisco - ES, se tornou mais intenso nos anos de 1942 e 1948.

Após o fiscal do município de Itambacuri - MG, Antônio Matos, publicar um edital, no ano de 1937, declarando que a então região capixaba de Mantena pertencia ao Estado de Minas Gerais, iniciou-se um grande conflito chamado o “Contestado” que começou após os mineiros invadirem a área citada por Antonio Matos.

Diante da invasão,  Governo do Espírito Santo enviou soldados para algumas regiões de Barra de São Francisco para guardar suas divisas. No ano seguinte o Governo capixaba escreveu ao presidente Getúlio Vargas reclamando da violência com que os policiais mineiros tratavam o povo da região.

O motivo da disputa era uma área rica em plantações de café de cerca de 10 mil quilômetros quadrados, que era localizada na divisa dos dois estados.

A briga pelos limites teve seu epicentro em Mantena, na Região do Vale do Rio Doce, a 450 quilômetros da capital mineira e a 10 km de Barra de São Francisco, no Noroeste do Espírito Santo, a 264 km da capital Capixaba, local em que as tropas militares ficaram de prontidão. Tendo se estranhado, mas não chegaram ao combate.

O certo mesmo é que a briga foi parar no Supremo Tribunal Federal (STF) e, em 1914, resultou num “laudo arbitral”, confirmando a Serra dos Aimorés como divisor oficial. A partir de então, o clima não parou de esquentar e pôs em ebulição o medo, a insegurança e as ameaças.

Mesmo sem confronto direto entre as tropas, a questão dos limites deixou um saldo grande de vítimas civis e militares, o número total ainda é incerto. O fim da Guerra do Contestado se deu em em 15 de setembro de 1963, após décadas de litígio, os governadores Magalhães Pinto e Lacerda de Aguiar, assinaram um acordo de paz.

De lá para cá houve muitas mudanças, o asfalto chegou, veio a energia elétrica, a água encanada. Atualmente Mantena, que fica a 10 km de Barra de São Francisco/ES, faz parte do Estado de Minas Gerais.

O episódio deixou marcas profundas em moradores e militares, que nunca se esqueceram dos anos de tensão e confusões daquela época.

Hoje atualmente na região de divisa dos dois estados existe um obelisco de granito na qual tem uma placa de bronze, na qual está escrito: “Este monumento demarca a linha de união entre os estados de Minas Gerais e Espírito Santo, inspirado nos sentimentos de brasilidade dos mineiros e espírito-santenses, interpretados pelos governadores José de Magalhães Pinto e Francisco Lacerda de Aguiar”

História do Hino municipal[editar | editar código-fonte]

O hino à Barra de São Francisco, intitulado “Marcha Triunfal”, foi instituído conforme a Lei n° 12/78, pelo Prefeito Antônio Valli. A letra do hino foi escrita em 1955, pelo escritor Manoel Lobato e a música foi composta pelo tenente da Polícia Militar, Edson da Silveira Guedes, que durante muito tempo foi maestro da saudosa (Banda de Música Lira São Francisco).

Muitos dos escaninhos da banda se perderam no tempo e o município, não possuía sob sua guarda, a pauta original do hino, o que dificultou a recuperação de tão importante obra cultural, tocado pela última vez em 1960.

Em 2001 uma partitura foi encontrada pelo fundador e (ex-integrante) da banda, professor Adão Simões da Silva, e juntamente com sua filha Irene Simões Fonseca de Vargas e o maestro João Moreira de Souza, recuperaram o hino para exibição na aula inaugural do (Centro Regional de Educação Aberta e a Distância de Barra de São Francisco – CREAD no dia 22/10/2001).

Em 29 de novembro de 2002, com a realização do Seminário Temático de Antropologia  Um Olhar Cultural, sobre o Município de Barra de São Francisco, as alunas do curso de Licenciatura em Pedagogia – séries Iniciais do Ensino Fundamental na Modalidade EAD- aceitaram o desafio de gravar um CD com o Hino, proposto pelas coordenadoras do seminário temático.

Com a ajuda de vários comerciantes, da Câmara Municipal, professores e pessoas da sociedade francisquense, os recursos foram angariados. A pianista Susie Fhane Machado Mota, ofereceu seus conhecimentos musicais e juntamente com o maestro João, ensaiaram a cantora Vânia Ferreira Badaró, que gentilmente aceitou participar deste valioso acervo para o município.

Hino[editar | editar código-fonte]

Ao Brasil entoemos nosso canto

Nesse dia de festa e de alegria

Que todos saibam, no Espírito Santo:

Barra de São Francisco tem seu dia

Salve Barra de São Francisco!

A Sentinela Capixaba!

O valor moral dessa gente,

É riqueza que não se acaba!

A cidade progride sem parar!

Vai cumprindo feliz o seu destino...

Assim seguimos, com ritmo a cantar:

Barra de São Francisco tem seu hino.

Salve Barra de São Francisco!

A Sentinela Capixaba!

O valor moral dessa gente,

É riqueza que não se acaba!

Que cantemos alegres mais ainda,

Todos nós, seja velho, ou seja, novo...

Que todos cantem a música linda:

Barra de São Francisco tem seu povo.

Salve Barra de São Francisco!

A Sentinela Capixaba! O valor moral dessa gente,

É riqueza que não se acaba!

Letra: Manoel Lobato

Música: Edson da Silveira Guedes

Referências

  1. a b «Divisão Territorial do Brasil». Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2008. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  2. IBGE (10 out. 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 de dezembro de 2010 
  3. «Censo Populacional 2010». Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 29 de novembro de 2010. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
  4. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2010. Consultado em 31 de agosto de 2013 
  5. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
  6. IBGE - [1]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado do Espírito Santo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.