Campeonato Mundial de Voleibol Feminino Sub-23

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Campeonato Mundial de Voleibol Feminino Sub-23
Voleibol Volleyball (indoor) pictogram.svg
Sede variável
Organizador FIVB
Edições
Primeira edição Tijuana e Mexicali 2013
Edição atual Ljubljana e Maribor 2017
Campeões
Primeiro campeão Bandeira da China China
Atual campeão Bandeira da Turquia Turquia (1º título)
Maior campeão Bandeira do Brasil Brasil
Bandeira da China China
Bandeira da Turquia Turquia (1 título)
Página oficial da competição

Campeonato Mundial de Voleibol Feminino Sub-23 é um torneio de voleibol organizado a cada dois anos pela FIVB, destinado para jogadoras abaixo dos 23 anos. Sua primeira edição foi realizada em Tijuana e Mexicali, no México, em 2013.[1] A Turquia é a atual campeã da competição.[2]

História[editar | editar código-fonte]

O Campeonato Mundial Sub-23 foi inaugurado em 2013, no México, com o intuito de preencher uma lacuna existente entre a categoria juvenil e a categoria adulta, e reuniu doze seleções em busca do título. Para a primeira edição, apenas a CSV e a NORCECA classificaram suas equipes a partir de um torneio continental: a Copa Pan-Americana Sub-23, classificando Brasil e Argentina, na América do Sul, e República Dominicana e Cuba, pela seguinte confederação. A CEV utilizou a soma de pontos do ranking mundial das categorias juvenil e infantojuvenil para definir a Itália e a Turquia como seus representantes, enquanto a AVC e a CAVB escolheram seus representantes através do ranking mundial da categoria adulta, China e Japão, e Quênia, respectivamente. Além dos representantes de cada confederação, ainda participaram as anfitriãs do México, os Estados Unidos (como melhor colocado no ranking mundial da categoria adulta à época) e a Alemanha, convidada pela FIVB após a Argélia desistir de participar.[3] Os países foram divididos em dois grupos, com os dois primeiros colocados avançando à fase semifinal. A competição teve como sua primeira campeã a China ao bater a República Dominicana pelo placar mínimo, enquanto na disputa pelo bronze, o Japão derrotou os Estados Unidos.[4] Já o Brasil, terminou a competição na sétima colocação.[4]

A segunda edição foi realizada na Turquia, na cidade de Âncara, entre os dias 12 e 19 de agosto de 2015, reunindo mais uma vez doze seleções em busca do título. Além das anfitriãs turcas, classificaram-se: Brasil e Colômbia pela CSV, República Dominicana e Cuba pela NORCECA, Itália e Bulgária pela CEV, China e Tailândia pela AVC e Egito pela CAVB. Além dos classificados pelas etapas continentais, somaram-se Japão e Peru, escolhidos a partir do ranking mundial. O Japão e a República Dominicana mais uma vez mostram-se competitivos na categoria, chegando novamente à fase semifinal. No entanto, tiveram de disputar a medalha de bronze entre si, com vitória dominicana no tie break.[5] Em busca do título inédito, tradicional equipe no voleibol mundial, o Brasil mediu forças contra a emergente Turquia, derrotando a rival em quatro sets.[5][6][7] Campeã da primeira edição, a China contentou-se com o quinto lugar obtido sobre a Itália, enquanto a Bulgária garantiu o sétimo lugar sobre a similar Tailândia.[5] Peru e Colômbia dividiram o nono lugar, enquanto Egito e Cuba terminaram nas últimas colocações.[5]

Em sua terceira edição, o país que sediou as partidas foi a Eslovênia, que pela primeira vez estava também participando do evento. Disputado entre os dias 10 e 17 de setembro de 2017, novamente doze seleções se fizeram presentes na busca pelo título. Esta competição serviu para serem testadas novas regras da FIVB para o desporto, nas quais as partidas tiveram sete sets de quinze pontos cada, vencendo quem conquistou quatro destes sets.[8] Além das anfitriãs eslovenas, também se qualificaram Brasil e Argentina pela CSV, República Dominicana e Cuba pela NORCECA, Turquia e Bulgária (esta segunda herdou a vaga da Itália) pela CEV, Japão e Tailândia pela AVC, e Egito e Quênia pela CAVB. Além destes classificados continentais, a China adentrou na competição pelo ranking mundial. A equipe do Brasil entrou em quadra para manter o título conquistado em 2015, mas duas derrotas na primeira fase acabaram colocando o selecionado na disputa do 5º ao 8º lugar, sendo que na decisão do quinto posto as brasileiras devolveram a derrota sofrida anteriormente ante as cubanas e asseguraram tal colocação.[2] As anfitriãs eslovenas sobressaíram-se no torneio com uma campanha invicta até a sua decisão, quando acabaram sendo derrotadas pela seleção da Turquia, que perdeu apenas uma partida durante o campeonato.[9] Na disputa pelo bronze, as búlgaras venceram o selecionado da República Dominicana e asseguraram presença no pódio da competição pela primeira vez.[10] As chinesas, que entraram pelo ranqueamento, ficaram com a sétima posição após terem derrotado as tailandesas. Japão e Egito dividiram a nona colocação deste torneio, enquanto que as seleções da Argentina e do Quênia ficaram no décimo primeiro posto geral.

Resultados[editar | editar código-fonte]

CAMPEONATO MUNDIAL DE VOLEIBOL FEMININO SUB-23[11][12]
Ano Sede Ouro Prata Bronze 4º lugar
2013[4]
Detalhes
México
Tijuana e Mexicali
Bandeira da China
China
Bandeira da República Dominicana
República Dominicana
Bandeira do Japão
Japão
Bandeira dos Estados Unidos
Estados Unidos
2015[6]
Detalhes
Turquia
Âncara
Bandeira do Brasil
Brasil
Bandeira da Turquia
Turquia
Bandeira da República Dominicana
República Dominicana
Bandeira do Japão
Japão
2017[2]
Detalhes
Eslovénia
Ljubljana e Maribor[13]
Bandeira da Turquia
Turquia
Bandeira da Eslovênia
Eslovênia
Bandeira da Bulgária
Bulgária
Bandeira da República Dominicana
República Dominicana

Quadro de medalhas[editar | editar código-fonte]

 Ordem  País Medalha de ouro Medalha de prata Medalha de bronze Total
1 Bandeira da Turquia Turquia 1 1 0 2
2 Bandeira do Brasil Brasil 1 0 0 1
Bandeira da China China 1 0 0 1
4 Bandeira da República Dominicana República Dominicana 0 1 1 2
5 Bandeira da Eslovênia Eslovênia 0 1 0 1
6 Bandeira da Bulgária Bulgária 0 0 1 1
Bandeira do Japão Japão 0 0 1 1

Aparições[editar | editar código-fonte]

Time México
2013
(12)
Turquia
2015
(12)
Eslovénia
2017
(12)
Total
Bandeira da Alemanha Alemanha - - 1
Bandeira da Argentina Argentina 10º - 11º 2
Bandeira do Brasil Brasil 3
Bandeira da Bulgária Bulgária - 2
Bandeira da China China 3
Bandeira da Colômbia Colômbia - - 1
Bandeira de Cuba Cuba 11º 3
Bandeira do Egito Egito - 11º 2
Bandeira da Eslovênia Eslovênia - - 1
Bandeira dos Estados Unidos Estados Unidos - - 1
Bandeira da Itália Itália - 2
Bandeira do Japão Japão 3
Bandeira do México México 11º - - 1
Bandeira do Peru Peru - - 1
Bandeira do Quênia Quênia 12º - 11º 2
Bandeira da República Dominicana República Dominicana 3
Bandeira da Tailândia Tailândia - 2
Bandeira da Turquia Turquia 3

MVPs por edição[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Inaugural U23 Volleyball World Champs 50 days away». FIVB (em inglês). 15 de agosto de 2013. Consultado em 1 de fevereiro de 2018.. Cópia arquivada em 1 de fevereiro de 2018 
  2. a b c «Seleção de vôlei sub-23 termina Mundial na quinta posição». Gazeta Esportiva. 18 de setembro de 2017. Consultado em 1 de fevereiro de 2018.. Cópia arquivada em 1 de fevereiro de 2018 
  3. a b «China crown splendid year with another gold medal». FIVB (em inglês). 12 de outubro de 2013. Consultado em 1 de fevereiro de 2018.. Cópia arquivada em 1 de fevereiro de 2018 
  4. a b c Silva, André (13 de outubro de 2013). «Brasil termina em 7º e China é campeã do Mundial Sub'23 de Vôlei Feminino». clicRBS. Grupo RBS. Consultado em 30 de julho de 2016.. Cópia arquivada em 30 de julho de 2016 
  5. a b c d «Brazil claim gold at Women's U23 world champs, Turkey and Dominicans complete podium». FIVB (em inglês). 19 de agosto de 2015. Consultado em 20 de agosto de 2015.. Cópia arquivada em 20 de agosto de 2015 
  6. a b «Na casa das rivais, meninas do Brasil batem Turquia e levam Mundial sub-23». globoesporte.com. Grupo Globo. 19 de agosto de 2015. Consultado em 1 de fevereiro de 2018.. Cópia arquivada em 1 de fevereiro de 2018 
  7. «Seleção feminina bate Turquia e conquista Mundial sub-23 de vôlei». Lance!. Terra. 19 de agosto de 2015. Consultado em 1 de fevereiro de 2018.. Cópia arquivada em 1 de fevereiro de 2018 
  8. «Scoring system assessment continues in Ljubljana». FIVB (em inglês). 8 de setembro de 2017. Consultado em 1 de fevereiro de 2018.. Cópia arquivada em 1 de fevereiro de 2018 
  9. «Merciless Turkey scatter Slovenia for Women's U23 world gold». FIVB (em inglês). 17 de setembro de 2017. Consultado em 1 de fevereiro de 2018.. Cópia arquivada em 1 de fevereiro de 2018 
  10. «Bulgaria triumph over Dominicans for Women's U23 bronze». FIVB (em inglês). 17 de setembro de 2017. Consultado em 1 de fevereiro de 2018.. Cópia arquivada em 1 de fevereiro de 2018 
  11. «Honours». FIVB (em inglês). Consultado em 1 de fevereiro de 2018.. Cópia arquivada em 1 de fevereiro de 2018 
  12. «Final Standing». FIVB (em inglês). Consultado em 1 de fevereiro de 2018.. Cópia arquivada em 1 de fevereiro de 2018 
  13. «Four Age Group World Championships hosts confirmed». FIVB (em inglês). 2 de fevereiro de 2016. Consultado em 30 de julho de 2016.. Cópia arquivada em 30 de julho de 2016 
  14. «Silva Juma honoured with U23 World Championship MVP award». FIVB (em inglês). 19 de agosto de 2015. Consultado em 20 de agosto de 2015.. Cópia arquivada em 20 de agosto de 2015 
  15. «Turkey's Hande Baladin honoured with U23 World Championship MVP award». FIVB (em inglês). 17 de setembro de 2017. Consultado em 1 de fevereiro de 2018.. Cópia arquivada em 1 de fevereiro de 2018 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]