Campeonato Mundial de Voleibol Feminino

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Campeonato Mundial de Voleibol Feminino
Voleibol Volleyball (indoor) pictogram.svg
Organizador FIVB
Edições
Primeira edição 1952
Edição atual 2018
Campeões
Primeiro campeão Bandeira da União Soviética União Soviética
Atual campeão Bandeira da Sérvia Sérvia (1º título)
Maior campeão Bandeira da Rússia Rússia (7 títulos)

O Campeonato Mundial de Voleibol Feminino é uma competição de voleibol organizada pela Federação Internacional de Voleibol (FIVB) a cada quatro anos.

História[editar | editar código-fonte]

Origens[editar | editar código-fonte]

A história do Campeonato Mundial remonta aos primórdios da voleibol como um esporte profissional de alto nível. Uma das principais motivações para a criação da FIVB em 1947 foi a necessidade de fundar uma instituição capaz de organizar torneios que envolvessem times de diversos continentes. A primeira medida concreta neste sentido foi tomada já dois anos mais tarde, com o estabelecimento da primeira edição desta competição, ainda restrita à Europa e contando apenas com times masculinos. Em 1952, foram incluídos times asiáticos e uma versão feminina do torneio, que passou a ser disputado em ciclos de quatro anos. Na edição seguinte, já participavam igualmente equipes dos três continentes americanos.

Em 1964, o voleibol foi incorporado ao programa dos Jogos Olímpicos. Para evitar coincidência de datas, os ciclos do Campeonato Mundial foram atrasados em dois anos após a quarta edição (1960), passando a alternar-se com as Olimpíadas. A partir de 1970, times da África já disputavam o torneio, atingindo-se assim o objetivo original de ter representantes das cinco confederações continentais envolvidos nas disputas.

O número de participantes do torneio mudou diversas vezes ao longo dos anos. Acompanhando o crescimento de popularidade do voleibol em escala mundial, ele aumentou em passo constante até superar a marca das vinte equipes na década de 1970 e em parte da década de 1980, foi reduzido então para apenas dezesseis na década de 1990, sendo em seguida finalmente fixado em vinte e quatro, a partir de 2002. Dentre as competições organizadas pela FIVB, o Campeonato Mundial é hoje a mais abrangente, e uma das mais importantes, equiparando-se em prestigio ao Torneio Olímpico de Voleibol.

Até 1974, a nação sede organizava as duas modalidades do torneio, tanto a masculina quanto a feminina - com uma única exceção em 1966/1967, quando os eventos ocorreram em anos diferentes. A partir da década de 1980, esta prática caiu em desuso. Nos últimos anos, todavia, ela voltou a ser observada quando a competição foi realizada no Japão, o que ocorreu em 1998 e 2006.

Edições[editar | editar código-fonte]

Se os títulos do Campeonato Mundial feminino foram divididos de forma relativamente equilibrada entre Ásia, Europa e América, o mesmo não se pode dizer com relação às próprias equipes: exceto pelos títulos da Itália em 2002, dos Estados Unidos em 2014, e da Sérvia em 2018, os demais campeões do torneio até hoje foram Rússia (ex-União Soviética), Japão, China e Cuba.

As soviéticas começaram já com uma marca impressionante, vencendo as três primeiras edições da competição: 1952, 1956, 1960. Em vias de aumentar o recorde para quatro, visto que as finais de 1962 seriam disputadas em Moscou, elas foram surpreendidas pelo Japão, que fora vice campeão na edição anterior. As japonesas repetiriam o feito em 1967, quando a União Soviética não participou da disputa.

Os times se reencontraram nas finais de 1970, e desta vez prevaleceram as soviéticas. O Japão, entretanto, vingou-se na edição seguinte, batendo a União Soviética em sets diretos e obtendo seu terceiro título na competição. Como sinal precoce de um deslocamento de forças que só viria a ocorrer efetivamente dez anos mais tarde, o jovem time cubano deixou para trás os dois tradicionais adversários e obteve o primeiro título internacional de relevo jamais conquistado por uma equipe americana em um torneio de voleibol.

Na primeira metade da década de 1980, uma nova força despontou na Ásia: sob a liderança da atacante Lang Ping, a China deixou sua marca na história do voleibol vencendo duas edições consecutivas do Campeonato Mundial (1982 e 1986). Elas chegaram às finais também em 1990, mas foram superadas pela União Soviética em sua última participação do torneio.

O título de Cuba em 1978 finalmente deu frutos na década de 1990, quando o estilo agressivo de jogadoras tais como Regla Torres, Mireya Luis e Regla Bell virtualmente dominou o cenário do voleibol mundial. As caribenhas venceram as edições de 1994 e 1998 do Campeonato Mundial, batendo de novatos promissores como o Brasil a adversários mais tradicionais, tais como a China e a Rússia.

Apesar de ter sido apontada como a grande favorita para o título, a China perdeu na edição de 2002 as semifinais para a Itália, que terminaria sagrando-se pela primeira vez campeã do torneio.

Em 2006 as duas equipes consideradas favoritas para decidir o título acabaram por se confirmar as previsões. Rússia e Brasil disputaram a grande final e, em um jogo muito equilibrado, as russas sagraram-se campeãs pela sexta vez. Porém o grande destaque do campeonato foi a Sérvia e Montenegro, equipe que até então nunca havia se destacado no voleibol feminino, conquistando o terceiro lugar. Rússia e Brasil reeditaram a final de 2006 na edição seguinte e o roteiro foi basicamente o mesmo: jogo equilibrado decido em cinco sets e com nova vitória das russas, que com essa vitória chegaram ao sétimo título mundial, recorde absoluto na categoria feminina.[1]

Em 2014, os Estados Unidos da América conquistaram pela primeira vez o título mundial após derrotar a China na grande final, enquanto que o Brasil após dois vice-campeonatos seguidos conquistou pela primeira vez a medalha de bronze.[2] Após a grande campanha de 2006, a Sérvia obteve seu primeiro título em 2018 ao superar a Itália na final, se igualando as estadunidenses e as próprias italianas com um título mundial.[3]

Formato da competição[editar | editar código-fonte]

O formato do Campeonato Mundial tem sido constantemente adaptado para ajustar-se ao número de participantes do torneio. Algumas das regras que são usualmente praticadas incluem:

  • Contempla um total de 24 equipes participantes.
  • O processo de qualificação para o Campeonato Mundial é longo e difícil, durando em alguns continentes mais de dois anos.
  • Os times que sediam o evento e os campeões da última edição estão automaticamente qualificados.
  • O total de vagas concedido a cada confederação continental é determinado pela FIVB: a Europa costuma ter o maior número, enquanto a África e a América do Sul geralmente tem o menor número.
  • Para participar do Campeonato Mundial, cada equipe deve classificar-se em uma série de torneios qualificatórios, dependendo de sua posição no Ranking Mundial da FIVB. Times mal posicionados podem ter de disputar até três torneios desta natureza para assegurarem uma vaga; times bem posicionados usualmente disputam apenas um.
  • A competição é dividida em pelo menos duas fases: uma preliminar e uma final. Conforme o número de equipes, pode ser necessário disputar igualmente uma ou mais fases intermediárias.
  • Na fase preliminar, os times são organizados em chaves. Cada time realiza uma partida contra todos os outros times em sua chave.
  • Quando todas as partidas da fase preliminar foram disputadas, os n melhores times em cada chave qualificam-se para a(s) fase(s) seguinte(s), e o restante deixa a competição. O valor de n depende do número de times participantes e do formato que será adotado nas finais.
  • A FIVB já empregou diversos formatos diferentes para as finais. Há alguns anos, parece haver consenso de que pelo menos as semifinais e as finais devem ser disputadas em cruzamento olímpico.
  • Para as quartas-de-final, emprega-se usualmente uma de duas soluções: ou repete-se o modelo da preliminar, em que os times são organizados em chaves e jogam todos contra todos; ou adota-se o confronto direto por cruzamento olímpico. Neste caso, podem ser necessárias rodadas intermediárias adicionais para reduzir o número de equipes para oito.
  • As regras para a convocação de atletas são bastante rígidas. Cada time só pode indicar doze atletas, e trocas fora dos prazos legais não são permitidas nem mesmo no caso de acidentes.

Resultados[editar | editar código-fonte]

# Ano Sede Final Semifinalistas
Campeão Placar Vice 3º lugar Placar 4º lugar
1 1952
Detalhes
Flag of the Soviet Union (1924–1955).svg
União Soviética
Bandeira da União Soviética
União Soviética
Pontos corridos Bandeira da Polônia
Polônia
Bandeira da Checoslováquia
Checoslováquia
Pontos corridos Bandeira da Bulgária
Bulgária
2 1956
Detalhes
França
França
Bandeira da União Soviética
União Soviética
Pontos corridos Bandeira da Romênia
Romênia
Bandeira da Polônia
Polônia
Pontos corridos Bandeira da Checoslováquia
Checoslováquia
3 1960
Detalhes
Flag of Brazil (1960–1968).svg
Brasil
Bandeira da União Soviética
União Soviética
Pontos corridos Bandeira do Japão
Japão
Bandeira da Checoslováquia
Checoslováquia
Pontos corridos Bandeira da Polônia
Polônia
4 1962
Detalhes
União das Repúblicas Socialistas Soviéticas
União Soviética
Bandeira do Japão
Japão
Pontos corridos Bandeira da União Soviética
União Soviética
Bandeira da Polônia
Polônia
Pontos corridos Bandeira da Bulgária
Bulgária
5 1967
Detalhes
Japão
Japão
Bandeira do Japão
Japão
Pontos corridos Bandeira dos Estados Unidos
Estados Unidos
Bandeira da Coreia do Sul
Coreia do Sul
Pontos corridos Bandeira do Peru
Peru
6 1970
Detalhes
Bulgária
Bulgária
Bandeira da União Soviética
União Soviética
Pontos corridos Bandeira do Japão
Japão
Bandeira da Coreia do Norte
Coreia do Norte
Pontos corridos Bandeira da Hungria
Hungria
7 1974
Detalhes
México
México
Bandeira do Japão
Japão
Pontos corridos Bandeira da União Soviética
União Soviética
Bandeira da Coreia do Sul
Coreia do Sul
Pontos corridos Bandeira da Alemanha Oriental
Alemanha Oriental
8 1978
Detalhes
União das Repúblicas Socialistas Soviéticas
União Soviética
Bandeira de Cuba
Cuba
3 – 0 Bandeira do Japão
Japão
Bandeira da União Soviética
União Soviética
3 – 1 Bandeira da Coreia do Sul
Coreia do Sul
9 1982
Detalhes
Peru
Peru
Bandeira da China
China
3 – 0 Bandeira do Peru
Peru
Bandeira dos Estados Unidos
Estados Unidos
3 – 1 Bandeira do Japão
Japão
10 1986
Detalhes
Tchecoslováquia
Tchecoslováquia
Bandeira da China
China
3 – 1 Bandeira de Cuba
Cuba
Bandeira do Peru
Peru
3 – 1 Bandeira da Alemanha Oriental
Alemanha Oriental
11 1990
Detalhes
China
China
Bandeira da União Soviética
União Soviética
3 – 1 Bandeira da China
China
Bandeira dos Estados Unidos
Estados Unidos
3 – 1 Bandeira de Cuba
Cuba
12 1994
Detalhes
Brasil
Brasil
Bandeira de Cuba
Cuba
3 – 0 Bandeira do Brasil
Brasil
Bandeira da Rússia
Rússia
3 – 1 Bandeira da Coreia do Sul
Coreia do Sul
13 1998
Detalhes
Japão
Japão
Bandeira de Cuba
Cuba
3 – 0 Bandeira da China
China
Bandeira da Rússia
Rússia
3 – 1 Bandeira do Brasil
Brasil
14 2002
Detalhes
Alemanha
Alemanha
Bandeira da Itália
Itália
3 – 2 Bandeira dos Estados Unidos
Estados Unidos
Bandeira da Rússia
Rússia
3 – 1 Bandeira da China
China
15 2006
Detalhes
Japão
Japão
Bandeira da Rússia
Rússia
3 – 2 Bandeira do Brasil
Brasil
Bandeira de Sérvia e Montenegro
Sérvia e Montenegro
3 – 0 Bandeira da Itália
Itália
16 2010
Detalhes
Japão
Japão
Bandeira da Rússia
Rússia
3 – 2 Bandeira do Brasil
Brasil
Bandeira do Japão
Japão
3 – 2 Bandeira dos Estados Unidos
Estados Unidos
17 2014
Detalhes
Itália
Itália
Bandeira dos Estados Unidos
Estados Unidos
3 – 1 Bandeira da China
China
Bandeira do Brasil
Brasil
3 – 2 Bandeira da Itália
Itália
18 2018
Detalhes
Japão
Japão
Bandeira da Sérvia
Sérvia
3 – 2 Bandeira da Itália
Itália
Bandeira da China
China
3 – 0 Bandeira dos Países Baixos
Países Baixos
19 2022
Detalhes
 Países Baixos
 Polónia

Medalhas[editar | editar código-fonte]

 Ordem  País Medalha de ouro Medalha de prata Medalha de bronze Medals world.svg
1 Bandeira da Rússia Rússia [nota 1] 7 2 4 13
2 Bandeira do Japão Japão 3 3 1 7
3 Bandeira de Cuba Cuba 3 1 0 4
4 Bandeira da China China 2 3 1 6
5 Bandeira dos Estados Unidos Estados Unidos 1 2 2 5
6 Bandeira da Itália Itália 1 1 0 2
7 Bandeira da Sérvia Sérvia [nota 2] 1 0 1 2
8 Bandeira do Brasil Brasil 0 3 1 4
9 Bandeira da Polônia Polônia 0 1 2 3
10 Bandeira do Peru Peru 0 1 1 2
11 Bandeira da Romênia Romênia 0 1 0 1
12 Bandeira da Coreia do Sul Coreia do Sul 0 0 2 2
Bandeira da República Checa República Checa [nota 3] 0 0 2 2
13 Bandeira da Coreia do Norte Coreia do Norte 0 0 1 1

MVPs por edição[editar | editar código-fonte]

Notas

  1. A FIVB considera a Rússia como herdeira dos históricos de União Soviética.
  2. A FIVB considera a Sérvia como herdeira dos históricos de Iugoslávia e Sérvia e Montenegro.
  3. A FIVB considera a República Tcheca como herdeira do histórico da Tchecoslováquia.


Referências

  1. «Brasil repete roteiro, perde para a Rússia e fica com o vice no Mundial». UOL Esporte. 14 de novembro de 2010. Consultado em 14 de novembro de 2010 
  2. «Americanas freiam fenômeno chinês e conquistam o inédito título mundial». GloboEsporte.com. 12 de outubro de 2014. Consultado em 12 de outubro de 2014 
  3. «Sérvia supera fenômeno Egonu, bate Itália e conquista o Mundial de vôlei». UOL Esporte. 20 de outubro de 2018. Consultado em 20 de outubro de 2018 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]