Cedral (São Paulo)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Cedral
  Município do Brasil  
Símbolos
Bandeira de Cedral
Bandeira
Brasão de armas de Cedral
Brasão de armas
Hino
Gentílico cedralense
Localização
Localização de Cedral em São Paulo
Localização de Cedral em São Paulo
Cedral está localizado em: Brasil
Cedral
Localização de Cedral no Brasil
Mapa de Cedral
Coordenadas 20° 54' 10" S 49° 16' 04" O
País Brasil
Unidade federativa São Paulo
Municípios limítrofes São José do Rio Preto, Guapiaçu, Uchoa, Ibirá, Potirendaba e Bady Bassitt[1]
Distância até a capital 430 km[2]
História
Fundação 1929 (90 anos)
Aniversário 21 de junho
Administração
Prefeito(a) Paulo Ricardo Beolchi de Lucas (Janjão) (PPS, 2017 – 2020)
Características geográficas
Área total [3] 197,4 km²
População total (Estimativa IBGE/2015[4]) 11,500 hab.
Densidade 0,06 hab./km²
Clima Não disponível
Altitude 558 m
Fuso horário Hora de Brasília (UTC−3)
Indicadores
IDH (PNUD/2000 [5]) 0,803 muito alto
PIB (IBGE/2009[6]) R$ 502 840 mil
PIB per capita (IBGE/2009[6]) R$ 12 453,34

Cedral é um município brasileiro do estado de São Paulo. Nesse município nasceu o cantor e compositor Antônio Carlos Senefonte, o Kid Vinil[7].

História[editar | editar código-fonte]

Embora não se possa afirmar com absoluta segurança quando chegou o 1º habitante de Cedral, se gundo relato de velhos moradores, já em 1.900 os Srs. Felicio Bottino, Severiano Vicente Ferreira, Cel. Silverio da Cunha Lacerda e o Sr. Vicente Ferreira da Silva já habitavam o local.

De 1.906 a 1.910 as famílias de Felipe Scarpelli, Nicola di Pietro, Francisco Turano, Antônio Alves, Manoel de Oliveira Jordão, Pedro Lucato, Nicolau Azziz, Júlio Xavier de Mendonça, João Chames, Carlos Dias Barboza, João Faquim, Luiz Guidolin, Joaquim Pereira da Mota, Guilherme Buosi, Eduardo Alves Ferreira; a primeira autoridade policial foi Antônio Francisco de Souza, por volta de 1.914.

A maior dificuldade encontrada pelos moradores foi a derrubar as imponentes árvores de cedro, que emaranhavam-se, dominando a região. Deste obstáculo surgiu o nome do Município. Cedral progrediu rapidamente graças à inauguração da Estrada de Ferro Araraquara, em 1912; criação da agência do Correio em, 1918, tendo como chefe o Sr. Izaltino Mendonça; a elevação a Distrito pela Lei Estadual n.º. 1.664, passando à sede à categoria de Vila, instalada em 1.920, na época figurando como Distrito do Município de Rio Preto. Em 1.920 inaugurou-se o Cine Politeama, onde em sessão solene, em abril de 1.920, criou-se o Cartório de Paz. Em 1.924, instalou-se luz elétrica, em 1.925 a Paróquia, tendo como vigário o Pe. Antônio Augusto Dias.

Em 1.927 criou-se Grupo Escolar, em 1928 agência do Banco de São Paulo. Em 1.929 instala-se Coletoria Federal e Estadual e no dia 27 de dezembro de 1.929, pela Lei Estadual nº 2.399 a sede recebe foros de cidade e desmembra-se do município de Rio Preto, sendo o município de Cedral instalado a 16 de março de 1.930, assumindo o cargo de Prefeito o Sr Messias Vicente Ferreira e em 1.936, inaugura-se a Delegacia de Policia Local.

Em 1.941, passa funcionar em prédio próprio a Caixa Econômica Estadual, pelo Decreto-lei nº 38, de 14 de novembro de 1.942, o Prefeito cria a Agência Municipal de Estatística; em 10 de maio de 1.947, é inaugurado o Posto de Assistência Médico Sanitária (PAMS). Origem do Nome: O nome Cedral foi tirado do nome da árvore Cedro que existia muito na época da fundação.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Demografia[editar | editar código-fonte]

Estimativa IBGE 2015

População estimada 2015 (1)

População total: 8.767[3]

Densidade demográfica (hab./km²): 40,38

Taxa de Alfabetização: 93,7%[8]

Dados do Censo - 2000

Mortalidade infantil até 1 ano (por mil): 9,35

Expectativa de vida (anos): 75,15

Taxa de fecundidade (filhos por mulher): 2,36

Índice de Desenvolvimento Humano (IDH-M): 0,803

  • IDH-M Renda: 0,720
  • IDH-M Longevidade: 0,836
  • IDH-M Educação: 0,852

(Fonte: IPEADATA)

Hidrografia[editar | editar código-fonte]

Rodovias[editar | editar código-fonte]

Comunicações[editar | editar código-fonte]

A cidade era atendida pela Cia. Telefônica Rio Preto[9][10], empresa administrada pela Companhia Telefônica Brasileira (CTB)[11], até que em 1973 passou a ser atendida pela Telecomunicações de São Paulo (TELESP)[12], que construiu a central telefônica utilizada até os dias atuais. Em 1998 esta empresa foi privatizada e vendida para a Telefônica[13], sendo que em 2012 a empresa adotou a marca Vivo[14] para suas operações de telefonia fixa.

Referências

  1. http://mapas.ibge.gov.br/divisao/viewer.htm
  2. «Distâncias entre a cidade de São Paulo e todas as cidades do interior paulista». Consultado em 26 de janeiro de 2011 
  3. a b «Censo Populacional 2010 - IBGE» (PDF). IBGE.gov.br. Consultado em 25 de agosto de 2011 
  4. «ESTIMATIVAS DA POPULAÇÃO RESIDENTE NOS MUNICÍPIOS BRASILEIROS COM DATA DE REFERÊNCIA EM 1º DE JULHO DE 2015» (PDF). IBGE. Consultado em 23 de dezembro de 2015 
  5. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2000. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  6. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2005-2009» (PDF). Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 27 dez. 2011 
  7. «Kid Vinil foi de 'Boy' a VJ em quase 40 anos de carreira; veja trajetória» 
  8. «Taxa de Alfabetização 2010» (zip). Censo 2010 IBGE: Indicadores Sociais Municipais. IBGE.gov.br. Consultado em 23 de janeiro de 2012 
  9. «Relação do patrimônio da Cia. Telefônica Rio Preto incorporado pela Telesp» (PDF). Diário Oficial do Estado de São Paulo 
  10. «Telesp assume controle da Cia. Telefônica Rio Preto e da Empresa Telefônica Paulista». Acervo O Estado de São Paulo 
  11. «Relação do patrimônio da CTB incorporado pela Telesp» (PDF). Diário Oficial do Estado de São Paulo 
  12. «Área de atuação da Telesp em São Paulo». Página Oficial da Telesp (arquivada) 
  13. «Nossa História». Telefônica / VIVO 
  14. GASPARIN, Gabriela (12 de abril de 2012). «Telefônica conclui troca da marca por Vivo». G1 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]