Censo demográfico do Brasil de 2010

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Censo brasileiro de 2010)
Ir para: navegação, pesquisa

O censo demográfico do Brasil de 2010 foi a 12.ª operação censitária realizada em território brasileiro. Realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), teve o objetivo de retratar a população brasileira, suas características socioeconômicas e ao mesmo tempo, a base para todo o planejamento público e privado da década 2010-2020.

A fase preparatória teve início em 2007 e seus trabalhos foram intensificados em 2008. A fase principal da coleta de dados foi realizada nos meses de agosto, setembro e outubro de 2010. Mais de 190 mil recenseadores visitaram 67,6 milhões de domicílios nos 5.565 municípios brasileiros. O início da divulgação dos dados foi em dezembro de 2010.[1]

Para este recenseamento foram utilizadas novas tecnologias, possibilitando a realização do primeiro censo demográfico digital do mundo. Por este trabalho, o IBGE recebeu em 2011 da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (United Nations Educational, Scientific and Cultural Organization - UNESCO) o prêmio NetExplorateur.[2]

Resultados[editar | editar código-fonte]

Distribuição da população brasileira segundo cor e raça - IBGE
Índice de envelhecimento da população brasileira 1960-2010 - IBGE
  • Características gerais (cor, gênero, domicílio, faixa etária)

Os resultados finais revelaram que a população brasileira havia chegado aos 190 755 799 habitantes, 51% eram mulheres e 84,4% residiam em área urbana.[3]

A proporção de brancos havia diminuído de 53,7% em 2000 para 47,7% em 2010,[4][5] além de a população brasileira ter ficado mais velha. O índice de envelhecimento da população havia saltado de 19,8% em 2000 para 30,7% em 2010.[5][6]

  • Religião

O censo de 2010 revelou também que o número de evangélicos no Brasil representava 22,2% da população (42,3 milhões de pessoas), um aumento de 6,8% em relação ao censo realizado em 2000. A população católica permanecia a de maior número no país (64,6% ou 123,2 milhões de pessoas), tendo diminuído 9% em relação a 2000.[7] [5]Gráf.37

  • Pessoas com deficiência

O censo de 2010 procurou retratar o universo de brasileiros com pelo menos um dos tipos de deficiência definidos pela Organização Mundial da Saúde (OMS), que são: deficiências físicas (visual, auditiva, motora) e mentais ou intelectuais. Os critérios utilizados para a pesquisa foram os definidos pelo "Grupo de Washington sobre Estatísticas das Pessoas com Deficiência" (Washington Group on Disability Statistics).[8]

Os resultados revelaram que 23,9% da população brasileira (45,6 milhões de pessoas) eram portadores de pelo menos uma das deficiências investigadas.[5]Tabela 8

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. IBGE. «Sobre o Censo 2010». Consultado em 5 de maio de 2013.  Texto "lingua2" ignorado (Ajuda)
  2. ibge.gov.br/ Metodologia do Censo Demográfico 2010
  3. IBGE (2011). «Sinopse do Censo Demográfico 2010». Consultado em 5 de maio de 2013.  Texto "lingua2" ignorado (Ajuda)
  4. Thiago Varela (5 de maio de 2013). «Brancos são menos da metade da população pela primeira vez no Brasil». Universo Online. UOL. Consultado em 5 de maio de 2013. 
  5. a b c d IBGE. «Censo Demográfico 2010_Características» (PDF). Consultado em 05/5/13.  Texto "lingua2" ignorado (Ajuda)
  6. «Em dez anos, diminui o número de crianças e aumenta o de idosos no Brasil». Universo Online. UOL. 29 de abril de 2011. Consultado em 5 de maio de 2013. 
  7. [ Revista de História da Biblioteca Nacional. Ano 8. n° 87. Matéria Dossiê Evangélico no Brasil. Página 17]
  8. «Cartilha do Censo 2010 - Pessoas com Deficiência». SNPD. Consultado em 5 de maio de 2013. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]



Ícone de esboço Este artigo sobre o Brasil é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.