Clive Barker

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém fontes no fim do texto, mas que não são citadas no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações. (desde agosto de 2016)
Por favor, melhore este artigo introduzindo notas de rodapé citando as fontes, inserindo-as no corpo do texto quando necessário.
Clive Barker
Clive Barker em 2007
Nascimento 5 de outubro de 1952 (64 anos)
Liverpool, Inglaterra
Nacionalidade Inglaterra inglês
Ocupação Escritor, Dramaturgo, Diretor de Cinema, Ator, Produtor, Roteirista, Artista Plástico e Desenhista.
Gênero literário Horror fantástico, Ficção especulativa e drama
Magnum opus Hellraiser - Renascido do Inferno
Página oficial
clivebarker.com

Clive Barker (Liverpool, 5 de outubro de 1952) é um escritor, cineasta, roteirista, ator, produtor de cinema, artista plástico e dramaturgo inglês. Clive Barker escreve o que costuma descrever como literatura fantástica e terror. Barker veio à proeminência em meados dos anos 80 com uma série de histórias curtas, os Livros de sangue, que o estabeleceu como um escritor consagrado do horror. Ele já escreveu muitos romances e outros trabalhos, e sua ficção foi adaptada em filmes, notadamente a série Hellraiser e Candyman. Ele foi o Produtor Executivo do filme Deuses e Monstros.

As pinturas e as ilustrações de Barker foram exibidas em galerias nos Estados Unidos assim como dentro de seus próprios livros. Ele criou personagens e séries originais para quadrinhos, e algumas de suas histórias de horror mais populares foram adaptadas para quadrinhos

Seus arquivos têm sido uma fonte de material para biografias e livros de não-ficção contendo seus ensaios pessoais, discussões de seu trabalho de teatro, entrevistas e outros conteúdos.

Nove de seus dezoito livros já foram publicados no Brasil.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Barker nasceu em Liverpool, Merseyside, filho de Joan Ruby, pintora e assistente social de uma escola, e Leonard Barker, diretor de pessoal de uma empresa de relações industriais.[1][2] Esse homem multifacetado, entrou na Universidade de Liverpool para estudar literatura inglesa e filosofia.[3]

Quando tinha três anos de idade, Barker testemunhou o paraquedista francês Léo Valentin cair durante uma performance em um show aéreo em Liverpool. Barker mais tarde iria aludir a Valentin em muitas de suas histórias.[4]

Carreira de escritor[editar | editar código-fonte]

Barker é um autor de horror / fantasia contemporânea. Ele começou a abordar o horror no início de sua carreira, principalmente na forma de histórias curtas (coletadas em Livros de Sangue 1 - 6) e o romance The Damnation Game (1985). Mais tarde, migrou para a fantasia moderna e fantasia urbana com elementos de horror em Weaveworld (1987), The Great and Secret Show (1989), Imajica (1991) e Sacrament (1996).

Nos anos 80, ele se tornou o nome mais proeminente da literatura de terror contemporânea. Quando lançou no início da sua carreira, os primeiros 3 volumes da sua bem-sucedida coletânea de contos chamados Livros de Sangue, por uma pequena editora inglesa chamada Sphere Books em 1984, eles fizeram um modesto sucesso no Reino Unido. O verdadeiro estouro mundial da obra foi quando ela foi lançada nos Estados Unidos, com o endosso (na verdade um elogio rasgado) do grande responsável pela popularização do Terror na literatura, o mundialmente famoso escritor Stephen King, com a frase mais do que conhecida: "Eu vi o futuro do Horror… E seu nome é Clive Barker".[5] Como influências em sua escrita, Barker lista Herman Melville, Edgar Allan Poe, Ray Bradbury, William S. Burroughs, William Blake e Jean Cocteau, entre outros.[6]

Ele é o escritor da série Abarat, e planeja produzir mais dois romances da série[7]

Trabalho no cinema[editar | editar código-fonte]

Barker tem profundo interesse na produção cinematográfica. Ele escreveu os roteiros de Underworld e Rawhead Rex (1986), ambos dirigidos por George Pavlou.[8] Decepcionado com a forma como seu material foi tratado, ele dirigiu Hellraiser (1987), baseado em sua novela The Hellbound Heart. Depois que seu filme Nightbreed (1990) fracassou, Barker escreveu e dirigiu Lord of Illusions (1995). O conto "The Forbidden", de Barker's Books of Blood, forneceu a base para o filme de 1992 Candyman e suas duas sequências. Barker foi produtor executivo do filme Gods and Monsters (1998), que recebeu grandes elogios da crítica. Ele estava trabalhando em uma série de adaptações cinematográficas dos livros da série The Abarat sob a direção da Disney, mas por causa de diferenças criativas, o projeto foi cancelado.

Em 2005, Barker e o produtor de filmes de terror Jorge Saralegui criaram a produtora de filmes Midnight Picture Show com a intenção de produzir dois filmes de terror por ano.[9]

Em outubro de 2006, Barker anunciou através de seu site que estava escrevendo o script para um remake do filme Hellraiser. [10][11]Ele está desenvolvendo um filme baseado na linha Tortured Souls de brinquedos da McFarlane Toys.

Artes visuais[editar | editar código-fonte]

Barker é um artista visual prolífico, muitas vezes ilustrando seus livros. Suas pinturas foram vistas nas capas das coleções de suas peças, Encarnações (1995) e Formas do Céu (1996); E na segunda impressão das publicações britânicas originais dos livros da série Livros de sangue. Barker também forneceu a arte para sua novela para jovens e adultos The Thief of Always e para a série Abarat. Suas obras de arte foram exibidas na Bert Green Fine Art em Los Angeles e Chicago, na Bess Cutler Gallery em Nova York e La Luz De Jesus em Los Angeles. Muitos de seus esboços e pinturas podem ser encontrados na coleção Clive Barker, Illustrator, publicada em 1990 por Arcane / Eclipse Books, e em Visions of Heaven and Hell, publicado em 2005 pela Rizzoli Books.

Ele trabalhou no jogo Undying, fornecendo a voz para o personagem Ambrose. Undying foi desenvolvido pela DreamWorks Interactive e lançado em 2001. Ele trabalhou em Jericho Clive Barker para Codemasters, que foi lançado no final de 2007.

Barker criou trajes de Halloween para fantasias.[12][13]

Histórias em quadrinhos[editar | editar código-fonte]

Barker publicou Razorline pela Marvel Comics em 1993

As obras de Barker neste segmento incluem; Hellraiser, Nightbreed, Pinhead, The Harrowers, O livro do condenado, e Jihad( pela Marvel/Epic comics); Tapping The Vein, Dread, o filho de Celuloide, Revelations , Vida da Morte, Rawhead Rex e The Yattering e Jack(pela Eclipse books), e Primal( pela Dark Horse Comics), entre outros. Barker serviu como um consultor e escritor na antologia em quadrinhos Hellraiser.

Em 2005, a IDW publicou uma adaptação em três edições do romance de fantasia para crianças de Barker The Thief of Always, escrito e pintado por Kris Oprisko e Gabriel Hernandez. A IDW está publicando uma adaptação em 12 números do romance The Great and Secret Show de Barker.

Em dezembro de 2007, Chris Ryall e Clive Barker anunciaram a colaboração em uma série de quadrinhos original, Torakator, a ser publicada pela IDW.

Em outubro de 2009, IDW publicou Seduth, coescrito por Barker. O trabalho foi lançado com três capas variantes.[14]

Em 2011, Boom! Studios começou a publicar uma antologia baseada em Hellraiser.

Em 2013, Boom! Studios anunciou Próximo testamento, a primeira história original escrita por Barker para ser publicada no formato de quadrinhos.

Vida pessoal[editar | editar código-fonte]

Em 2003, Barker recebeu o Prêmio Davidson / Valentini no 15º Prêmio GLAAD Media.

Barker tem sido crítico da religião organizada ao longo de sua carreira, mas ele afirmou que a Bíblia influencia seu trabalho e espiritualidade.[15] Em 2003, Barker declarou que era um cristão durante uma entrevista com Bill Maher quando Ann Coulter implicou que não era.[16]

Barker disse em uma entrevista de dezembro de 2008 (publicada em março de 2009) que ele tinha pólipos em sua garganta que eram tão graves que um médico lhe disse que ele estava recebendo dez por cento do ar que deveria receber. Ele fez duas cirurgias para removê-los e acredita que sua voz resultante é uma melhora sobre como era antes das cirurgias. Ele disse que não tinha câncer e que desistiu de charutos.[17]

Desde 2015, é membro do conselho de conselheiros do Hollywood Horror Museum.

Relacionamentos[editar | editar código-fonte]

Em uma aparição de 20 de agosto de 1996 em um programa de rádio chamado Loveline, Barker afirmou que durante a adolescência teve vários relacionamentos com mulheres mais velhas, e identificou-se como homossexual aos 18 ou 19 anos de idade.[18] Barker declara-se abertamente gay desde o início dos anos 90.[19] Sua relação com John Gregson durou de 1975 até 1986. Foi durante este período, com o apoio que Gregson forneceu, que Barker foi capaz de escrever a série Livros de sangue e The Damnation Game. Mais tarde, ele passou treze anos com o fotógrafo David Armstrong, descrito como seu marido na introdução de Coldheart Canyon; Eles se separaram em 2009.[20]

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Livros[editar | editar código-fonte]

  • (1985) The Damnation Game
  • (1986) The Hellbound Heart
  • (1987) Weaveworld
  • (1988) Cabal
  • (1989) The Great and Secret Show
  • (1991) Imajica
  • (1992) The Thief of Always
  • (1994) Everville
  • (1996) Sacrament
  • (1998) Galilee
  • (2001) Coldheart Canyon: A Hollywood Ghost Story
  • (2001) Tortured Souls
  • (2002) Abarat
  • (2004) Abarat: Days of Magic, Nights of War
  • (2007) Mister B. Gone
  • (2009) Mr. Maximillian Bacchus And His Travelling Circus
  • (2010) The Candle in the Cloud
  • (2011) Absolute Midnight
  • (2011) The Scarlet Gospels

Coleções[editar | editar código-fonte]

  • (1984-1985) Livros de Sangue
  • (1987) The Inhuman Condition
  • (1987) In the Flesh
  • (1990) Clive Barker, Illustrator
  • (1992) Illustrator II: The Art of Clive Barker
  • (1995) Incarnations: Three Plays
  • (1996) Forms of Heaven: Three Plays
  • (2000) The Essential Clive Barker: Selected Fiction
  • (2005) Visions of Heaven and Hell
  • (2010) Black Is the Devil's Rainbow: Tales of a Journeyman

Não ficção[editar | editar código-fonte]

  • (2010) The Painter, The Creature and The Father of Lies: Essays by Clive Barker

Filmografia[editar | editar código-fonte]

Ano Titulo Diretor Produtor Escritor
1973 Salome
X
1978 The Forbidden
X
1985 Transmutations
X
1986 Rawhead Rex
X
X
1987 Hellraiser
X
X
1988 Hellbound: Hellraiser II
X
1990 Nightbreed
X
X
1992 Hellraiser III: Hell on Earth
X
Candyman
X
1995 Lord of Illusions
X
X
X
1996 Hellraiser: Bloodline
X
1998 Gods and Monsters
X
2006 The Plague
X
2008 Book of Blood
X
The Midnight Meat Train
X
2009 Dread
X
2013 Hellraiser
X
TBA Tortured Souls: Animae Damnatae
X
X
TBA Born
X

Jogos de computador[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. «Clive Barker Biography (1952-)». www.filmreference.com (em eng). Consultado em 30 de janeiro de 2017 
  2. «Clive Barker Biography - Yahoo! Movies». 4 de junho de 2011. Consultado em 30 de janeiro de 2017 
  3. Bowman, Jamie (19 de maio de 2015). «As Clive Barker returns here's eight other Merseyside sci fi, fantasy and horror writers who have thrilled readers worldwide». liverpoolecho 
  4. «Harmony Books». Wikipedia (em inglês). 27 de novembro de 2016 
  5. «The Official Clive Barker Resource : Revelations - News Stephen King Award - Speech». www.clivebarker.info. Consultado em 30 de janeiro de 2017 
  6. «Official Clive Barker Website : The Beautiful Moment - Abarat Books Four, Five». www.clivebarker.info. Consultado em 30 de janeiro de 2017 
  7. «The Official Clive Barker Website - Influences». www.clivebarker.info. Consultado em 30 de janeiro de 2017 
  8. Elliott, Denholm; Berkoff, Steven; Lamb, Larry; Cowper, Nicola (18 de abril de 1986), Underworld, consultado em 30 de janeiro de 2017 
  9. «Clive Barker to form Midnight Picture Show (16153)» (em inglês). 26 de maio de 2005 
  10. «The Official Clive Barker Website - Revelations Interview 15». www.clivebarker.info. Consultado em 30 de janeiro de 2017 
  11. «Fangoria - America's Horror Magazine». 22 de fevereiro de 2008. Consultado em 30 de janeiro de 2017 
  12. «The Man with the Iron Fists Punches His Way to Theatres in November - Dread Central». Dread Central (em inglês). 12 de julho de 2012 
  13. «Clive Barkers Enters the 'Dark Bizaar' with JAKKS Pacific - Bloody Disgusting!». Bloody Disgusting! (em inglês). 15 de janeiro de 2010 
  14. «IDW Publishing». 15 de agosto de 2014. Consultado em 30 de janeiro de 2017 
  15. «The Official Clive Barker Website - Spirituality». www.clivebarker.info. Consultado em 30 de janeiro de 2017 
  16. «Real Time with Bill Maher». Wikipedia (em inglês). 29 de janeiro de 2017 
  17. «Art and the Artist: An Interview With Clive Barker». Strange Horizons (em inglês). 16 de março de 2009 
  18. Drew, Adam Carolla and Dr. «Classic Loveline with Adam and Drew». podcastone.com. Consultado em 30 de janeiro de 2017 
  19. «Clive Barker – Not Just an Author!». Bell Night. 1 de março de 2013. Consultado em 30 de janeiro de 2017 
  20. «Famous horror writer Clive Barker sued by an ex-boyfriend who says author gave him HIV». Mail Online 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Ícone de esboço Este artigo sobre literatura é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.


O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Clive Barker