Cupressus

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Como ler uma infocaixa de taxonomiaCupressus
ciprestes
Folhagem e cones de Cupressus sempervirens.
Folhagem e cones de Cupressus sempervirens.
Classificação científica
Reino: Plantae
Divisão: Pinophyta
Classe: Pinopsida
Ordem: Cupressales
Família: Cupressaceae
Subfamília: Cupressoideae
Rich. ex Sweet
Género: Cupressus
L.
Espécie-tipo
Cupressus sempervirens
L.
Espécies
Ver texto.
Sinónimos
Cupressus sempervirens.

Cupressus é um género de coníferas pertencente à subfamília Cupressoideae da família Cupressaceae, que inclui a generalidade das árvores e arbustos vulgarmente conhecida por ciprestes.[1][2] Com base em análises genéticas e morfológicas, o género Cupressus é considerado um grupo potencialmente polifilético. O nome comum "cipreste" vem do francês antigo cipres do latim cyparissus, que é a latinização do grego κυπάρισσος (kypárissos),[3] designação com ligação ao mito de Ciparisso com origem na Antiguidade Clássica europeia.

Descrição[editar | editar código-fonte]

Morfologia[editar | editar código-fonte]

Os ciprestes são árvores ou grandes arbustos sempre-verdes, que crescem até 5-40 m de altura. As folhas são semelhantes a escamas, com 2-6 mm de comprimento, dispostas em pares opostos decussados, e persistem durante três a cinco anos.

Nas plantas jovens, com até dois anos de idade, as folhas são em forma de agulha e têm 5-15 mm de comprimento. Os cones têm 8-40 mm de comprimento, são globosos ou ovóides, com quatro a 14 escamas dispostas em pares opostos decussados; estão maduros em 18-24 meses a partir da polinização. As sementes são pequenas, com 4-7 mm de comprimento, com duas asas estreitas, uma de cada lado da semente.

Muitas das espécies estão adaptadas aos incêndios florestais, mantendo as suas sementes durante muitos anos em cones fechados até as árvores-mãe serem mortas por um incêndio; as sementes são então libertadas para colonizar o solo nu e queimado. Noutras espécies, os cones abrem-se na maturidade para libertar as sementes.

Distribuição e cultivo[editar | editar código-fonte]

Na sua presente circunscrição taxonómica, o género Cupressus inclui espécie nativas de localidades dispersas em regiões principalmente de clima temperado quente do Hemisfério Norte, incluindo a parte ocidental da América do Norte, a América Central, o noroeste de África, o Médio Oriente, os Himalaias, o sul da China e o norte do Vietname.[4]

Tal como acontece com outras coníferas, o cultivo extensivo levou a uma grande variedade de formas, tamanhos e cores, que são cultivadas em parques e jardins em todo o mundo.[4] Muitas espécies de ciprestes são cultivadas como árvores decorativas em parques e, na Ásia, à volta de templos; em algumas áreas, a distribuição nativa é difícil de discernir devido ao cultivo extensivo.

Algumas espécies são cultivadas pela sua madeira, que pode ser muito durável. O híbrido de crescimento rápido cipreste de Leyland (Cupressus × leylandii), muito utilizado em jardins, tem um dos seus progenitores neste género (Cupressus macrocarpa, cipreste de Monterey) e o outro progenitor, Callitropsis nootkatensis (cipreste de Nootka), também é por vezes classificado neste género, ou então no género separado Xanthocyparis, mas no passado era mais frequente em Chamaecyparis.

Todas as plantas do género Cupressus, incluindo os Cupressus do Novo Mundo (agora por vezes Callitropsis), são extremamente alergénicas e têm uma classificação de 10 na escala de alergia OPALS. Em climas quentes e mediterrânicos, estas plantas libertam grandes quantidades de pólen durante cerca de sete meses por ano.[5]

Referências culturais[editar | editar código-fonte]

Na cultura helénica, acreditava-se que o cipreste era sagrado para os deuses, sendo atualmente utilizado como emblema do luto. O nome do género vem de Cyparissus, um jovem amado por Apolo, muito apegado a um veado que acabou por matar por engano durante uma caçada. Para aliviar a dor, Apolo transformou o rapaz numa planta.

A associação com o luto manteve-se na época romana, até aos nossos dias, também por uma razão prática: as raízes do cipreste são direitas no solo e expandem-se ligeiramente para o lado, não danificando os enterramentos.

Taxonomia e filogenia[editar | editar código-fonte]

Há muito tempo que existe uma incerteza significativa sobre os membros do Novo Mundo de Cupressus, com vários estudos a recuperá-los como formando um clado distinto dos membros do Velho Mundo. Um estudo molecular de 2021 concluiu que Cupressus é o género irmão de Juniperus, enquanto os membros ocidentais (classificados em Callitropsis e Hesperocyparis) foram considerados grupos irmãos de Xanthocyparis.[6]

Filogenia[editar | editar código-fonte]

Stull et al. 2021[6][7]

Juniperus

Cupressus s.l.
Cupressus s.s.

C. pendula Thunberg

C. tonkinensis Silba

C. sempervirens von Linné

C. atlantica Gaussen

C. dupreziana Camus

C. chengiana Hu

C. duclouxiana Hickel

C. gigantea Cheng & Fu

C. torulosa Don ex Lambert

C. cashmeriana Royle ex Carrière

C. austrotibetica Silba

C. corneyana Knight & Perry ex Carrière

Xanthocyparis

C. vietnamensis (Farjon & Nguyên 2002) Silba

Callitropsis

C. nootkatensis Don

Hesperocyparis

C. bakeri Jepson

C. macnabiana Murray

C. goveniana Go

C. macrocarpa Hartweg ex Gordon

C. sargentii Jepson

C. glabra Sudworth

C. arizonica Greene

C. guadalupensis Watson

C. montana Wiggins

C. forbesii Jepson

C. lusitanica Miller

C. stephensonii Wolf

Espécies[editar | editar código-fonte]

O número de espécies reconhecidas dentro deste género varia muito, de 16 a 25 ou mais, de acordo com a autoridade seguida, porque a maioria das populações são pequenas e isoladas, e é difícil determinar se lhes deve ser atribuída a classificação de específica, subespecífica ou varietal. As tendências actuais são no sentido de reduzir o número de espécies reconhecidas; quando é adotado um conceito restrito de espécie, as variedades assinaladas na lista abaixo podem também ser aceites como espécies distintas. Ver também as espécies do Novo Mundo (abaixo) para uma provável divisão do género no futuro.

Eurásia e África

Os ciprestes do Velho Mundo tendem a ter cones com mais escamas (8-14 escamas, raramente 6 em C. funebris), cada escama com uma crista curta e larga, não uma espiga. O C. sempervirens é a espécie tipo do género, definindo o nome Cupressus. São mais aparentados com o Juniperus do que com as espécies do Novo Mundo, com exceção do género Xanthocyparis (cipreste-dourado-do-vietname]) que é mais aparentado com as espécies do Novo Mundo.[6]

Imagem Cone Nome Nome comum Distribuição
Cupressus atlantica Cipreste-marroquino Marrocos ocidental
Cupressus cashmeriana Cipreste-do-butão Himalaia oriental (Butão e áreas adjacentes de Arunachal Pradesh no nordeste da Índia)
Cupressus chengiana Cipreste-de-Cheng Províncias de Gansu e Sichuan, China
Cupressus duclouxiana (sin: Cupressus austrotibetica)[8] Cipreste-de-Yunnan, Cipreste-do-Tibete-do-Sul Yunnan e Sichuan, China
Cupressus dupreziana Cipreste-do-Saara Sudeste da Argélia
Cupressus funebris Cipreste-chorão-chinês Sudoeste e centro da China
Cupressus gigantea Cipreste tibetano Sudeste do Tibete - China
Cupressus sempervirens Cipreste do Mediterrâneo, espécie-tipo Nordeste da Líbia, Albânia meridional, Bulgária costeira, Ucrânia meridional (Crimeia), Croácia costeira, Montenegro meridional, Bósnia-Herzegovina meridional, Grécia meridional, Turquia meridional, Chipre, Egipto setentrional, Síria ocidental, Líbano, Malta, Itália, Israel, Jordânia ocidental e Irão
Cupressus torulosa (sin.: Cupressus tonkinensis) Cipreste de Tonkin, cipreste do Himalaia Sichuan (China) e Vietname
Cupressus × leylandii Cipreste de Leyland Híbrido de crescimento rápido muito utilizado em jardins (progenitores: Cupressus macrocarpa, cipreste de Monterey, e Callitropsis nootkatensis, cipreste de Nootka)

A espécie Cupressus vietnamensis, endémica no Vietname e regiões vizinhas da China, foi movida para o género Xanthocyparis, como Xanthocyparis vietnamensis, embora a alteração ainda não colha total consenso, pois a aceitação desta mudança taxonómica significa o desmembramento do género Cupressus sensu lato, com separação das espécies do Neártico, sob pena do género ficar parafilético em relação a Xanthocyparis. Um estudo molecular de 2021 descobriu que Xanthocyparis é grupo irmão de um clado que inclui Hesperocyparis e Callitropsis, sendo o clado que contém os três grupos irmão de um clado que inclui Juniperus e Cupressus sensu stricto.[9] Com a alteração da circunscrição taxonómica de Cupressus será esta a situação do antigo Cupressus vietnamensis (para melhor informação, ver Xanthocyparis):

Imagem Cone Nome Nome comum Distribuição
Xanthocyparis vietnamensis (sin.: Cupressus vietnamensis) Cipreste do Vietname, cipreste dourado do Vietname Vietname, China
Américas

Os ciprestes do Novo Mundo tendem a ter cones com menos escamas (4-8 escamas, raramente mais em C. macrocarpa), cada escama com um espigão estreito frequentemente proeminente. Evidências genéticas recentes[10] mostram que estão menos relacionadas com os ciprestes do Velho Mundo do que se pensava anteriormente, estando mais relacionadas com Xanthocyparis do que com o resto de Cupressus. Estas espécies foram recentemente transferidas para Hesperocyparis e Callitropsis. As espécies do Novo Mundo são encontradas em habitats marginais com solos xéricos e, portanto, exibem um padrão de distribuição alopátrica fragmentado. Este tipo de distribuição resulta numa abundância local desproporcionada com a maioria das espécies restritas a pequenas populações vizinhas.[11]

Imagem Cone Nome Nome comum Distribuição
Cupressus abramsiana (Cupressus goveniana var. abramsiana; Callitropsis abramsiana;) Cipreste de Santa Cruz Santa Cruz Mountains de Santa Cruz e San Mateo Counties no centro-oeste da Califórnia
Cupressus arizonica (Callitropsis arizonica) Cipreste do Arizona Sudoeste dos Estados Unidos (Arizona, Utah, sudoeste do Novo México e sul da Califórnia, com algumas populações no sul do Nevada e nas Chisos Mountains do oeste do Texas) e no México (Coahuila, Nuevo León, Chihuahua, Sonora, Durango, Tamaulipas, Zacatecas e norte da Baja California).
Cupressus bakeri (Callitropsis bakeri) Cipreste-do-mato Norte da Califórnia e extremo sudoeste do Oregon
Cupressus forbesii (Callitropsis forbesii) Cipreste de Tecate Montanhas de Santa Ana no condado de Orange e no condado de San Diego, no sul da Califórnia, e no norte do estado da Baixa Califórnia, no México.
Cupressus glabra (Callitropsis glabra) Cipreste do Arizona Sedona, Arizona
Cupressus goveniana (Callitropsis goveniana) Cipreste de Gowen, cipreste californiano Monterey County, Califórnia
Cupressus guadalupensis (Callitropsis guadalupensis ) Cipreste de Guadalupe México, encontrado apenas na ilha Guadalupe
Cupressus lusitanica (Callitropsis lusitanica ) Cipreste mexicano México e América Central (Guatemala, El Salvador e Honduras)
Cupressus macnabiana (Callitropsis macnabiana ) Cipreste Macnab Norte da Califórnia
Cupressus macrocarpa (Callitropsis macrocarpa ) Cipreste de Monterey Cypress Point em Pebble Beach e em Point Lobos perto de Carmel, Califórnia
Cupressus nevadensis (Callitropsis nevadensis ) Cipreste-da-praia Sierra Nevada do Sul, no condado de Kern, Califórnia e no condado de Tulare.
Cupressus pigmaea (Cupressus goveniana var. pigmaea; Callitropsis pigmaea ) Cipreste de Mendocino Condados de Mendocino e Sonoma, no noroeste da Califórnia
Cupressus revealiana Cipreste de El Rincon Baja California no noroeste do México
Cupressus sargentii (Callitropsis sargentii) Cipreste Sargent Mendocino County para sul até Santa Barbara County, Califórnia
Cupressus stephensonii (Callitropsis stephensonii ) Cipreste de Cuyamaca San Diego County, Califórnia

A espécie Cupressus nootkatensis está filogenéticamente mais próxima de Chamaecyparis pelo que foi proposta a sua inclusão no género Callitropsis, embora a alteração ainda não colha total consenso, pois a aceitação desta mudança taxonómica significa o desmembramento do género Cupressus sensu lato, com separação das espécies do Neártico, sob pena do género ficar parafilético em relação a Callitropsis. Um estudo molecular de 2021 descobriu que Callitropsis é grupo irmão de um clado que inclui Hesperocyparis e Xanthocyparis, sendo o clado que contém os três grupos irmão de um clado que inclui Juniperus e Cupressus sensu stricto.[9] Com a alteração da circunscrição taxonómica de Cupressus será esta a situação do antigo Cupressus nootkatensis (para melhor informação, ver Callitropsis):

Imagem Cone Nome Nome comum Distribuição
Callitropsis nootkatensis (sin.: Cupressus nootkatensis) Cipreste de Nootka. Esta espécie, devido à sua filogenia, já teve diversos enquadramentos genéricos, entre os quais Chamaecyparis nootkatensis e Xanthocyparis nootkatensis. Ilha de Vancouver, Colúmbia Britânica, Canadá

Lista de espécies[editar | editar código-fonte]

Paleártico
Neártico

Classificação lineano do género[editar | editar código-fonte]

Sistema Classificação Referência
Linné Classe Monoecia, ordem Monadelphia Species plantarum (1753)

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. Farjon, A. (2005). Monograph of Cupressaceae and Sciadopitys. Royal Botanic Gardens, Kew. ISBN 1-84246-068-4.
  2. Gadek, P. A., Alpers, D. L., Heslewood, M. M., & Quinn, C. J. (2000). Relationships within Cupressaceae sensu lato: a combined morphological and molecular approach. American Journal of Botany 87: 1044–1057)
  3. κυπάρισσος, Henry George Liddell, Robert Scott, A Greek-English Lexicon, on Perseus Digital Library
  4. a b Eckenwalder, James E. (2009). Conifers of the world: the complete reference. United Kingdom: Timber Press. 720 páginas. ISBN 978-0881929744 
  5. Ogren, Thomas (2015). The Allergy-Fighting Garden. Berkeley, CA: Ten Speed Press. p. 95. ISBN 9781607744917 
  6. a b c Stull, Gregory W.; Qu, Xiao-Jian; Parins-Fukuchi, Caroline; Yang, Ying-Ying; Yang, Jun-Bo; Yang, Zhi-Yun; Hu, Yi; Ma, Hong; Soltis, Pamela S.; Soltis, Douglas E.; Li, De-Zhu (Julho 19, 2021). «Gene duplications and phylogenomic conflict underlie major pulses of phenotypic evolution in gymnosperms». Nature Plants (em inglês). 7 (8): 1015–1025. ISSN 2055-0278. PMID 34282286. doi:10.1038/s41477-021-00964-4 
  7. Stull, Gregory W.; et al. (2021). «main.dated.supermatrix.tree.T9.tre». Figshare. doi:10.6084/m9.figshare.14547354.v1 
  8. «Cupressus duclouxiana in Flora of China @ efloras.org». eFloras.org Home. Consultado em 2 de agosto de 2019 
  9. a b Stull, Gregory W.; Qu, Xiao-Jian; Parins-Fukuchi, Caroline; Yang, Ying-Ying; Yang, Jun-Bo; Yang, Zhi-Yun; Hu, Yi; Ma, Hong; Soltis, Pamela S.; Soltis, Douglas E.; Li, De-Zhu (Julho 19, 2021). «Gene duplications and phylogenomic conflict underlie major pulses of phenotypic evolution in gymnosperms». Nature Plants (em inglês). 7 (8): 1015–1025. ISSN 2055-0278. PMID 34282286. doi:10.1038/s41477-021-00964-4 
  10. Little, D. P., Schwarzbach, A. E., Adams, R. P. & Hsieh, Chang-Fu. 2004. The circumscription and phylogenetic relationships of Callitropsis and the newly described genus Xanthocyparis (Cupressaceae). American Journal of Botany 91 (11): 1872–1881. Abstract Arquivado em 2010-06-21 no Wayback Machine
  11. Little, D. P. (2006). Evolution and circumscription of the true Cypresses. Syst. Bot. 31 (3): 461-480.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Farjon, A. (2005). Monograph of Cupressaceae and Sciadopitys. Royal Botanic Gardens, Kew. ISBN 1-84246-068-4.
  • Gadek, P. A., Alpers, D. L., Heslewood, M. M., & Quinn, C. J. (2000). Relationships within Cupressaceae sensu lato: a combined morphological and molecular approach. American Journal of Botany 87: 1044–1057. Available online

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Wikispecies
Wikispecies
O Wikispecies tem informações sobre: Cupressus