Dalila Carmo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Dalila Carmo e Sousa)
Ir para: navegação, pesquisa
Dalila Carmo
Nome completo Dalila Carmo e Sousa Amorim
Nascimento 24 de agosto de 1974 (41 anos)
Vila Nova de Gaia
Nacionalidade Portugal Portuguesa
Ocupação Actriz
Prémios Sophia
Film-award-stub.svgMelhor Actriz Principal 2013 - Florbela
Globos de Ouro
Golden Globe icon.svg Melhor Actriz de Cinema 2013 - Florbela
Página oficial
IMDb: (inglês)

Dalila Carmo e Sousa Amorim, mais conhecida por Dalila Carmo (Vila Nova de Gaia, 24 de agosto de 1974), é uma actriz portuguesa.[1]

Carreira[editar | editar código-fonte]

Tirou o curso de formação no Actors Studio em Nova Iorque (1996/97) com Marcia Haufrecht, que a dirigiu nas peças Vidas Publicadas, de Donald Margulies, no Teatro da Comuna (2005), A Lição, de Ionesco (1996), e Ludlow Fair, de Lansford Wilson (1997), no The Common Basis Theatre.

Trabalhou na Companhia de Teatro de Almada, sob a direcção de Joaquim Benite, em Moliére de Mikhail Bulgákov (1995) e Filopópulus de Virgílio Martinho (1995). Integrou o elenco de outros espectáculos, como Artnaud Estúdio com Paulo Filipe (ACARTE, 1997); Auto da Índia de Gil Vicente (Ópera Segundo São Mateus, 1994); Let's Make Opera com Paulo Matos (Teatro São Luiz, 1994); A Queima de Judas (Teatro O Bando, 1992).

Assinou em 1999, na Culturgest, a encenação do projecto Entre Tantos na Cadeira de que foi autora.

No cinema, depois de aparecer na curta-metragem de Paulo Castro O Criado Ostrowski (1990) participa em Vale Abraão (1993) de Manoel de Oliveira. Entre telefilmes e várias co-produções internacionais, salienta as participações nas longas-metragens A Comédia de Deus (1995) de João César Monteiro, Tráfico (1998) de João Botelho, O Anjo da Guarda (1999) de Margarida Gil ou Os Meus Espelhos (2005) de Rui Simões.

Foi distinguida com a Menção Especial de Melhor Actriz no Fantasporto, pela participação no filme Anjo da Guarda de Margarida Gil (1999). Trabalhou em telenovelas como Jardins Proibidos, Filha do Mar e Sedução, entre outras.

Vencedora dos Globos de Ouro 2013 como melhor Actriz Principal, na categoria de Cinema com o filme Florbela

Vencedora dos Sophia 2013 como melhor Actriz Principal no filme Florbela, primeiro ano dos prêmios organizados pela Academia Portuguesa de Cinema. 

Televisão (como atriz)[editar | editar código-fonte]

Ano Projeto Personagem Canal Notas
1998 Diário de Maria Maria Ramos RTP Protagonista da série
1999/2000 Todo o Tempo do Mundo Rita Gomes TVI
2000/2001 Jardins Proibidos São Silva TVI
2001/2002 Filha do Mar Marta Barquinho TVI Protagonista
2002 A Jóia de África Paula Ferreira TVI
2003/2004 Morangos com Açúcar Madalena Soares TVI Temporada 1
2004 Inspector Max Vera TVI 1 episódio
2004/2005 Morangos com Açúcar Madalena Soares TVI Temporada 2
2005 Ninguém como Tu Júlia Gaspar dos Santos TVI
2006/2007 Tempo de Viver Bárbara Gomes TVI
2008 Casos da Vida Teresa TVI 1 episódio
2008 A Outra Catarina Alves TVI
2008/2009 Equador Matilde Albuquerque TVI
2010 Dias Felizes Ana Brito TVI
2010/2011 Sedução Sofia Almeida TVI
2012 Perdidamente Florbela Florbela Espanca RTP protagonista
2013 Sinais de Vida Alice Borges RTP protagonista
2014 Os Filhos do Rock Ana RTP
2014 O Beijo do Escorpião Rita Macieira TVI Protagonista
2016 A Impostora Vitória/Verónica Mendes TVI Protagonista

Cinema[editar | editar código-fonte]

  • As Trapaceiras, de André Badalo (2014)
  • A Mãe do Meu Filho, de Artur Ribeiro (2012)
  • Florbela Espanca, de Vicente do Ó (2012)
  • Quinze Pontos na Alma, de Vicente do Ó (2011)
  • Quero ser uma Estrela, de José Carlos de Oliveira (2010)
  • Historias de Alice, de Oswaldo Caldeira (2009)
  • Memoria Da Agua, de José Martins (2007)
  • Os Meus Espelhos, de Rui Simões (2005)
  • Getting Out, de Aaron Fishman (2002)
  • Cavaleiros De Agua Doce, de Tiago Guedes ( 2001)
  • Anjo Da Guarda, de Margarida Gil (1999)
  • Trafico, de Joao Botelho (1998)
  • Mountains Of Steel, de George Felner (1997)
  • Deriva, de Paul Gant (1997)
  • Casting De Virgens, Operários e Prostitutas, de João Pinto (1996)
  • Do outro lado do Tejo, de João Pinto Nogueira (1996)
  • Attends-moi, de François Luciani (1996)
  • La leyenda de Balthasar el Castrado, de Juan Miñón (1996)
  • The Incubator, de Jeanne Waltz (1995)
  • Amor & Alquimia, de Fernando Fragata (1995)
  • A Comédia De Deus, de Joao Cesar Monteiro (1995)
  • Une Femme Au Soleil, de Véronique Aubouy (1994)
  • Vale Abraão, de Manoel de Oliveira (1993)
  • O Criado Ostrowsky, de Paulo Castro (1990)
  • Lucia Afogada ( 2015 )

Teatro[editar | editar código-fonte]

  • Lúcia Afogada (2015)
  • Look Back in Anger, enc. Martim Pedroso (2013)
  • Peines D´Amour Perdues (2007) enc. Emannuel Demarcy-Mota
  • Vidas Publicadas ( 2006) enc. Marcia Haufrecht.
  • Memória da Água (2006) enc. José Martin.
  • Nós Depois Telefonamos (2002) enc. António Pires
  • Os Pés no Arame (2000) enc. Isabel Abreu
  • Artaud Estúdio(1997) enc. Paulo Filipe Monteiro
  • Lição (1996) enc. Marcia Haufrecht
  • Moliére (1993) enc. Joaquim Benite
  • Restos (1994) enc. Joseph Szajna
  • Filopópulus (1994) enc. Joaquim Benite
  • Auto da Índia, de Gil Vicente (1993) enc. Antonio Pires.
  • Let’s Make Opera (Teatro São Luiz, 1993) enc. Paulo Matos
  • Queima de Judas (1991) co-produçao Teatro Art´Imagem e teatro O Bando
  • Estive Quase Morto no Deserto, teatro Art´Imagem (1991/2)

Televisão (restantes participações)[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Certidão de lista de associadas da Audiogest» (PDF). IGAC/Ministério da Cultura. 2007-07-25. Arquivado desde o original (pdf) em 24 de Dezembro de 2013. Consultado em 10 de Janeiro de 2014. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]