Saltar para o conteúdo

Diabloceratops

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Diabloceratops
Intervalo temporal: Cretáceo Superior
79,9 Ma
Classificação científica edit
Domínio: Eukaryota
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Clado: Dinosauria
Clado: Ornithischia
Clado: Neornithischia
Subordem: Ceratopsia
Família: Ceratopsidae
Subfamília: Centrosaurinae
Gênero: Diabloceratops
Kirkland & DeBlieux, 2010
Espécies:
D. eatoni
Nome binomial
Diabloceratops eatoni
Kirkland & DeBlieux, 2010

Diabloceratops (do latim científico "chifres do diabo" ou "lagarto diabo") foi um tipo de dinossauro herbívoro e quadrúpede que viveu no fim do período Cretáceo, durante o Campaniano, principalmente na região que é hoje a América do Norte, no que hoje o Estado de Utah, Estados Unidos.

Os únicos dois espécimes de Diabloceratops eatoni foram recuperados na Formação Wahweap, no Condado de Kane, Utah.[1] O espécime tipo UMNH VP 16699 foi coletado por Don DeBlieux em 2002, na localidade de Last Chance Creek desta formação, em arenito intraclástico que foi depositado durante o Campaniano, estágio do período Cretáceo, aproximadamente 81 a 76 milhões de anos atrás.[2] Consiste em um crânio parcial com um pedaço da mandíbula, com o lado direito intacto e parte do lado esquerdo, que foi desgastado. Outro espécime UMNH VP 16704 foi descoberto anos antes em 1998 por Joshua A. Smith da mesma formação, mas não foi descrito até 2010, quando foi atribuído ao Diabloceratops. Esses espécimes estão alojados na coleção do Museu de História Natural de Utah.[3]

Restauração do animal em vida

Diabloceratops tinha uma constítuição típica de ceratopsiano, pois tinha um grande babado no pescoço feito de osso. Tinha um pequeno chifre no nariz, talvez um segundo chifre na frente dele, e um par de chifres relativamente pequenos acima dos olhos. O crânio é mais profundo e mais curto do que qualquer outro membro de Centrosaurinae.[1][4] Sobre o folho também tinha um par de pontas muito longas como em Einiosaurus e Styracosaurus. Sendo um dos primeiros ceratopsídeos de Centrosaurinae, Kirkland observou uma característica do Diabloceratops compartilhada com as formas dos dinossauros de Protoceratopsidae mais "primitivas". Ambos possuem uma abertura acessória no crânio que se tornaria muito reduzida ou desapareceria em ceratopsídeos posteriores, mais avançados. Kirkland viu isso como uma indicação de que as espécies anteriores não estavam juntas em um único grupo natural, mas apresentavam uma sequência gradual de formas cada vez mais derivadas, cada vez mais relacionadas aos Ceratopsidae. Além disso, Morschauser et al. considerou que Diabloceratops não é um dos Centrosaurinae mais basais, mas que fica fora da divisão Centrosaurinae-Chasmosaurinae, considerando que ele é, pela definição de Ceratopsidae, um táxon irmão.[5]

Classificação

[editar | editar código-fonte]
Crânios restaurados de Nasutoceratops (esquerda) e Diabloceratops, Museu de História Natural de Utah

Uma árvore filogenética após uma análise filogenética recente de Chiba et al. (2017):[6]

Centrosaurinae

Diabloceratops eatoni

Machairoceratops cronusi

Nasutoceratopsini

Avaceratops lammersi (ANSP 15800)

MOR 692

CMN 8804

Nasutoceratops titusi

Malta new taxon

Xenoceratops foremostensis

Sinoceratops zhuchengensis

Wendiceratops pinhornensis

Albertaceratops nesmoi

Medusaceratops lokii

Eucentrosaura
Centrosaurini

Rubeosaurus ovatus

Styracosaurus albertensis

Coronosaurus brinkmani

Centrosaurus apertus

Spinops sternbergorum

Pachyrhinosaurini

Einiosaurus procurvicornis

Pachyrostra

Achelousaurus horneri

Pachyrhinosaurus canadensis

Pachyrhinosaurus lakustai

Pachyrhinosaurus perotorum

Paleoecologia

[editar | editar código-fonte]
Diabloceratops em seu ambiente

A Formação Wahweap foi datada radiometricamente como tendo entre 81 e 76 milhões de anos.[7] Durante o tempo em que Diabloceratops viveu, o Mar Interior Ocidental estava em sua maior extensão, isolando quase completamente o sul de Laramidia do resto da América do Norte. A área onde os dinossauros viviam incluía lagos, planícies aluviais e rios que correm para o leste. A Formação Wahweap é parte da região da Grand Staircase, uma sequência imensa de camadas de rochas sedimentares que se estendem ao sul do Parque Nacional de Bryce Canyon através do Parque Nacional de Zion e para o Grand Canyon. A presença de sedimentação rápida e outras evidências sugerem um clima úmido e sazonal.[8]

Diabloceratops compartilhou seu paleoambiente com outros dinossauros, como o hadrossaurídeo Acristavus gagslarsoni ,[9][10] e o lambeossauríneo Adelolophus hutchisoni,[11] anquilossauros e paquicefalossauros não nomeados, além dos terópodes Lythronax argestes , que provavelmente eram o superpredador em seu ecossistema.[3] Os vertebrados presentes na Formação Wahweap na época do Diabloceratops incluíam peixes de água doce, barbatanas, raias abudantes e tubarões, tartarugas como a Compsemys, crocodilianos,[12] e dipnoicos.[13] Um bom número de mamíferos vivia nesta região, que incluía vários gêneros de multituberculados, cladotherianos, marsupiais e placentários insetívoros.[14]

Os mamíferos são mais primitivos do que aqueles que viviam na área que hoje é a Formação Kaiparowits. Os vestígios de fósseis são relativamente abundantes na Formação Wahweap e sugerem a presença de crocodilomorfos, bem como ornitísquios e dinossauros terópodes.[15] Em 2010, um fóssil único foi descoberto, o que sugere uma relação predador-presa entre dinossauros e mamíferos primitivos. O vestígio de fóssil inclui pelo menos dois complexos fossilizados de covis de mamíferos, bem como sulcos de escavação associados, presumivelmente causados por um dinossauro maniraptor. A proximidade indica um caso de provável predação ativa dos habitantes da toca pelos animais que fizeram as marcas de garras.[16] A atividade dos invertebrados nesta formação variou de tocas de insetos fossilizados em madeira petrificada[17] a vários moluscos, grandes caranguejos,[18] e uma grande diversidade de gastrópodes e ostracodes.[19]

Referências

  1. a b Kirkland, J.I; DeBlieux, D.D. (2010). «New basal centrosaurine ceratopsian skulls from the Wahweap Formation (Middle Campanian), Grand Staircase–Escalante National Monument, southern Utah». In: Ryan, M.J.; Chinnery-Allgeier, B.J.; Eberth, D.A. New Perspectives on Horned Dinosaurs: The Royal Tyrrell Museum Ceratopsian Symposium (em inglês). Bloomington: Indiana University Press. pp. 117–140. ISBN 978-0253353580 
  2. J. I. Kirkland; D. D. DeBlieux (2007). «New horned dinosaurs from the Wahweap Formation, Grand Staircase-Escalante National Monument». Southern Utah. Utah Geological Survey Notes (em inglês). 3 (39): 4-5 
  3. a b «Diabloceratops eatoni». Natural History Museum of Utah. Consultado em 16 de novembro de 2013 
  4. «DIABLOCERATOPS». Consultado em 11 de dezembro de 2013 
  5. Morschhauser, E.M.; You, H.; Li, D.; Dodson, P. (2019). «Phylogenetic history of Auroraceratops rugosus (Ceratopsia: Ornithischia) from the Lower Cretaceous of Gansu Province, China». Journal of Vertebrate Paleontology (em inglês). 38 (Supplement): 117–147. doi:10.1080/02724634.2018.1509866 
  6. Kentaro Chiba; Michael J. Ryan; Federico Fanti; Mark A. Loewen; David C. Evans (2018). «New material and systematic re-evaluation of Medusaceratops lokii (Dinosauria, Ceratopsidae) from the Judith River Formation (Campanian, Montana)». Journal of Paleontology (em inglês). in press (2): 272–288. doi:10.1017/jpa.2017.62 
  7. Introduction: Kaiparowits Basin Project Overview," Getty, et al. (2010); p. 479.
  8. Zubair A. Jinnah, #30088 (2009)Sequence Stratigraphic Control from Alluvial Architecture of Upper Cretaceous Fluvial System - Wahweap Formation, (em inglês) Southern Utah, E.U.A. Search and Discovery Article #30088. Postado em 16 de junho de 2009.
  9. Gates, T. A.; Horner, J. R.; Hanna, R. R.; Nelson, C. R. (2011). «New unadorned hadrosaurine hadrosaurid (Dinosauria, Ornithopoda) from the Campanian of North America». Journal of Vertebrate Paleontology (em inglês). 31 (4). 798 páginas. doi:10.1080/02724634.2011.577854 
  10. «New Horned Dinosaurs from the Wahweap Formation» (PDF). Utah Geology (em inglês). 2007. Consultado em 17 de abril de 2021 
  11. Terry A. Gates; Zubair Jinnah; Carolyn Levitt; Michael A. Getty (2014). «New hadrosaurid (Dinosauria, Ornithopoda) specimens from the lower-middle Campanian Wahweap Formation of southern Utah». In: David A. Eberth; David C. Evans. Hadrosaurs: Proceedings of the International Hadrosaur Symposium (em inglês). [S.l.]: Indiana University Press. pp. 156–173. ISBN 978-0-253-01385-9 
  12. Thompson, Cameron R. (abril de 2004). «A preliminary report on biostratigraphy of Cretaceous freshwater rays, Wahweap Formation and John Henry Member of the Straight Cliffs Formation, southern Utah.». Abstracts with Programs - Geological Society of America (em inglês). 36 (4): 91 
  13. Orsulak, Megan; et al. (maio de 2007). «A lungfish burrow in late Cretaceous upper capping sandstone member of the Wahweap Formation Cockscomb area, Grand Staircase-Escalante National Monument, Utah.». Abstracts with Programs - Geological Society of America (em inglês). 39 (5): 43 
  14. Eaton, Jeffrey G; Cifelli, Richard L (outubro de 2005). «Review of Cretaceous mammalian paleontology; Grand Staircase-Escalante National Monument, Utah.». Abstracts with Programs - Geological Society of America (em inglês). 37 (7). 115 páginas 
  15. Tester, Edward; et al. (maio de 2007). «Isolated vertebrate tracks from the Upper Cretaceous capping sandstone member of the Wahweap Formation; Grand Staircase-Escalante National Monument, Utah». Abstracts with Programs - Geological Society of America (em inglês). 39 (5). 42 páginas 
  16. «Geology Abstract». Consultado em 17 de abril de 2021 
  17. De Blieux, Donald D. (maio de 2007). «Analysis of Jim's hadrosaur site; a dinosaur site in the middle Campanian (Cretaceous) Wahweap Formation of Grand Staircase-Escalante National Monument (GSENM), southern Utah.». Abstracts with Programs - Geological Society of America (em inglês). 39 (5): 6 
  18. Kirkland, James Ian (outubro de 2005). «An inventory of paleontological resources in the lower Wahweap Formation (lower Campanian), southern Kaiparowits Plateau, Grand Staircase-Escalante National Monument, Utah.». Abstracts with Programs - Geological Society of America (em inglês). 37 (7): 114 
  19. Williams, Jessica A J; Lohrengel, C Frederick (maio de 2007). «Preliminary study of freshwater gastropods in the Wahweap Formation, Bryce Canyon National Park, Utah». Abstracts with Programs - Geological Society of America. 39 (5). 43 páginas 

Ligações externas

[editar | editar código-fonte]