Energia na Itália

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Itália consumiu cerca de 185 Mtep de energia primária em 2010.[1] Vindo principalmente de combustíveis fósseis. Entre os recursos mais usados estão o petróleo (usado principalmente para o setor de transporte), gás natural (utilizado para a produção de energia elétrica e aquecimento), carvão e as formas de energia renováveis.

Uma parte importante da eletricidade vem da importação, principalmente da Suíça e França. A parcela de energia primária dedicada à produção de eletricidade é acima de 35%,[2] e cresceu de forma constante desde a década de 1970.

A eletricidade é produzida principalmente a partir de gás natural, que é a origem de mais de metade do total de energia elétrica produzida. Outra fonte importante é energia hidrelétrica, que era praticamente a única fonte de eletricidade até 1960. A energia eólica e solar cresceu rapidamente entre 2010 e 2013, graças à altos incentivos.

A Itália tem poucos recursos energéticos e a maioria dos suprimentos são importados.[3]

Visão geral[editar | editar código-fonte]

Energia na Itália[4]
Ano População
(em milhões)
Energia primária
TWh
Produção
TWh
Importação
TWh
Electricidade
TWh
Emissão de CO2
Mt
2004 58.1 2,145 351 1,837 328 462
2007 59.3 2,072 307 1,837 339 438
2008 59.9 2,047 313 1,810 339 430
2009 60.2 1,915 314 1,642 317 389
2012 60.7 1,947 367 1,641 327 393
2012R 60.9 1,847 371 1,542 321 375
2013 60.7 1,807 428 1,433 311 338
Alteração entre 2004-2009 3.5% -10.8% -10.4% -10.6% -3.3% -15.8%
Mtep = 11.63 TWh.  A energia primária inclui as perdas de energia

2012R = critérios de cálculo do CO2 foram alterados, e os números atualizados

Eletricidade[editar | editar código-fonte]

Em 2014, a Itália consumiu 291.083 TWh (4.790 kWh/pessoa) de eletricidade, o consumo doméstico foi de 1.057 kWh/pessoa.[5] A Itália é um importador líquido de energia elétrica: o país importou 46.747,5 GWh e exportou 3.031,1 GWh em 2014. A produção bruta, em 2014, foi 279.8 TWh. As principais fontes de energia são o gás natural e hidroeletricidade.

A Itália já não produz mais energia nuclear, pois essa forma foi banida em 1987, através de um referendo. Na Toscana, foi construída a primeira usina de energia geotérmica. Em 2014, a produção geotérmica foi de 5,92 TWh, todas as estações de energia geotérmica da Itália estão localizadas atualmente na Toscana.

Produção bruta de energia na Itália em 2014 por fonte
Produção italiana de eletricidade bruta por fonte em 2014 (TWh)
Hidrelétrica 60,256 21.5%
Térmica 176,171 -
Por energia geotérmica 5,919 2.1%
Por gás Natural 93,637 33.5%
Por carvão 43,455 15.5%
Por petróleo 4,764 1.7%
Por biomassa 18,732 6.7%
Eólica 15,178 5.4%
Solar 22,306 8.0%
A produção de eletricidade a partir de fontes solares e eólicas na Itália, de 2007 a 2014

Emissões[editar | editar código-fonte]

De acordo com a Energy Information Administration, Em 2009 as emissões de CO2 italianas devido ao consumo de energia foram de 408 Mt, um pouco abaixo da Indonésia com 413 mt. Mundialmente, a Itália foi classificada na 17° colocação em 2009, de acordo com esta lista. As emissões italianas declinaram 9% entre 2008-2009, porém isso foi mais influenciado pela recessão econômica europeia de 2008-2009, do que por grandes mudanças no consumo sustentável de energia. De 2008 para 2009 a alteração foi de 6,9% negativos para a Europa e a um aumento de 7,5% na Ásia e Oceania.[6]

As emissões de consumo poderiam ser um indicador mais significativo do que a produção nacional de gases do efeito estufa: muitas empresas europeias têm movido a sua produção da europa para a ásia nos últimos dez anos, o que não necessariamente alterará o total de emissões no mundo ou pela empresa. De acordo com the Guardian, o conjunto de dados internacional mais citado para as emissões do consumo é a partir do ano de 2001, incluindo as emissões de consumo per capita de emissões de gases de efeito estufa.[7] A pegada ecológica de Itália em 2001 foi de 12 toneladas de CO2 por pessoa (classificada como a 21º maior)[8] A parcela doméstica das emissões de gases do efeito estufa da Itália foi de 62%.[9]

Veja também[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. BP data [1]
  2. data from Terna - Italian electric grid
  3. IEA Key energy statistics 2010
  4. IEA Key World Energy Statistics Statistics 2015, 2014 (2012R as in November 2015 + 2012 as in March 2014 is comparable to previous years statistical calculation criteria, 2013, 2012, 2011, 2010, 2009, 2006 IEA October, crude oil p.11, coal p. 13 gas p. 15
  5. TERNA statistics data
  6. World carbon dioxide emissions data by country: China speeds ahead of the rest Guardian 31 January 2011
  7. Which nations are most responsible for climate change? Guardian 21 April 2011
  8. Carbon foot print of nations
  9. Carbon Footprint of Nations: A Global, Trade-Linked Analysis Environ. Sci. Technol. 2009, 43, 6414–6420